Após a confirmação da permanência na Série A, Dorival analisa "Foi um trabalho muito complicado"

O Tricolor agora sonha com a classificação para a libertadores e respira aliviado sua permanência na série A

Após a confirmação da permanência na Série A, Dorival analisa "Foi um trabalho muito complicado"
Foto: Divulgação / São Paulo FC

Dia de tranquilidade para o torcedor São Paulino, pois após o empate com o Botafogo (RJ) pelo placar de 0 a 0, a equipe se livrou matematicamente do rebaixamento para a série B - 2018.

A equipe comandada por Dorival Júnior, viveu momentos turbulentos durante o ano de 2017, e por muitos momentos passou o campeonato lutando para sair da zona da degola. Portanto livrar-se das chances de jogar a segunda divisão foi um momento de alívio para os torcedores do Tricolor.

O São Paulo precisava de um empate para eliminar qualquer chance de ser rebaixado, porém, entrou em campo sem Cueva (que se atrasou ao se reapresentar a equipe e ficou no banco de reservas) e sem Hernanes, que levou terceiro amarelo e desfalcou a equipe. Após o apito final, as redes não balançaram e toda a Nação Tricolor respirou aliviada.

Após o fim da partida, Dorival Junior comentou

“Foi um resultado que não deixa de ter importância. Gostaríamos de ter a vitória, a procuramos do início ao fim, exigimos muito do Botafogo, mas não fomos felizes nas definições. Só que não deixamos de ser agressivos, de buscar o gol a todo momento. É natural que os jogadores saiam sentindo o que foi buscado, e não alcançado. Era nosso objetivo vencer e ter possibilidade maior de, de repente, buscarmos uma posição ainda melhor. É uma pena que não tenha acontecido a vitória” disse o comandante.

Dorival aproveitou a coletiva, para também dizer suas esperanças para a equipe “Todo mundo tem que aprender com esse tipo de situação. O São Paulo sempre foi uma equipe que brigou pelas melhores colocações e tem que voltar a fazê-lo. Tem que protagonizar de novo o campeonato“, lembrou.

O técnico, não podia deixar de comentar a respeito de Cueva, que chegou atrasado a apresentação do time e nem foi relacionado para a partida, porém após conversa com comissão técnica, ficou os 90 minutos no banco "Houve o atraso. Ele chegou seis e meia da manhã, foi direto para o centro de treinamento, praticamente descansou até momentos antes da partida. Ele não treinou, não fez o dia a dia. Não tínhamos como escalá-lo. Seria um risco muito grande colocá-lo em campo desde o início. Aproveitamos da melhor forma, quando imaginávamos a equipe do botafogo caindo de rendimento. Acho que ele nos ajudou em campo” e emendou “Em razão dos horários, não tínhamos como fazer diferente. Ele viajou a madrugada toda. Naturalmente, não teve o tempo hábil para estar em totais condições, trabalhando com o grupo, como seria o combinado e o conveniente”. Analisou

Dorival comentou a respeito das contratações da equipe para o ano de 2018 “Contratar por contratar, não sou a favor. A partir de amanhã, vamos conversar. Não sei o que vai acontecer. A diretoria do São Paulo é competente para poder fazer uma análise de tudo que aconteceu em 2017, corrigir e conseguir uma melhora para buscar um ano completamente diferente. Acho que 2017 fica para trás“. Afirmou

Para finalizar, Dorival disse suas expectativas para o ano de 2018 e a postura que espera da equipe e comissão técnica “Vamos começar a conversar a partir de amanhã (sobre 2018). Nada foi conversado. Nossa preocupação era nossa situação na tabela. Isso incomodava muito. Não podíamos relaxar em momento nenhum. Esse objetivo foi alcançado. Temos ainda um objetivo maior. Vamos esperar o fim da rodada para saber o que vamos precisar. Não foi fácil, não foi simples. Foi um trabalho muito complicado, muito difícil. Só as pessoas que estão lá dentro sabem do que estou falando. No ano passado, uma grande equipe teve dificuldade e não se recuperou, e poderia acontecer o mesmo no São Paulo. Foi com muito esforço de todos que não aconteceu, todos são dignos de elogio” relatou.