Caminho até a decisão: relembre a campanha do São Paulo na Copinha

Tricolor Paulista chega para a final invicto e com grande expectativa no quarto título da competição

Caminho até a decisão: relembre a campanha do São Paulo na Copinha
Foto: Igor Amorim/saopaulofc.net

A base do São Paulo é uma das mais tradicionais do país. Nomes como Kaká, Rogério Ceni e Lucas Moura saíram de Cotia, o que prova a atenção do Tricolor Paulista para com suas categorias inferiores. Ao todo, a equipe chegou a dez finais de Copa São Paulo de Futebol Júnior – incluindo a desse ano –, conquistando três títulos. Contra o Flamengo, na próxima quinta-feira (25), a equipe treinada por André Jardine tentará conquistar pela quarta vez uma das competições de base mais tradicionais de todo o mundo.

Dessa maneira, a VAVEL Brasil relembrará a campanha do Tricolor Paulista durante a Copa SP de Futebol Júnior desse ano. Até aqui, foram oito partidas, com seis vitórias e dois empates, 20 gols marcados e apenas 6 sofridos – é importante ressaltar que o São Paulo passou de fase após cobranças de penalidades máximas em duas ocasiões.

Fase de grupos: beirando a perfeição

A campanha deu início contra o Cruzeiro-RS e começou com o adversário abrindo o placar logo no começo da partida. Sem se abalar, a equipe de André Jardine não apenas se recuperou, como goleou a equipe gaúcha: Igor Gomes, Luan, Toró, Gabriel Novaes, Fabinho e Oliveira marcaram, decretando a goleada por 6 a 2.

Nas duas partidas seguintes, outras atuações convincentes e sólidas: 3 a 1 sobre o Sergipe, com Walce, marcando duas vezes, e Fabinho, fazendo os gols. A campanha na fase de grupos seria fechada contra o Botafogo-SP, com mais uma goleada: 4 a 0, com Rodrigo, Gabriel Novaes e Toró marcando no primeiro tempo e Helinho completando o placar na etapa complementar.

Começo do mata-mata: mais vitórias

Apesar de mostrar o mesmo brilho da fase de grupos, as três partidas do São Paulo nas três primeiras fases eliminatórias foram marcadas por placares um pouco magros. Mesmo assim, era nítido que o Tricolor Paulista possuía qualidade técnica o suficiente, mostrando um grande futebol e podendo, tranquilamente, derrotar as respectivas equipes por uma diferença maior no resultado final.

(Foto: Célio Messias/sãopaulofc.net)
(Foto: Célio Messias/sãopaulofc.net)

Na segunda fase, a Chapecoense, que havia eliminado o Tricolor na Copinha em 2017, foi a vítima da vez: sob muita chuva, o atacante Toró aproveitou a chance e foi o principal nome da partida, marcando os dois gols na vitória por 2 a 0. Na partida seguinte, pela terceira fase, o Botafogo-SP estaria no caminho novamente, mas, diferentemente dos confrontos por grupos, a partida foi mais disputada, com uma vitória de 1 a 0, com gol marcado por Fabinho.  

O primeiro grande teste viria nas oitavas de final. Pelo caminho, o Cruzeiro, atual campeão brasileiro da categoria, que vinha de duas vitórias por meio de penalidades máximas. Após um grande equilíbrio no primeiro tempo, com direito a um chute no travessão de um atleta Celeste, o São Paulo dominaria a maioria das ações ofensivas na etapa complementar e, com um gol de Igor Gomes, sacramentaria a classificação com um triunfo por 1 a 0.

Superação, muita chuva e cobranças de pênaltis

Diante de uma das melhores equipes da competição, o São Paulo teve muitos problemas para bater o Vitória: a equipe baiana começou abrindo o placar, com Flávio, mas Toró empataria aos 31 minutos. A equipe baiana, porém iria ao intervalo com vantagem, graças a um gol de Lucas Ribeiro, aos 45 minutos. Na etapa complementar, o Tricolor insistiu e conseguiu um suado empate aos 32 minutos, com outro gol de Toró. Nas cobranças na marca da cal, Hebert e Cedric desperdiçariam pela equipe baiana e Oliveira consagraria a classificação dos paulistas.

Uma partida que durou, literalmente, dois dias: na segunda-feira (22), foi dado o pontapé inicial da semi-final, contra o Internacional, e o primeiro tempo foi dominado em grande parte pelo São Paulo, que desperdiçou um pênalti, com Liziero, e abriu o placar, com um golaço de Luan. O segundo tempo, porém, foi marcado por uma grande quantidade de chuva, que, em tese, impossibilitaria o andamento da partida.

(Foto: Igor Andrade/saopaulofc.net)
(Foto: Igor Andrade/saopaulofc.net)

O árbitro, porém, indiciou que o jogo pudesse continuar e, apesar das enormes poças, o Internacional empatou, com um gol de Richard, em cobrança de pênalti. Por conta de raios, a partida foi interrompida e retornada na tarde dessa terça-feira (23), com o relógio começando aos 17 minutos. Na “nova partida”, nada aconteceu e o confronto seria decidido, mais uma vez, nos pênaltis, Córdova isolou uma cobrança para a equipe gaúcha e Toró bateria a cobrança decisiva, que carimbou a classificação para a final.

Resumo: os jogos do São Paulo até aqui

Fase de grupos: São Paulo 6 x 2 Cruzeiro-RS

Fase de grupos: Sergipe 1 x 3 São Paulo

Fase de grupos: Botafogo-SP 0 x 4 São Paulo

Segunda fase: São Paulo 2 x 0 Chapecoense

Terceira fase: Botafogo-SP 0 x 1 São Paulo

Oitavas: São Paulo 1 x 0 Cruzeiro

Quartas: São Paulo 2 (4) x (3) 2 Vitória

Semis: Internacional 1 (5) x (6) 1 São Paulo