Com vantagem do primeiro jogo, Vasco da Gama encara CRB para seguir na Copa do Brasil

Cruzmaltinos venceram por 1 a 0 em Maceió e avançam com qualquer empate; clube tenta manter série invicta

Com vantagem do primeiro jogo, Vasco da Gama encara CRB para seguir na Copa do Brasil
(Foto: Carlos Gregório Júnior/Vasco da Gama)
Vasco da Gama
CRB
Vasco da Gama: Martín Silva; Madson, Rodrigo, Luan e Júlio César; Marcelo Mattos, Julio dos Santos, Andrezinho e Nenê; Jorge Henrique e Thalles. Técnico: Jorginho.
CRB: Juliano; Jonathan Bocão, Audálio, Diego Jussani e Diego Corrêa; Olívio, Rivaldo, Dakson e Gérson Magrão; Luidy e Neto Baiano. Técnico: Mazola Júnior.
ÁRBITRO: Francisco de Paula dos Santos Silva Neto (RS), auxiliado por Jorge Eduardo Bernardi (RS) e Lúcio Beiersdorf Flor (RS)
INCIDENCIAS: Segundo confronto entre as equipes válido pela segunda fase da Copa do Brasil 2016. Partida a ser realizada no Estádio de São Januário, no Rio de Janeiro/RJ, às 19h30 desta quarta-feira (18).

O momento do Vasco da Gama é fantástico. O time cruzmaltino conquistou o bicampeonato carioca, vai bem na Copa do Brasil, iniciou a Série B do Campeonato Brasileiro com uma sonora goleada sobre o Sampaio Corrêa no Maranhão e não perde há 27 partidas. Com tudo ao seu favor, a equipe vai em busca da classificação para a terceira fase da Copa do Brasil. O adversário será o CRB, às 19h30 desta quarta-feira (18), no Estádio de São Januário.

O primeiro confronto entre as equipes foi realizado uma semana atrás, no Estádio Rei Pelé, em Maceió. O Vasco venceu por 1 a 0, com gol assinalado por Rodrigo, e adquiriu a vantagem do empate para o segundo duelo. Aos regatianos, restam a vitória por dois gols de vantagem ou por um de diferença acima de 2 a 1. Triunfo simples alagoano leva para a disputa das penalidades máximas.

Vasco tem retorno de importantes atletas, mas fica sem Riascos

Se o Vasco da Gama mantém os números expressivos, deve-se ao fato da comissão técnica e dos jogadores estarem completamente unidos e focados na luta pelos objetivos principais do clube na temporada. A vitória conquistada debaixo de muito suor e a categórica atuação no fim de semana premiaram a rápida passagem pelo Nordeste com resultados satisfatórios. Agora, na semana que joga dentro de casa, o time espera manter a mesma pegada.

Para o confronto, o técnico Jorginho conta com o retorno de atletas importantes. O goleiro Martín Silva conseguiu liberação junto à Seleção do Uruguai e se apresenta à Celeste Olímpica apenas no começo da próxima semana de olho na preparação para a Copa América Centenário. A dupla de zaga titular deve estar de volta. Após chocar-se com a trave contra o Sampaio Corrêa, Rodrigo não apresenta problemas que o impeçam de entrar em campo; enquanto Luan está completamente recuperado das dores na panturrilha esquerda que o afastaram dos gramados desde a decisão do Campeonato Carioca.

Porém, a grande ausência é o atacante Riascos. O contrato de empréstimo do colombiano, que ganhou o apreço da torcida, foi encerrado no último domingo e o Cruzeiro, clube detentor de seus direitos, afirmou que pretende utilizar o jogador na sequência do Campeonato Brasileiro da Série A. Entretanto, a diretoria do Vasco negocia com os mandatários da Raposa para chegarem em um acordo satisfatório para todas as partes envolvidas.

Em entrevista coletiva, o camisa 10 Nenê afirmou que Thalles é o melhor substituto no ataque por não modificar o esquema tático. Além disso, o ídolo vascaíno afirmou que todo o grupo conversou seriamente sobre manter o foco nas duas maiores competições do futebol nacional.

"De imediato seria o Thalles. Eu creio que ele pode nos ajudar muito. Mesmo ele não jogando tanto, ele tem seis gols. Ele nos ajudou bastante, na Copa do Brasil mesmo. Creio que ele pode perfeitamente cumprir esse papel e ser essa referência na frente. Ano passado, eu não estava aqui. Mas o time tinha sido campeão e deu uma relaxada. Começa mal, tenta recuperar e não consegue. Sabemos que temos que continuar com a mesma pegada. Nós mostramos que entendemos realmente o recado. Sabíamos que, se igualássemos na vontade de vencer do outro time, nossa técnica sobressairia", comentou Nenê.

Na base da premiação financeira, CRB tenta fazer jogo histórico

O fim de semana foi muito exaltado pelos atletas do CRB. Na estreia do Campeonato Brasileiro da Série B, o Galo venceu o Londrina no interior paranaense e começou muito bem a competição nacional. Embalados pela vitória, a delegação espera manter a pegada e reverter a vantagem vascaína. Ganhar do Vasco da Gama em São Januário pode simbolizar a quebra de 27 jogos de invencibilidade dos cariocas, além de possibilitar o avanço para a terceira fase da Copa do Brasil, algo nunca ocorrido na história do clube alvirrubro.

Para o duelo desta noite, o técnico Mazola Júnior não deve realizar modificações em relação ao duelo contra o Londrina. Embora o comandante não revele com antecedência a escalação inicial, por jogar fora de casa, os seus comandados devem ser mantidos para repetir a formação tática, com um time focado na marcação e no contra-ataque.

O fato histórico pode contribuir para o CRB buscar a classificação, e a diretoria regatiana garantiu premiação financeira a todos os envolvidos no duelo de São Januário. Em entrevista a Super Rádio Brasil, o diretor de futebol da equipe alagoana afirmou que o time ganha R$ 300 mil em caso de sequência na Copa do Brasil.

O zagueiro Diego Jussani explicou que os dois clubes tem pontos em comum, vivem bons momentos com as conquistas dos respectivos bicampeonatos estaduais e o fato de se encontrarem durante o Campeonato Brasileiro da Série B aumenta ainda mais o desafio. Segundo o defensor, o páreo é motivador e o time vai em busca da vitória.

"Eu penso que é um jogo histórico, porque o Vasco ainda está invicto no ano, o CRB nunca passou para a terceira fase da Copa do Brasil, e a gente tem que ganhar na casa adversária. Então, eu acho que é um jogo que vai ficar para a história do CRB, para a nossa história. Que a gente possa conseguir esse êxito. E está todo mundo respeitando muito, mas também muito tranquilo, sabendo que vai ser um jogo difícil demais, do jeito que foi em casa, mas sabendo que a gente pode, sim, sonhar com grandes voos", disse Jussani.