Para afastar desconfiança, Brasil enfrenta Iraque no Mané Garrincha

Após empate com a África do Sul, Seleção Brasileira busca primeira vitória nos Jogos Olímpicos

Para afastar desconfiança, Brasil enfrenta Iraque no Mané Garrincha
(Foto: Lucas Figueiredo / MoWa Press)

Após o empate frustrante diante da África do Sul, a Seleção Brasileira terá mais um desafio pela frente. Novamente jogando no Mané Garrincha, o Brasil enfrenta o Iraque, às 22h, e vai atrás dos primeiros pontos nos Jogos Olímpicos Rio 2016. O Grupo A começa a segunda rodada da Olimpíada da mesma forma que iniciou os Jogos: sem gols e sem pontos.

Assim como Brasil e África do Sul ficaram no empate sem gols, Iraque e Dinamarca não saíram do 0 a 0. Essa será a chance para as duas equipes de assumir a liderança uma rodada antes do fim da fase de grupos. Brasil e Iraque entram em campo sabendo o resultado da partida anterior, já que Dinamarca e África do Sul se enfrentam às 19h, também no Mané Garrincha.

Contando com a melhora de Neymar, Brasil tentará conquistar a torcida

O Brasil não agradou em seu primeiro jogo na Olimpíada. Vaiada e muito criticada, a Seleção Olímpica teve um desempenho ruim diante da África do Sul e, sem boa atuação de Neymar, acabou ficando no 0 a 0 e ainda levou sufoco do adversário, mesmo com um jogador a mais.

Sem muito tempo para treinamentos, a comissão técnica optou por trabalhos leves, com mais repouso e menos trabalhos no campo para evitar o desgaste dos atletas. Em entrevista coletiva, o treinador Rogério Micale comentou sobre a estratégia da Seleção: "Vamos rever o jogo, tempo é curto, momento maior de recuperação, não tem muito mais tempo para treinar, mas conversar e tentar avançar naquilo que puder".

Gabigol, que estava com dores no tornozelo esquerdo durante os treinamentos e sentiu novamente durante o último duelo, não será dúvida, como confirmou logo após o jogo: "Tomei uma pancada no começo do jogo e no segundo tempo me deu cãibras. Mas nada muito sério".

Se alguns jogadores foram criticados contra a África do Sul, Micale descartou a possibilidade de fazer grandes mudanças: "Na verdade, não me passa na cabeça por enquanto, preciso analisar várias situações para ter uma análise mais fria e equilibrada do jogo. Tenho convicções que não são mudadas pelo resultado. Tem o imponderável, circunstâncias que o futebol proporciona. É preciso ter tranquilidade, temos um trabalho realizado, um padrão, um conceito de jogo estabelecido, não é um empate que vai fazer a gente alterar tudo, isso traria mais prejuízo que benefício. Tem que ter tranquilidade, saber que houve empate no outro jogo do grupo e que podemos nos recuperar na próxima rodada".

Ousado, Iraque pode dar trabalho aos donos da casa

Poucos esperavam que a Dinamarca teria problemas para enfrentar o Iraque, mas foi isso que aconteceu. Diante de um estádio que esperava pela Seleção Nacional, as equipes animaram o primeiro confronto do futebol masculino nos Jogos Olímpicos apesar do 0 a 0.

O Iraque conseguiu comandar as ações ofensivas da partida e foi para cima dos dinamarqueses durante os 90 minutos sem medo. Com atletas habilidosos e a jogada individual como principal arma, os iraquianos podem surpreender o Brasil justamente nisso.

A equipe ainda optou por ir ao Rio de Janeiro nesta sexta-feira (5) para participar da Cerimônia de Abertura dos Jogos e voltará em seguida para Brasília, seguindo a preparação para o confronto.