Canadá bate Brasil, fica com bronze e Seleção Feminina termina Olimpíada sem medalha

A Seleção Brasileira parou no Canadá e termina a competição na quarta colocação; canadenses conseguem segundo bronze olímpico em sua história

Canadá bate Brasil, fica com bronze e Seleção Feminina termina Olimpíada sem medalha
Foto: Alexandre Schneider/Getty Images
Brasil
1 2
Canadá
Brasil : Bárbara; Fabiana, Rafaelle, Mônica e Tamires (Érika); Thaisa, Formiga e Marta; Andressa Alves (Poliana), Beatriz e Cristiane (Debinha). Técnico: Vadão
Canadá: Labbe; Belanger, Buchanan, Zadorsky e Lawrence; Matheson (Schmidt), Scott, Fleming, Rose (Chapman); Sinclair e Tancredi (Beckie). Técnico: John Her
Placar: Rose, aos 25 minutos, do 1º tempo; Sinclair, aos 7 minutos, e Beatriz, aos 33 minutos, do 2º tempo.
ÁRBITRO: Teodora Albon (Romênia) Assistentes: Petruta Iugulescu (Romênia) e Maria Sukenikova (Eslováquia)
INCIDENCIAS: Partida válida pela disputa do terceiro lugar dos Jogos Olímpicos 2016, realizada na Arena Corinthians, em São Paulo

Nesta sexta feira (19). O Brasil foi derrotada pelo Canadá por 2 a 1, na Arena Corinthians, em São Paulo, na disputa pelo bronze no torneio de Futebol Feminino dos Jogos Olímpicos Rio 2016. Com isso, as brasileiras se despedem da olimpíada sem melhada, mas com o carinho de todos os brasileiros.

A torcida lotou o estádio e empurrou a seleção brasileira, mas o sonho da medalha olímpica para a seleção brasileira feminina de futebol chegou ao fim. O Canadá conquistou pela segunda vez o bronze, repetindo 2012. Os gols da partida foram marcados por Rose, Sinclair e Beatriz.

Em 2012, nos Jogos de Londres, as Canadenses eliminaram a Grã-Bretanha nas quartas de final, mas faturaram o bronze em disputa contra a França. Pela segunda vez, estragam a festa do país-sede e levam uma medalha de volta para casa.

Mesmo sem medalha, o Brasil chegou longe mais uma vez. Em seis edições do futebol feminino nos Jogos Olímpicos, as brasileiras chegaram a cinco semifinais. Nas duas primeiras edições, o país ficou com a quarta colocação, assim como agora em 2016. Em Atenas e Pequim ficamos com a prata. Na última edição, sexto lugar.

Primeiro tempo abaixo do esperado e domínio canadense 

Apesar do estádio cheio e do apoio do público, a seleção não fez uma boa apresentação e a primeira etapa foi quase toda de domínio da equipe "visitante". Dominada pelas canadenses desde os primeiros minutos da partida, as brasileiras não jogaram um bom futebol. E, logo aos oito minutos, a equipe do Canadá assustou quando acertou o travessão em cobrança de falta de Sinclair, que buscava o ângulo na meta defendida pela goleira Bárbara.

Melhor na partida, o Canadá abriu o placar aos 25 minutos, em um contra-ataque perfeito. A lateral Lawrence ganhou a disputa com Fabiana pela esquerda e avançou até a área. Fez o cruzamento rasteiro para Rose, que empurrou a bola para o fundo da rede.

Marta estava bem marcada e não conseguiu ter liberdade para jogar. A principal chance da camisa 10 do Brasil foi através da bola parada, quando ela cobrou falta e Labbé defendeu. A Seleção teve dificuldades em criar jogadas ofensivas, errando passes fáceis.

Tentativa de reação sem sucesso no segundo tempo 

A tentativa de reação da equipe brasileira foi por água abaixo quando, aos sete minutos da etapa final, Sinclair fez o segundo gol das canadenses. A jogada foi toda pelo lado direito do ataque e contou com um erro individual na saída de bola brasileira. A melhor jogadora do Canadá marcou seu 11º gol em Jogos Olímpicos.

O Brasil conseguiu o gol em cobrança de lateral. Rafaelle mandou para o tumulto, Érika desviou, Beatriz dominou, girou e mandou no cantinho. O tento encerrou uma seca de 412 minutos. Foram empates sem gols com África do Sul, Austrália e Suécia.

Nos minutos finais, a Seleção Brasileira tentou o abafa, mas as jogadoras não foram efetivas em suas investidas. Debinha e Beatriz tentaram, porém, o tento não saiu. O Canadá soube administrar e as brasileiras não conseguiram o gol de empate, que levaria o jogo para a prorrogação, e terminaram os Jogos Olímpicos sem medalha.