Tite celebra atuação da Seleção, mas contém euforia: ''Estamos no processo de evolução''

Brasil alcançou sua segunda vitória consecutiva ao bater a Colômbia por 2 a 1, em Manaus

Tite celebra atuação da Seleção, mas contém euforia: ''Estamos no processo de evolução''
(Foto: Getty Images)

Dois jogos. Duas vitórias. Não poderia ter sido melhor o início da era Tite na Seleção Brasileira. Após triunfo sem sustos diante do Equador, o Brasil não teve vida fácil contra a Colômbia, mas a vitória o colocou na vice-liderança das Eliminatórias para a Copa do Mundo 2018.

''Procuro equilibrar as coisas porque é um peso e uma responsabilidade muito grandes, mas foi sim acima do que eu imaginava. Estou feliz porque o desempenho foi acima do que eu pensava'', admitiu.

+ Brasil vence Colômbia e assume a vice-liderança das Eliminatórias

No segundo tempo, quando o jogo estava empatado, o treinador promoveu a entrada de Philippe Coutinho na vaga de Willian e, assim como na partida anterior, o Brasil melhorou seu desempenho. Tite percebeu isso ao analisar a participação do camisa 11:

''Ele sempre foi da esquerda pra direita no Liverpool, mas lá é Neymar. Adaptá-lo numa função mais central é difícil, mas vamos ver como se sente na direita. Mas também não posso passar a ideia de que vai jogar um jogo abaixo e vou tirar, estou falando do Willian, porque isso gera insegurança. Vou acompanhá-los nos clubes e dizer para jogarem muito em seus clubes, pois isso vai credenciá-los a serem ou não convocados'', disse o técnico, que pediu mais concentração aos jogadores  após levar o gol de empate:

''Até o momento do gol da Colômbia, só uma equipe jogou. Depois equilibrou, e no intervalo eu falei que precisava ter um nível de concentração muito alto. Fizemos um grande primeiro tempo, ficamos muito perto do segundo gol, mas tomamos o empate. Aí o que o atleta pensa, se fez tudo e não adiantou? Eu disse: “Pessoal, concentra”. E dentro da nossa característica de triangulação.''

Apesar do bom início, Tite nega time pronto: ''Está num processo de evolução. Não sei se a flutuação é mais ampla pela esquerda com o Neymar ou se ela é dupla. Estamos procurando competição de alto nível entre os atletas. É importante ter opções de qualidade. O Coutinho e o Giuliano entraram bem. Ontem eu falei para os reservas que dois ou três provavelmente decidiriam o jogo. Para se prepararem porque estavam treinando, e se houvesse um declínio técnico ou físico, iriam para o jogo.''

Os próximos compromissos da Seleção serão contra Bolívia, dia 07/10, e Venezuela, 11/10. Tite quer atenção máxima nestes dois confrontos: ''Serei direto: nível de concentração e comprometimento. Saber sofrer como equipe é fundamental. Eles vão saber que sem bola vão ter que trabalhar. O Neymar só vai aparecer se o conjunto der a ele o passe para o último terço do campo. O Marcelo só vai aparecer se o Casemiro der sustentação, o Renato abastecer, o Miranda na bola longa. É pré-requisito para vencer saber sofrer, marcar e competir.''