Jorginho cobra evolução do Vasco mesmo com vitória sobre Tupi: ''Poderíamos ter feito mais''

Cruzmaltino vence segunda partida seguida na Série B, mas técnico pondera: ''Podia ser uns 3 a 0''

Jorginho cobra evolução do Vasco mesmo com vitória sobre Tupi: ''Poderíamos ter feito mais''
(Foto: Divulgação/Vasco)

São 29 jogos invictos, porém estes últimos não convenceram muito o técnico Jorginho e a torcida cruz-maltina. Na vitória por 1 a 0 sobre o Tupi-MG, neste sábado (21) em São Januário, gol de Luan, o time fez um jogo de baixo nível, mesmo se considerar uma melhora entre o primeiro e segundo tempo. Para o comandante ajustes serão necessários.

“Estou feliz por mais uma vitória. Estamos em primeiro lugar, completamos 29 jogos sem derrota e isso é maravilhoso. As questões táticas da equipe, vamos tratar durante a semana. Tivemos um bom volume de jogo, boas possibilidades, excelentes combinações e faltou completar a construção do trabalho. Poderíamos ter feito mais, podia ser uns 3 a 0, mas vencemos. Vamos trabalhar. Tivemos a mudança com a saída do Andrezinho e a entrada do Evander, mas queríamos seguir em cima do Tupi, sem recuar, e conseguimos da vitória”.

A caminhada é longa e o treinador vascaíno prepara seu grupo para poder contar com peças de reposição, como foi o caso da partida de hoje. Aos cinco minutos, o meia Andrezinho sentiu um incômodo na perna direita precisou ser substituído pelo jovem Evander que para Jorginho está sendo um jogador em evolução. “Jogador que quando ia dar pressão no homem da bola, já ia driblado. Mas hoje já tem uma noção de marcação. Ofensivamente, é um jogador muito bom e criativo, o que eu peço pra ele é mais personalidade. No campo, o que a gente fez foi trazer o Jorge Henrique para o meio e ele para esquerda. Já que ali não era a posição dele”.

Sobre a questão do seu jogador equilibrista do meio campo, Jorginho o coloca sobre os cuidados do Caprres e do preparador físico Alex Evangelista “Vamos ver, temos um trabalho muito bom com Caprres, de prevenção e recuperação de atletas. A importância de segurar um atleta, a gente lamenta muito que foi logo no inicio do jogo, mas vamos aguardar, se não der para voltar com ele a gente tem opções. Eu preferi manter a equipe ofensiva. Poderia ter colocado o (Bruno) Gallo, mas coloquei o Evander. Se não der pra contar o Andrezinho, a gente vai ver o que fazer”.

As lesões não são a única preocupação para o desmanche do time base vascaíno. O treinador não poderá contar com seu goleiro titular Martín Silva, pois o uruguaio foi convocado para representar sua seleção na Copa América do Centenário de 3 a 26 de junho. “O próprio Martín tem dado força para o Jordi. Tem uma estatura excelente, muita agilidade, são detalhes que eu tenho pedido para o Fábio Tepedino (preparador de goleiros) trabalhar com ele. E a gente acredita que ele pode melhorar. Essas caraterísticas são boas. O goleiro precisa de jogo e às vezes fica sem jogar. Isso é a maior dificuldade dele”, no lugar de Martín, o prata da casa assume o posto com muita responsabilidade. 

Contente com o grupo, a dupla do comando técnico elogia suas peças e deposita confiança nos jogadores. Neste jogo, pontuou ao jovem Thalles sua localização em campo, centralizado na área e observou a necessidade de melhora nas conclusões ao gol. Pela lateral do campo, o dono da posição é Madson, porém a atuação de Pikachu foi excelente, o que engrandece o elenco.

O início é fundamental. O fim é melhor, mas o fundamental é conquistar os pontos necessários. Estamos em duas competições daqui prante. As coisas acontecendo positivamente fluem muito mais. Com certeza, atrapalha muito tomar gol no início. Eu falo para os meus jogadores, tem que ter uma boa sequência. O grande jogador de seleção não é o que tem altos e baixo, é o que tem regularidade. E a nossa equipe não perde há 29 jogos”, completou afirmando que a invencibilidade é importante, mas não é a prioridade. “É uma consequência, no momento que a gente ganha os pontos. É bom que é uma motivação a mais, eu quero fazer histórias como treinador e falo para os atletas o quanto é importante deixar o nome na historia do Vasco da Gama”, concluiu.