Fator casa: apesar do 'Maracanazzo', seleção brasileira tem bom retrospecto em finais no estádio

Campeão da Copa América e recentemente da Copa das Confederações, Brasil retorna ao estádio querendo fazer história na Olimpíada

Fator casa: apesar do 'Maracanazzo', seleção brasileira tem bom retrospecto em finais no estádio
Em busca do primeiro ouro olímpico, seleção brasileira mostra bom retrospecto no Maracanã

No próximo sábado (20), um novo capítulo do futebol brasileiro será escrito no estádio Mario Filho. Disputando sua quarta final olímpica, a seleção masculina tem a chance de conquistar pela primeira vez a medalha de ouro em Olimpíadas. E não poderia ser em um palco diferente. Referência mundial e casa dos brasileiros, o Maracanã apresenta um bom retrospecto recente quando o assunto é a seleção de futebol do país.

Apesar de ser palco da principal eliminação do Brasil em Copas do Mundo, quando a seleção foi derrotada pelo Uruguai por 2 a 1 na final do mundial de 1950, episódio conhecido como 'maracanazzo'. Não só de decepções é feita a trajetória da equipe brasileira no estádio. Pelo contrário, no total são 107 partidas oficiais, com 77 vitórias, 23 empates e apenas 7 derrotas. Além disso, o desempenho recente aponta que há motivos para acreditar no ouro inédito em Olimpíadas. 

Sede do último título conquistado pela seleção, o estádio também recebeu a final da Copa América de 1989. Na época, o Brasil fez boa campanha na competição, com cinco vitórias e dois empates em sete partidas. Na finalíssima, era hora do reencontro. Brasil e Uruguai novamente se enfrentavam decidindo um título no Maracanã. Porém, dessa vez, o fim foi diferente. Diante de 132.743 presentes, com um gol marcado por Romário, o dia 16 de Julho ficou marcado para sempre na história da seleção brasileira e de um dos palcos mais famosos do futebol mundial.

Em 2013, o encontro mais recente. 24 anos depois de conquistar a Copa América, a seleção brasileira estava de volta ao estádio para disputar uma nova final. Dessa vez, com algumas diferenças. Em uma competição distinta, era também o primeiro jogo decisivo após a reforma do Maracanã, o "novo" palco parecia o cenário perfeito para mais um título. E assim se fez. Após uma campanha irretocável na fase de grupos com três vitórias em três partidas, o Brasil estava classificado para a fase decisiva da Copa das Confederações. Torneio de "tiro curto", a equipe brasileira derrotou o Uruguai nas semifinais e, na final, encarou a atual campeã mundial da época.

Apresentando o melhor futebol do mundo, a Espanha era a seleção a ser batida. Porém, para a seleção brasileira, esse fator não fez diferença no jogo. Com um time entrosado e motivado por atuar ao lado da torcida, no palco de grandes decisões, o Brasil não deu chances a "furia espanhola". Venceu a partida por 3 a 0 e se tornou o campeão incontestável do torneio. Conquistando então seu segundo título no estádio em quase duas décadas.

De volta ao Maracanã, o encontro da torcida desta vez era com a seleção olímpica. Comprovando que o estádio faz bem para o futebol do Brasil, novamente uma vitória irrefutável. O adversário era a seleção de Honduras. Com um 6 a 0 na semifinal, a equipe garantiu vaga para sua segunda decisão olímpica. Após um retrospecto ruim na primeira fase da competição, o desempenho cresceu na fase decisiva. A vitória sobre os hondurenhos no estádio acendeu a esperança e renovou a expectativa da torcida e dos jogadores para a disputa do ouro inédito em Olimpíadas.

O adversário da finalíssima porém, não traz boas lembranças. A Alemanha, responsável pela maior derrota do Brasil em Copas do Mundo, ainda causa calafrios no torcedor brasileiro. Contudo, há bastante diferenças apesar de ainda muito recente a eliminação traumatica. Momento, campanha, equipes, estádio. Tudo diferente. É chegada a hora de conquistar a primeira medalha de ouro olímpica. Após bater na trave três vezes. Jogos Olímpicos de Los Angeles em 1984; Seul-1988 e Londres-2012, a seleção brasileira tem uma nova chance de chegar ao primeiro lugar no pódio. Na primeira edição da Olimpíada no país, está será a quarta final disputada no estádio do Maracanã na história, e também quarta final olímpica do Brasil nos Jogos.