Neymar x Argentina: brasileiro tem aproveitamento mediano em confrontos contra hermanos

Camisa 10 da seleção atuou diante da Albiceleste em oito oportunidades, com três vitórias, três derrotas e dois empates; estreia foi em 2010 no Superclássico das Américas

Neymar x Argentina: brasileiro tem aproveitamento mediano em confrontos contra hermanos
Arte: Hugo Alves/VAVEL Brasil

Líder das Eliminatórias e com 100% de aproveitamento na Era Tite, a Seleção Brasileira terá nesta quinta-feira (10) seu principal e mais complicado desafio desde que o comandante assumiu o cargo. Com casa cheia no Mineirão, os comandados do ex-Corinthians recebem a Argentina às 21h45 (horário de Brasília). Retornando de suspensão, Neymar voltará a ser a principal arma da seleção Canarinho diante dos hermanos.

Esta será a nona partida do camisa 10 diante da Argentina: no total, são oito jogos com três vitórias, três derrotas e dois empates. A estreia ocorreu há seis anos, em novembro de 2010 no Superclássico das Américas.

Disputada no Qatar - levantando polêmicas de corrupção por parte de cartolas brasileiros e argentinos pela escolha do local, o confronto terminou em 1 a 0 para os hermanos com gol solitário de Messi. Na ocasião, Ney ainda atuava pelo Santos.

Neymar é derrubado por Pareja; àquela época, jogador convivia com a fama de 'cai cai' | Foto: David Ramos/LatinContent/Getty Images
Neymar é derrubado por Pareja; àquela época, jogador convivia com a fama de 'cai cai' | Foto: David Ramos/LatinContent/Getty Images

Cerca de um ano depois, mais precisamente em setembro, ambas as seleções voltaram a se enfrentar pelo superclássico. Utilizando apenas jogadores atuantes nos respectivos países, o jogo de ida terminou sem gols em Córdoba, mas ainda é relembrado por conta da lambreta de Leandro Damião, hoje no Flamengo, em cima do lateral Emiliano Papa.

Na partida de volta disputada no MangueirãoNeymar enfim marcou seu primeiro gol sobre os hermanos: o atacante fez o segundo no 2 a 0 diante da Argentina, com Lucas Moura abrindo o placar naquela ocasião. Confira os gols:

Boa atuação de Neymar é ofuscada por hat-trick de Messi

Dois anos após sua estreia diante da Argentina, Neymar enfim disputou um grande jogo a altura do clássico continental. Realizado no MetLife Stadium em Nova Iorque, uma atuação de gala de Lionel Messi ofuscou a boa partida do brasileiro realizada em junho de 2012.

Messi celebra atuação de gala e hat-trick diante do Brasil | Foto: Tim Clayton/Corbis via Getty Images
Messi celebra atuação de gala e hat-trick diante do Brasil | Foto: Tim Clayton/Corbis via Getty Images

Ainda com Mano Menezes no comando, o Brasil abriu o placar com o volante Rômulo, mas viu Messi marcar duas vezes em menos de dois minutos ainda no primeiro tempo. Na etapa complementar, Oscar empatou e Hulk virou para os brasileiros. Aos 30', o zagueiro Fernández voltou a igualar um marcador e nove minutos depois, em um lance genial, o melhor jogador do mundo estufou as redes de Rafael Cabral e colocou a Argentina à frente no placar.

Retorno do Superclássico e vergonha por parte da AFA

Dois meses depois, as seleções voltaram a se enfrentar e novamente pelo Superclássico das Américas. Realizado no Serra Dourada, o confronto de ida terminou 2 a 1 para os donos da casa: os hermanos abriram o placar com o atacante Juan Martínez, mas com gols de Paulinho - em posição irregular e Neymar, de pênalti nos acréscimos da etapa complementar, o Brasil venceu e foi para o jogo de volta em vantagem.

Marcado para outubro, o embate que definiria mais um 'campeão do Superclássico' acabou sendo cancelado por falta de energia no palco do confronto. Por questões políticas, a AFA (Associação de Futebol Argentino) mandou a partida para  Resistencia - com mais de 1.000 quilômetros de distância em relação a Buenos Aires.

Na ocasião, as torres de iluminação apagaram durante a execução dos hinos nacionais. Passaram-se uma hora até que o jogo enfim fosse cancelado e adiado para uma nova data.

Após uma hora de paralisação, partida não foi nem iniciada e nova data foi marcada | Foto: Alfredo Herms/LatinContent/Getty Images
Após uma hora de paralisação, partida não foi nem iniciada e nova data foi marcada | Foto: Alfredo Herms/LatinContent/Getty Images

Nova data. Novo local. Novo jogo. Após o vexame em Resistencia, La Bombonera foi escolhida como palco da partida de volta do superclássico. Em confronto nervoso, o atacante Ignacio Scocco marcou duas vezes para a Argentina e o resultado do jogo de ida se repetiu; Fred descontou para o Brasil e levou a decisão para os pênaltis.

Nas penalidades, superioridade dos brasileiros, que perderam apenas um pênalti com o lateral Carlinhos, hoje no São Paulo; pelos donos da casa, Martínez parou em Diego Cavalieri Montillo chutou por cima. Coube a Neymar fechar o placar e garantir mais um troféu do superclássico para a Seleção Canarinho.

Vitória no Superclássico e empate nas Eliminatórias

Já na Era Dunga pós o 7 a 1 na Copa do Mundo no Brasil, as seleções se enfrentaram na China em confronto único pelo Superclássico das Américas. Com dois gols de Diego Tardelli, mais um troféu do torneio amistoso para os brasileiros; já como jogador do BarcelonaNeymar foi mero coadjuvante na partida.

Capitão, Neymar levantou o troféu do Superclássico das Américas | Foto: Feng Li/Getty Images
Capitão, Neymar levantou o troféu do Superclássico das Américas | Foto: Feng Li/Getty Images

Após sete jogos com caráter amistoso, Neymar enfim estreou em confronto oficial diante da Argentina em novembro de 2015, em partida válida pela terceira rodada das Eliminatórias para 2018. No Monumental de Nuñez e sem Messi, os hermanos saíram na frente do placar com gol de Lavezzi

Aos 13' da etapa complementar, Lucas Lima aproveitou rebote em finalização de Douglas Costa e igualou o marcador, deixando os donos da casa sem vitória em três jogos de Eliminatórias na ocasião. Ainda sem encaixar seu melhor futebol como no Barcelona, Neymar teve atuação apagada.

Vale lembrar que a partida ocorreu no triste dia dos atentados terroristas em Paris com autoria do Estado Islâmico, que matou 137 pessoas e feriu mais de 350.

Atuação apagada e mais críticas oportunistas: Neymar viveu maus momentos sob o comando de Dunga | Foto: Charly Diaz Azcue/LatinContent/Getty Images
Atuação apagada e mais críticas oportunistas: Neymar viveu maus momentos sob o comando de Dunga | Foto: Charly Diaz Azcue/LatinContent/Getty Images

Nesta quinta, Neymar e companhia terão o primeiro clássico sob o comando de Tite. Será a melhor oportunidade para os atletas e comissão técnica se consolidarem com o novo comando na beira do gramado, que tem 100% de aproveitamento e que atualmente ocupa a liderança das Eliminatórias após péssimo início sob a tutela de Dunga.