Emily Lima é demitida da Seleção Feminina e critica "falta de respaldo" por parte da CBF

Treinadora foi primeira mulher a assumir o comando da Canarinho; Emily deixa o cargo após dez meses de trabalho

Emily Lima é demitida da Seleção Feminina e critica "falta de respaldo" por parte da CBF
(Foto: Lucas Figueiredo/CBF)

Fim da linha: na manhã desta sexta-feira (22), foi anunciado que Emily Lima não é mais treinadora da Seleção Brasileira Feminina. A comandante foi demitida após reunião com Marco Polo del Nero, presidente da CBF.

Primeira mulher na história a comandar o Brasil, Emily assumiu a Canarinho em novembro de 2016, já pensando no próximo ciclo de Olimpíadas e Copa do Mundo. Dos últimos cinco comandantes da Seleção Feminina, Emily foi a única a passar menos de um ano no cargo, tendo sido demitida após dez meses de trabalho.

A treinadora deixa a Seleção após 13 jogos, com sete vitórias, um empate cinco derrotas. Vale lembrar que a ex-volante não chegou a comandar o Brasil em jogos oficiais: todos os confrontos disputados pela treinadora foram amistosos. Após treinar a Canarinho Feminina na Rio2016Oswaldo Vadão é o mais cotado para assumir o cargo.

Emily Lima detona "falta de respaldo" por parte da CBF e critica Marco Aurélio Cunha

Após o anúncio de sua demissão, Emily não poupou palavras para demonstrar sua insatisfação com a coordenação técnica da CBF. Em entrevista à espnWa treinadora falou sobre a falta de apoio da entidade e seus problemas com Marco Aurélio Cunha, coordenador do futebol feminino da Seleção.

"Eu já imaginava que isso fosse acontecer. Não pelos resultados em si, como alegaram, mas pela falta de respaldo da coordenação técnica. Não tive esse respaldo do Marco Aurélio. Já entrei com ele contra mim, então foi complicado. Busquei os resultados do Vadão. Foram vários negativos, 3 a 0, 4 a 0, mas no caso dele isso nunca importou", afirmou.

(Foto: Fernanda Coimbra/CBF)
(Foto: Fernanda Coimbra/CBF)

A (ir)realidade do futebol feminino profissional no Brasil

Emily ainda disse que o planejamento do trabalho era de longo prazo, mas que percebeu as dificuldades desde seu primeiro dia no cargo. Para a treinadora, Marco Aurélio Cunha seria "os olhos do presidente" e teria rejeição direta pelo seu trabalho na Canarinho.

"Quando eu entrei, o planejamento sempre foi trabalho de longo prazo. Mas logo no começo desses dez meses vi que seria bastante difícil porque o coordenador é os olhos do presidente. O Marco Aurélio nunca disse que era contra mim e vai continuar negando, mas tenho informações de dentro da CBF (...) Mas é vida que segue. Saio de cabeça erguida, sabendo que toda a comissão técnica trabalhou e fez um trabalho diferente", completou Emily.

Atletas da Seleção pediram permanência de Emily em carta enviada à CBF

No último dia 19, as jogadoras da Seleção enviaram uma carta à Marco Polo del Nero e Marco Aurélio Cunha pedindo, justamente, paciência com o trabalho de Emily. A carta foi divulgada nesta sexta pela espnW. Em um trecho específico, as atletas citam a "mudança de conceito" na Canarinho e afirmam que a treinadora e sua comissão técnica são os mais preparados para "resgatar novamente o futebol brasileiro". Confira a carta na íntegra abaixo:

(Foto: Fernanda Coimbra/CBF)
(Foto: Fernanda Coimbra/CBF)

"Newcastle, 19 de setembro de 2017

Prezado senhor presidente Marco Polo del Nero,

Viemos por meio desta apresentar nossos agradecimentos pelo apoio e oportunidade que nos têm sido concedidos. Gostaríamos de comunicar ao senhor que foi feita uma reunião com o senhor supervisor Marco Aurélio Cunha no dia 19/09/201 em Newcastle, Austrália, a fim de expressar o sentimento das atletas em relação ao trabalho da comissão técnica da Seleção Brasileira Feminina principal. 

As atletas concordam que essa comissão seja a mais bem preparada para a continuação desse novo ciclo. Sabemos que os últimos resultados não foram os esperados, mas devemos levar em consideração o tempo hábil para se trabalhar, as seleções que foram enfrentadas e, principalmente, a mudança de conceito em relação a treinamentos e jogos para resgatar novamente o futebol brasileiro, que foi se perdendo ao longo dos anos. 

Entendemos que isso demanda tempo e estamos cientes de que hoje é feito um trabalho de excelência, que gerarão bons frutos a médio prazo. 

Agradecemos a vossa compreensão."

Seleção Brasileira