Sem Neymar, Brasil visita Venezuela em busca da quarta vitória seguida nas Eliminatórias

Seleção vai em busca de manter o 100% com Tite no comando, além de seguir na caça ao líder Uruguai, encarando a lanterna Venezuela

Sem Neymar, Brasil visita Venezuela em busca da quarta vitória seguida nas Eliminatórias
Foto: Rafael Ribeiro/CBF
Venezuela
Brasil
Venezuela: Hernández; González, Angel, Velazquez e Villanueva; Figuera e Rincon; Guerra, Ãnor e Peñaranda; Rondon. técnico: Rafael Dudamel
Brasil: Alisson; Dani Alves, Miranda, Marquinhos e Filipe Luis; Fernandinho; Paulinho, Renato Augusto, Philippe Coutinho e Willian; Gabriel Jesus. técnico: Tite
INCIDENCIAS: partida válida pela 10ª rodada das eliminatórias sul-americanas para copa do mundo da rússia 2018, a ser realizada no estádio Metropolitano de Mérida, na Venezuela.

O ótimo início de "Era Tite" terá mais um capítulo. Nesta terça-feira (11), às 21h30, o Brasil vai em busca da sua quarta vitória seguida nas Eliminatórias Sulamericanas para Copa do Mundo 2018, quando encara a lanterna Venezuela em Mérida. Além disso, a seleção quer manter o 100% de aproveitamento com Tite no comando.

As situações são bem opostas. Os venezuelanos umas Eliminatórias péssimas, com apenas dois pontos em nove jogos, sendo sete derrotas, além de ter o pior ataque, com apenas nove gols, e a pior defesa, onde já sofreu incríveis 24 tentos. A classificação para a Copa é improvável, mas uma vitória sobre a Seleção Brasileira daria um ânimo gigante em busca do feito.

Sem Neymar, o Brasil, vice-colocado nas Eliminatórias, quer a vitória para ficar ainda mais confortável na tabela, além de seguir na cola, ou, quem sabe, até passar o líder Uruguai. O momento é ótimo, mas pode ficar ainda melhor, já que a seleção busca seu quarto triunfo seguido, o que manteria o 100% da equipe com Tite no comando.

Lanterna Venezuela busca surpreender Seleção Brasileira

A situação da Venezuela nas Eliminatórias vai de mal a pior. Com apenas dois pontos em nove jogos, os venezuelanos já veem a vaga na próxima Copa do Mundo uma tarefa praticamente impossível, ainda mais com as péssimas atuações, seja dentro ou fora de casa.

Quem falou sobre o jogo foi o técnico Rafael Dudamel, que rasgou elogios ao "novo" Brasil de Tite"Este Brasil está recuperando um espaço perdido no futebol internacional. Está recuperando um prestígio que por algum momento esteve frágil. Eu gosto muito desse Brasil porque recuperou o trabalho sem a bola, entende o que o técnico quer, tem seus movimentos e rotações. Mais do que sua história, respeitamos seu bom momento".

Dudamel tem uma baita dor de cabeça para a partida. Expulso contra o Uruguai, o zagueiro Oswaldo Vizcarrondo é o único desfalque para a partida. No seu lugar deve entrar José Manuel Velázquez. Tirando isso, a equipe deverá ser a mesma da que foi derrotada pelos uruguaios em Montevidéu, com a principal esperança de gols nos pés da dupla Peñaranda Rondon.

Tite terá seu primeiro teste sem Neymar; Filipe Luís será o capitão

Em busca do quarto triunfo em quatro jogos à frente da Seleção Brasileira, Tite vai para a partida sem a principal estrela da equipe, que está suspenso. O técnico brasileiro admitiu que o jogador fará falta, mas disse que a seleção não pode ficar na dependência apenas dele, além de exaltar a opção de ter jogadores como Willian para o lugar do camisa 10.

"O fato do Neymar suspenso para o Gabriel não, mas quando falamos de Neymar, Messi, Cristiano Ronaldo. Que equipe não sente falta? Todas. Mas quem não gostaria de ter Willian ou outras opções como temos? É o senso de equipe. Se o Brasil ficar na dependência do Neymar é porque tem alguma coisa errada. Se ele não contribuir sem a bola também está errado", disse.

Além disso, o gaúcho também comentou sobre a oportunidade de mostrar serviço e regularidade sem o jogador do Barcelona"Maturidade de equipe, crescimento, desempenho. Não concordo em falar de Neymar dependência. A Argentina então não precisa só do Messi. Só vão aparecer individualidades se o conjunto estiver forte. Não contar com seu grande atleta é um processo de maturidade da equipe, há uma série de atletas com qualidade para fazer um bom jogo amanhã".

Para fechar, Tite também falou sobre o ótimo momento, dizendo que ele "não é o cara" e que se sente pressionado com toda essa empolgação, além de dividir o mérito do sucesso nestes seus primeiros passos como treinador da seleção com os jogadores e comissão técnica.

"Entendo a empolgação, as manifestações, mas me sinto pressionado em relação a isso. Há todo um legado do trabalho anterior, a qualidade dos atletas, e isso, confesso, me traz um peso excessivo. O conjunto determinou um desempenho, e se vocês (jornalistas) puderem ajudar a diluir isso eu vou ficar feliz. Eu não sou o cara, palavra de honra", finalizou.

Mesmo após a goleada, Tite deve ir para a partida com uma mudança por escolha. Além da saída de Neymar para a entrada de Willian, ele também deverá colocar fazer uma troca no meio-campo, iniciando a partida com Paulinho no lugar de Giuliano. Além disso, Filipe Luis será o capitão na partida, seguindo o rodízio da faixa feita por Tite.