Dez anos após Bola de Ouro, Kaká anuncia aposentadoria dos gramados

“Muito consciente cheguei à conclusão que é o momento de encerrar a minha carreira como jogador profissional”, decreta

Dez anos após Bola de Ouro, Kaká anuncia aposentadoria dos gramados
Em novembro, Kaká visitou o estádio San Siro e foi ovacionado pelos torcedores do Milan (Foto: Marco Luzzani/Getty Images)

Há exatos dez anos, Kaká ganhava a Bola de Ouro. Uma década depois, o jogador anuncia sua aposentadoria dos gramados. Em entrevista ao apresentador e narrador Galvão Bueno, no programa Esporte Espetacular, da TV Globo, o ídolo de São Paulo, Milan e Orlando City afirmou que pretende seguir no futebol como dirigente.

Muito consciente cheguei à conclusão que é o momento de encerrar a minha carreira como jogador profissional. Agora vou me preparar para continuar no futebol e ter uma outra função. Um manager, um diretor esportivo, alguém que fica entre o campo e o clube”, disse. “A minha palavra final é que se encerra aqui o ciclo da minha carreira profissional”, decretou o agora ex-meia, atualmente com 35 anos.

O último jogo de Kaká como jogador profissional foi no dia 4 de novembro, em um amistoso do Orlando City. Ele não aceitou renovar contrato com o clube da MLS (Major League Soccer). Ainda em novembro, ele visitou a sede do Milan, em Milão, e abriu as portas para assumir um possível cargo na diretoria da agremiação.

Eu me preparei muito para ser jogador profissional e quero me preparar para essa nova função, quero ver e enxergar um pouco de fora. O fato de ter tido êxitos como jogador profissional não significa que vou ser um bom diretor ou não. Então quero me preparar para isso daqui em diante, estudar, acompanhar, estar mais próximo de alguns clubes, principalmente aquele onde eu joguei. O Milan recentemente fez essa proposta para que eu tivesse ali no dia a dia do clube. São coisa que vou começar a me preparar, e daqui para frente ir me aproximando de uma outra função no futebol”, ressaltou.

Último atleta a levar a Bola de Ouro da Fifa antes da hegemonia de Cristiano Ronaldo e Lionel Messi, Kaká afirmou que o prêmio foi a “cereja do bolo” de sua carreira. “Esse dia é único. Comemoro dez anos agora, dia 17 de dezembro. [Me recordo] com muito carinho. Cuido dos meus troféus com muito carinho. Olho para eles e me lembro da dificuldade que foi chegar até lá”, pontuou.

Kaká começou sua carreira no São Paulo, onde chegou ao time profissional em 2001. Após se destacar no Tricolor, despertou a atenção do Milan, que o levou para a Itália em 2003. Viveu a melhor fase de sua carreira na equipe milanesa, ganhou títulos expressivos – a Uefa Champions League (2006/07) e o Mundial de Clubes da Fifa (2007), por exemplo – e se tornou ídolo da torcida.

Deixou a equipe rossonera em 2009 para se transferir ao Real Madrid. No clube merengue, porém, conviveu com inúmeras lesões e não conseguiu desempenhar seu melhor futebol. Quatro anos depois, acertou seu retorno ao Milan, onde ficou por apenas uma temporada antes de assinar com Orlando City, em julho de 2014, por três anos.

Como a MLS começa apenas em março, o time americano emprestou Kaká por seis meses ao São Paulo, vínculo até dezembro de 2014. No ano seguinte, chegou, de fato, ao Orlando City para virar a maior referência no clube americano.

Kaká também marcou época no Seleção Brasileira. Saiu vencedor, inclusive, de sua primeira Copa do Mundo, a de 2002. Disputou outros dois Mundiais (2006 e 2010). Também participou de Copa das Confederações, Copa América, entre outros torneios de seleções.


Mais notícias de