Alisson atribui bom momento na Seleção Brasileira a trabalho de Taffarel: "Lapida os goleiros"

Goleiro da Canarinho deu créditos a campeão do mundo por bom momento de arqueiros na Seleção; jogador concedeu entrevista coletiva a poucos dias de amistoso contra o Japão

Alisson atribui bom momento na Seleção Brasileira a trabalho de Taffarel: "Lapida os goleiros"
(Foto: Pedro Martins/MoWa Press)

Goleiro da Roma e da Seleção BrasileiraAlisson mostrou nesta terça (7) que a inspiração de um ídolo sempre pode superar a rivalidade interclubes. Durante a preparação para amistoso contra o Japão, o arqueiro revelou em entrevista que seu grande ídolo no futebol é Gianluigi Buffon, jogador que defende a meta da Juventus.

"Gosto muito de ver suas defesas, meu ídolo é o Buffon, um cara em quem me inspiro muito. Ele é um dos maiores goleiros da história, senão o maior. Ele está sempre bem posicionado, por isso joga numa idade mais avançada. Tenho observado muito o De Gea, ótimo trabalho no Manchester. E gosto também do Oblak, que sempre fez bom trabalho no Atlético de Madrid"

Alvo de críticas após passar a temporada 2016/2017 no banco da equipe de Eusebio di Francesco, Alisson garantiu em entrevista que sempre soube lidar com a reprovação. Para o goleiro, o essencial é sempre estar consciente acerca do potencial de seu próprio trabalho.

Fernandinho revela conversa com Tite por função em amistoso e mostra ansiedade para a Copa

(Foto: Robbie Jay Barratt - AMA/Getty Images)
(Foto: Robbie Jay Barratt - AMA/Getty Images)

"Eu sempre procurei lidar de maneira positiva com críticas por eu não ter ritmo de jogo, mas sempre soube da minha qualidade. Eu me conheço melhor do que ninguém, sei o que posso render, em nenhum momento amoleci. Sempre procurei olhar para esse momento de assumir a titularidade da Roma. Isso passa confiança maior ao torcedor e à imprensa, sou mais visto jogando a Champions. A fase ajuda", afirmou.

Ainda segundo o arqueiro, um gigante ex-jogador é diretamente responsável pela evolução no nível dos goleiros da Canarinho: Taffarel. Na opinião de Alisson, o goleiro campeão da Copa do Mundo de 1994 é quem deve levar o crédito pelo atual trabalho de alto nível no grupo da Seleção.

"Hoje 90% da importância do meu treinamento e dos outros goleiros está com o Taffarel. Passamos a maior parte com ele, em trabalhos específicos. É de extrema importância, um trabalho intenso, curto. Temos pouco tempo, mas é um trabalho que o Taffarel lapida os goleiros para estarmos preparados no jogo", declarou Alisson.

Seleção Brasileira tem novo compromisso marcado na manhã desta sexta (10). A Canarinho enfrenta o Japão em amistoso no estádio Pierre Mauroy, na cidade de Paris; a bola rola às 10h (Brasília).

Confira outros trechos da coletiva de Alisson:

Goleiros em atividade no Brasil"A defesa mais falada é do Marcelo Grohe, pela Libertadores. É um goleiro que admiro muito, um amigo. Trabalhamos na Seleção, somos praticamente vizinhos de cidade, crescemos juntos. Ele vem fazendo um grande trabalho. E o Danilo Fernandes, por ser do meu time, acompanho bastante. Cresceu o nível no futebol brasileiro. Vejo poucos jogos pelo fuso, mas Vanderlei, Cássio e Fábio também."

"Problema" de Tite: "Tite tem um grande problema (risos). Acredito que da maneira como ele vem fazendo é a correta, colocando jogadores que ele acredita que deva colocar, fazendo alguns testes. É importante também manter uma espinha dorsal, uma base. Mas testes são válidos, todo mundo quando chegar a Copa tem de estar pronto, independentemente de ter jogado ou não. Os treinamentos contam muito."

Tite"Tite tem um grande problema (risos). Acredito que da maneira como ele vem fazendo é a correta, colocando jogadores que ele acredita que deva colocar, fazendo alguns testes. É importante também manter uma espinha dorsal, uma base. Mas testes são válidos, todo mundo quando chegar a Copa tem de estar pronto, independentemente de ter jogado ou não. Os treinamentos contam muito."

Momento na Roma"Lideramos um dos grupos da morte da Liga dos Campeões, com Chelsea e Atlético. Eu continuo trabalhando muito forte para aumentar meu nível, crescer no futebol, e que o trabalho se reflita na Seleção."

Evolução"Temos que procurar melhorar, sou mais experiente agora do que na temporada passada, mas sempre bato na tecla do trabalho. Treinar forte, me dedicar sempre, independentemente das circunstâncias. Hoje estou melhor preparado por ter ritmo de jogo, sequência no meu clube. Quando não tive, consegui driblar a sequência e manter nível alto na Seleção."