Com força e determinação, Seleção Brasileira feminina buscará primeiro ouro Olímpico

Brasil chega aos Jogos Olímpicos com a experiência de Marta e Formiga, além do foco na medalha de ouro

Com força e determinação, Seleção Brasileira feminina buscará primeiro ouro Olímpico
(Foto: Ricardo Stuckert / CBF)

Depois de bater na trave duas vezes, a Seleção Feminina de futebol está novamente preparada para buscar o ouro nos Jogos Olímpicos. Com a garra de meninas que passaram por uma reformulação grande nos últimos anos, o Brasil poderá conquistar em casa o primeiro título da modalidade e, quem sabe, consagrar uma grande geração.

As expectativas do grupo para a Olimpíada são altas. Mesmo que o Brasil não seja uma grande referência no futebol feminino nacional, a seleção passou por um longo processo de mudanças, agora conta com um elenco permanente e que sofre poucas alterações. Com isso, as jogadoras conhecem bem suas companheiras e isso pode fazer diferença durante os Jogos. Além disso, a constante evolução em campo deve ser levada em consideração, o que deixa as brasileiras com chances de medalha.

A grande craque brasileira é Marta. Detentora de cinco Bolas de Ouro, campeã de diversos torneios e um dos grandes pilares dessa seleção, a rainha do futebol brasileiro e maior artilheira do Brasil, com 100 gols, será o grande destaque nacional. Aos 30 anos, a jogadora tem muito talento e experiência, o que será importante durante a Olimpíada.

Além dela, Formiga também é a base da equipe e estará presente em sua última caminhada Olímpica. Após anunciar que sua aposentadoria será definitiva depois do Rio 2016, a jogadora de 38 anos terá sua última chance de levar a medalha para casa, o que será um incentivo a mais para o grupo brasileiro.

Oswaldo Fumeiro Alvarez, mais conhecido como Vadão, é o comandante das meninas brasileiras. O treinador chegou à seleção no início de 2014 e fez parte do intenso processo de mudança da equipe nos últimos anos. Experiênte, Vadão passou por diversos times antes de chegar ao Brasil, incluindo muitos clubes de São Paulo e alguns de grande expressão no país, como Atlético-PR e Sport. Apesar de contestado, o técnico conhece bem suas jogadoras, o que pode ser um diferencial nos Jogos.