Após 7 a 1, Dunga foge de memórias com a Alemanha e foca em evolução

O treinador falou sobre a goleada e não falou muito sobre duelo contra a Alemanha na Copa do Mundo

Após 7 a 1, Dunga foge de memórias com a Alemanha e foca em evolução
Dunga na partida contra o Haiti (Foto:  Lucas Figueiredo / MoWA Press)

Após a goleada por 7 a 1 sobre o Haiti pela segunda rodada da Copa América Centenário, o técnico Dunga falou com a imprensa no estádio Citrus Bowl, em Orlando, Estados Unidos. O treinador comentou sobre o resultado, o time e os haitianos. A próxima partida do Brasil acontece dia 12, domingo, às 21h30 (de Brasília), no Gilette Stadium, Foxborough. 

Primeiramente, Dunga elogiou sua equipe e comentou sobre as mudanças entre esse duelo e o confronto contra o Equador na primeira rodada. "Foi bom, muitas coisas que fizemos nos treinamentos aconteceram no jogo. A equipe teve uma evolução da partida contra o Equador e para nós o mais importante é evoluir a cada jogo."

"Nós assistimos o jogo do Haiti contra o Peru e, dentro das características dos nossos jogadores, tentamos explorar os espaços que vimos que eles tinham. Fizemos a nossa parte. O Brasil sabe das inúmeras dificuldades e vai ter que enfrentá-las", explicou.

O placar de 7 a 1 remeteu imediatamente ao fatídico jogo contra a Alemanha na Copa do Mundo de 2014. O treinador não foi muito fundo na questão e apenas destacou o rendimento do time. "É um grupo diferente, outra época. Tentamos fazer a nossa parte, colocar em prática o que treinamos e os gols aconteceram conforme a equipe foi tendo um rendimento positivo".

Phillipe Coutinho foi um dos destaques da partida com dois gols. O jogador do Liverpool conseguiu mostrar a qualidade que vinha tendo em seu clube e agradou o professor. "O Coutinho está aproveitando sua oportunidade. Cada jogo e treinamento ele tem tido mais confiança. Dessa vez conversamos muito para que ele fosse o Coutinho do Liverpool, arriscando mais as jogadas".

No intervalo da partida, o atacante Jonas saiu para a entrada de Gabriel, do Santos. Perguntado sobre a possibilidade desta ser uma vaga aberta no time, ele enfatizou que a luta pela titularidade é de todos. "Os 23 disputam uma vaga no time. Todos devem estar preparados para entrar e fazer a diferença. Tenho conversado com eles que algumas vezes quem sai jogando não é tão importante quanto aquele que entra e tem que modificar o jogo. Mudamos a característica pois precisávamos de mais velocidade e superar a linha deles".

Para terminar, Dunga ainda reclamou do gramado e reforçou a necessidade em corrigir erros. "Não chega a ser um defeito. O gramado fez com que a bola não tivesse a velocidade habitual e erramos passes que não costumávamos errar. Temos que observar os erros e corrigir nos treinamentos".