Doze anos depois, Brasil e Haiti repetem duelo do "Jogo da Paz"

Em 2004 as duas equipes se enfrentaram para promover a solidariedade e a paz

Doze anos depois, Brasil e Haiti repetem duelo do "Jogo da Paz"
Seleção Brasileira no Jogo da Paz, em 2004 (Foto: Arquivos CBF)

Nesta quarta-feira (8), a Seleção Brasileira enfrenta o Haiti pelo Grupo B da Copa América Centenário. Entre a expectativa de uma goleada e o clima de desconfiança no lado brasileiro, o duelo traz de volta a lembrança de um jogo memorável do passado, o "Jogo da Paz", realizado em 2004.

O dia 18 de agosto ficou marcado pelo show da Canarinho fora de campo e também dentro. O famoso futebol arte estava em seus dias de alta e levou àquele país euforia e muita festa.

O time, comandado por Carlos Alberto Parreira, ainda contou com Júlio César, Belletti, Juan, Roque Júnior, Roberto Carlos, Juninho Pernambucano, Gilberto Silva, Edu, Roger, Ronaldinho Gaúcho e Ronaldo.

Leia mais: Buscando a primeira vitória na Copa América, Brasil enfrenta o Haiti

O Brasil desembarcou em Porto Príncipe, capital do Haiti, com o objetivo de promover a solidariedade e reforçar a luta a favor do desarmamento. Naquela época, o país passava uma grave crise econômica, onde mais da metade da população vivia abaixo da linha da pobreza, e ainda convivia com uma guerra civil.

Ruas de Porto Príncipe lotadas para receber a Seleção (Foto: Arquivo CBF)
Ruas de Porto Príncipe lotadas para receber a Seleção (Foto: Arquivo CBF)

A recepção dos então campeões da Copa América foi inesquecível. Ruas lotadas, uma população cheia de amor, um enorme carinho e muita felicidade.

Leia: Sem vida fácil, Dunga reclama de treinamentos e banca Alisson no gol

O resultado acabou sendo uma goleada de 6 a 0 para o Brasil com três gols de Ronaldinho Gaúcho, dois de Roger Flores e um de Nilmar. O resultado, no entanto, pouco importa. O mais marcante deste encontro foi a possibilidade de estreitar ainda mais os laços entre os dois países e dar alguma esperança a um povo que tanto tinha sofrido.

"A justiça social é o verdadeiro nome da paz" (Foto: Arquivo CBF)

Mais: Técnico do Haiti exalta Seleção e fala sobre confronto: "Brasil é sempre Brasil"