O Esquadrão Imortal encontrou a frente vascaína no Intercontinental de 1957

O histórico time espanhol do Real Madrid foi derrotado pelo Vasco da Gama, que ergueu o troféu de campeão Intercontinental em Paris

O Esquadrão Imortal encontrou a frente vascaína no Intercontinental de 1957
Um parte do elenco marcante do Real Madrid do período de 1955 a 1960 (Foto: Getty Images)

Foi melhor time do século XX. O Real Madrid queria conquistar o continente, aquele time não possuía adversário na Europa. No entanto, além-mar, os merengues encontraram um humilde time brasileiro que aceitou o convite para participar do primeiro Torneio Internacional de Paris. O Vasco da Gama foi campeão invicto desta competição ao derrotar o grande Real Madrid de Di Stéfano na final por 4x3.

O time cruz-maltino encantou a todos, o futebol daquele grupo envolveu o time espanhol que havia sido bicampeão da Copa dos Campeões da UEFA. Esta derrota na decisão do Intercontinental de 1957 viria a ser a única queda para um time não-europeu em todo o período de 1956 a 1960 do Esquadrão Imortal.

O Real Madrid era o favorito ao título da competição inaugurada naquele ano. No jogo diante o time alemão Rot-Weiss Essen, os espanhóis não tomaram conhecimento do adversário e salpicaram cinco gols. Para a partida da final contra o clube carioca, o timaço espanhol que gostava de golear os adversários se colocou a frente do placar. Porém, do outro lado havia jogadores habilidosos e velozes, que logo empataram a partida e conduziram resultado já conhecido.

Avistando a derrota, o Real Madrid se apresentou nervoso, algo incomum em campo. O camisa 9, Di Stéfano sumiu do jogo após marcar o primeiro gol. A muralha da defesa foi às ruínas e o ataque avassalador se desmontou. Um time brasileiro conseguira vencer o campeão dos campeões. Neste jogo foi possível ver que o Real não era nenhum time invencível.

Inesquecível

O grupo do Real Madrid está marcado na história do futebol mundial, entre tantos títulos foi campeão Mundial Interclubes de 1960, primeiro e único pentacampeão consecutivo da UEFA (1955-56, 1956-57, 1957-58, 1958-59 e 1959-60), tetracampeão espanhol (1954-55, 1956-57, 1957-58 e 1960-61). Seu presidente Santiago Bernabéu queria grandeza, construiu um estádio próprio, formulou um projeto, trouxe técnicos experientes como José Villalonga, Luis Carniglia e Miguel Muñoz.

O time base daquele grandioso Real Madrid era formado por Juan Alonso (Rogelio Domínguez), Marquitos (Ángel Artienza), José Santamaría (José “Joseíto” Iglesias), Rafael Lesmes (Pachín), Juan Santisteban (Vidal), Miguel Muñoz (Enrique), Mateos (Del Sol), José María Zárraga, Raymond Kopa (Canário), Héctor Rial (Ferenc Puskás), Francisco Gento (Ramon Marsal Ribó). Até mesmo o craque, Di Stéfano que viria a conquistar a Bola de Ouro nos anos de 1957 e 1959, se rendeu ao ballet dos brasileiros.

Naquele ano, o Vasco da Gama conquistou o título do Torneio Intercontinental de Paris diante de um dos maiores times que o futebol mundial já teve, o Real Madrid do Esquadrão Imortal.