Em situações opostas, São Paulo recebe Chapecoense e mira vaga na Libertadores

Tricolor quer se aproximar da zona de classificação enquanto equipe catarinense luta para fugir do Z-4

Em situações opostas, São Paulo recebe Chapecoense e mira vaga na Libertadores
(Foto: Sirli Freitas/Chapecoense)
São Paulo
Chapecoense
São Paulo: Sidão; Araruna, Arboleda, Rodrigo Caio e Edimar; Jucilei; Petros, Hernanes, Shaylon e Marcos Guilherme; Pratto. Técnico: Dorival Júnior.
Chapecoense: Jandrei; Apodi, Luiz Otávio, Fabricio Bruno e Reinaldo; Amaral e Moisés Ribeiro; Luiz Antonio, Canteros e Arthur Caike; Wellington Paulista. Técnico: Gilson Kleina
ÁRBITRO: Árbitro: Marcelo de Lima Henrique (RJ). Assistentes: Michael Correia (RJ) e Silbert Faria Sisquim (RJ)
INCIDENCIAS: Partida válida pela 33ª rodada, a ser disputada no Pacaembu.

Embalado com três vitórias seguidas diante do Flamengo, Santos e Atlético-GO, o São Paulo tem como objetivo somar mais três pontos como mandante nesta quinta-feira, às 20h (de Brasília), contra a Chapecoense, no Pacaembu. O duelo é válido pela 33ª rodada do Campeonato Brasileiro.

Os dois times buscam se distanciar do Z-4. O tricolor paulista projeta classificar-se para a Libertadores e segue firme no objetivo, somando 43 pontos, na nona colocação. Já o Verdão do Oeste está em 14º com 40, cinco a frente do Vitória, primeiro clube na zona de rebaixamento.

Neste momento, a zona que garante classificação para a Libertadores é aberta pelo Flamengo, sétimo colocado com 47 pontos. Caso a rodada seja favorável, a equipe pode terminar um ponto atrás do G7. Para completar, a área de classificação ainda pode aumentar se Flamengo e Grêmio obtiverem sucesso nas fases finais de Sul-Americana e Libertadores, respectivamente.

Apesar de favoritismo, Chape não será presa fácil para o Tricolor

O Tricolor vem deixando o fantasma do rebaixamento cada vez mais para trás e, em caso de triunfo sobre os catarinenses, aumentará ainda mais a esperança de alçar voos mais altos ainda neste fim de temporada. Apesar do favoritismo por conta do bom momento e por jogar como mandante, o São Paulo não espera facilidade contra a Chapecoense.

Temos que ter atenção. Eles fazem bons jogos fora de casa. Lembro daquela vitória deles sobre o Palmeiras. Eles conseguem alguns resultados bons em partidas que ninguém espera”, alertou o meio-campista Hernanes.

Dorival Júnior terá dois desfalques importantes para a partida, sendo jogadores titulares da equipe. O lateral direito Éder Militão, com problema na coxa, e o meia Cueva, que está defendendo a seleção do Peru, não estarão à disposição. Araruna, que já atuou contra o Atlético-GO, e Shaylon devem ser os substitutos. Lucas Fernandes luta em busca de vaga no meio.

Além de buscar aproximação da zona de classificação para a Libertadores, o São Paulo ainda pode alcançar outra marca que prova a ascensão da equipe. O Tricolor disputa com o Cruzeiro a liderança do segundo turno. Ambos possuem 24 pontos até o momento, mas a equipe mineira conta vantagem nos critérios de desempate. Caso vença, a equipe paulista pode assumir a ponta.

Verdão do Oeste quer manter sequência positiva

O objetivo da Chapecoense é seguir somando os pontos necessários para acabar com os riscos de queda. Com 40 pontos, os catarinenses não correm riscos de voltar à zona de rebaixamento nesta rodada e uma vitória no Pacaembu deixaria o clube ainda mais perto da permanência na elite em 2018.

Aliás, um dos destaques da equipe é justamente um ex-são-paulino. O lateral esquerdo Reinaldo, muito criticado nos seus tempos de São Paulo, vai reencontrar a torcida paulista, mas dessa vez como adversário.

Em relação aos desfalques, Gilson Kleina não poderá contar com o zagueiro Douglas, mais um com passagem pelo São Paulo. O jogador levou o terceiro cartão amarelo contra o Sport no fim de semana. Douglas Grolli seria o substituto imediato, mas está vetado pelo departamento médico então a tendência é que Luiz Otávio assuma a vaga.

Nos demais setores, as peças devem se manter as mesmas que vinham formando a base nas últimas rodadas e surtindo efeito positivo, como espera Kleina, que não vê sua equipe perder há quatro jogos, sendo duas vitórias e dois empates. Os oito pontos somados ajudaram o time na luta contra o descenso.