Rumo à Olimpíada: Rodrigo Caio, zagueiro do São Paulo

Jovem defensor do time paulista tem sido uma das presenças constantes na equipe sub-23 e deverá ser um dos pilares na busca do ouro

Rumo à Olimpíada: Rodrigo Caio, zagueiro do São Paulo
Rumo à Olimpíada: Rodrigo Caio, zagueiro do São Paulo

Rodrigo Caio Coquette Russo é um paulista de Dracena que é profissional desde 2011 pelo São Paulo Futebol Clube. Desde então fez 181 jogos e marcou oito gols, alternado entre as posições de zagueiro, volante e algumas vezes até lateral, sendo sempre uma das maiores promessas da base do clube do Morumbi e também do futebol brasileiro.

O jogador apareceu para o grande cenário do futebol em 2010 quando conquistou a Copa SP de Juniores daquele ano num dos times mais promissores da base do seu clube, onde jogava ao lado de Casemiro (hoje no Real Madrid) e Lucas (no PSG, da França). Ele fez seu primeiro jogo como profissional no ano seguinte com o técnico Paulo César Carpegiani.

O jogador na época se declarou muito feliz na época de sua subida para o time principal, ainda estando na época na função de volante.

"É uma honra defender o São Paulo em qualquer categoria. Vejo sendo muito bom vir jogar quando não formos utilizados no profissional, e ficamos felizes em ajudar", disse o jogador.

"Não estava esperando isso, o jogo foi mais pegado do que imaginava. Mas na minha função de volante é normal ter contato desse jeito. É importante estarmos preparados para jogos difíceis", completou o jogador.

Numa atuação em que um time formado por muitos garotos foi extremamente criticado apos sofrer uma goleada por 5 a 0 diante do arqui-rival Corinthians. Ele faria ainda mais oito partidas pela equipe naquele ano, onde o time ainda foi comandado por Sergio Baresi (seu ex-técnico nas categorias de base) e que deu chance pra muitos de seus companheiros no time principal.

No ano seguinte além de ser firmar com mais partidas no elenco principal do time paulista, ainda participou da fraca campanha do time sub-20 da seleção brasileira que cairia na primeira fase do sul-americano, conseguindo de certa forma "se salvar" do vexame ainda fazendo um gol no torneio. No time principal conseguiu minutos graças as lesões e convocações de Iván Piris (o titular da posição na época).

Em 2013 mesmo com a forte turbulência no clube que teve dificuldades para se manter na primeira divisão naquele ano , sendo um dos nomes da rotação defensiva do time tricolor, com a incostância de nomes mais experientes como Paulo Miranda e Edson Silva, o "curinga" na época foi muito elogiado pelo então comandante Muricy Ramalho.

"Uma coisa que está mudando no futebol é o lado intelectual. Isso é fundamental. Ele corta caminho, você fala uma vez e ele entende, sabe mudar dentro de campo. Não podemos escolher um atleta porque ele corre ou joga bem. Tem de ser inteligente. O Rodrigo vai ser um grande jogador por isso", sintetizou Muricy sobre o jogador.

Em 2014 já com status de nome garantido no elenco ele vinha de temporada razoável, até fazer ótima apresentação no torneio de Toulon, na França. Onde impressionou olheiros de clubes do exterior e voltaria ao São Paulo para o restante do ano, porém uma lesão no ligamento do joelho interrompeu seu sólido ano e o fez parar por muito tempo só voltando em 2015.

"Foi uma emoção muito grande vestir a camisa da Seleção, porque é uma sensação única. Estou muito feliz pela oportunidade, principalmente com a conquista, e levarei essa experiência para sempre comigo.", disse o jogodor na época da conquista do torneio na França.

Em 2015 iniciou a temporada alternando entre a titularidade e a reserva com Muricy, já que tinha alguns minutos no campeonato estadual, mas os via reduzidos na disputa da Copa Libertadores. Depois da saída do técnico passou por um processo de quase saída do time do Morumbi.

Quase desembarcando na Espanha, primeiro no Atlético de Madrid e depois no Valencia, sendo na segunda ocasião reprovado nos exames médicose e assim voltando para o clube paulista. No retorno se tornou uma peça importante na equipe do técnico colombiano Juan Carlos Osorio que via nele um grande jogador.

Outro que também contou muito com Rodrigo Caio foi o técnico Doriva que no pouco tempo em que esteve no clube também o fez um homem de confiança, dando a titularidade para ele no centro da defesa. Completando 36 jogos ao todo na temporada de 2015.

"Ele foi muito bem de zagueiro, já havia jogado assim no (meu) primeiro jogo, contra o Fluminense, quando veio direto da seleção. Mas eu ainda não tinha conseguido passar muitas informações a ele. Ele jogou de volante depois. Mas fez uma grande partida hoje (sábado) e pretendo mantê-lo nessa posição", disse.

Nesta temporada às vezes ao lado de Maicon, outras vezes ao lado de Lugano, o zagueiro apesar das críticas internas e de parte da torcida. Deu a volta por cima e tem feito um ano sólido com 32 jogos e dois gols se tornando um dos principais nomes do esquema técnico de Edgardo Bauza.

"Sempre acreditamos bastante. Sabíamos que seria difícil, começamos a Libertadores muito mal, mas sabíamos que dependíamos somente da gente para mudar essa situação e conseguimos. Tem que valorizar bastante o grupo, a dedicação de todos, valorizar bastante nosso treinador porque sempre acreditou na gente e agradecer a torcida por nos apoiar e estar sempre conosco - disse, na chegada", sobre chegar na semifinal da Copa Libertadores.

"É um orgulho defender a camisa da Seleção. Fico muito feliz, é procurar aproveitar esse momento e aproveitar para aprender bastante. Pode ter a certeza que vou estar na torcida pelos meus companheiros e vou voltar para jogar a parte final da Libertadores, e espero que a gente possa conseguir esse título", disse.

"Digo que (a mudança) vai facilitar para a gente pelo fato de o Rogério conhecer todos jogadores da seleção olímpica. A gente vem trabalhando há um ano e meio em um esquema tático, modelo de jogo, a gente conhece o que ele gosta, tanto defensivo como ofensivamente. Isso facilita bastante. A gente não sabe a lista final, mas acredito que a grande maioria dos jogadores que vinha sendo convocada vão (aos Jogos)",  disse o zagueiro no programa Bem Amigos.

"Não tem jeito (de pensar só na convocação), claro que fico na expectativa, quarta-feira sai a lista final, mas tenho certeza que todo o trabalho que fiz, a dedicação, espero colher o fruto dessa vaga, é um sonho", completou no mesmo programa.

Ficha técnica:

Nome: Rodrigo Caio Coquette Russo

Nascimento: 17/08/1993

Local: Dracena - SP

Clube atual: São Paulo

Jogos pelo clube: 181

Gols pelo clube: 8

Convocações*: 2

Jogo: 1