Comparado a ídolo Mauro Galvão, Luan disputa Olimpíada do Rio 2016 em nome do Vasco

Conheça um pouco da trajetória do zagueiro vascaíno que foi convocado para disputar os Jogos Rio 2016.

Comparado a ídolo Mauro Galvão, Luan disputa Olimpíada do Rio 2016 em nome do Vasco
(Foto: Paulo Fernandes/Vasco da Gama)

Talvez não fosse o favorito a compor a Seleção Olímpica. Alguns podem até dizer que existiam outros nomes melhores. Também tem aquela velha desculpa: "Ah, ele atua em um time que está disputando a Série B". Nada disso importa mais, Luan Garcia Teixeira está convocado e irá vestir a camisa verde e amarela em busca da tão desejada medalha de ouro.

Na manhã desta quarta-feira (29), o treinador Rogério Micale, contando com a presença de Tite, anunciou os convocados que disputarão os Jogos Rio 2016. Entre tantos nomes, dois vascaínos estavam na pré-lista: Luan e Jordi. Ambos não eram favoritos, tinham como disputa nomes como os experientes Thiago Silva e Fernando Prass. Infelizmente, para Jordi não foi desta vez, mas Luan servirá à Seleção Brasileira a partir do dia cinco de agosto, e pretende só voltar para São Januário depois do dia 21 do mesmo mês, quando será a final. E claro, com um brilho dourado pedurado no pescoço.

+Anunciado os jogadores que disputarão os Jogos Rio 2016

Quando chegou ao Vasco, Luan tinha apenas 9 anos. Nascido em Vitória, capital do Espirito Santo, foi criado em Fundão, interior do estado. Vindo de família de vascaínos, o capixaba jogava em escolhinhas de futebol da região e já demonstrava grande talento, até que um dia recebeu um convite para ir ao Rio de Janeiro fazer um teste no Gigante da Colina. Chegando, passou para o mirim e começou sua carreira no esporte.

Com o tempo, passou a ser considerado como promessa. Ainda na base, já era comparado ao ídolo vascaíno Mauro Galvão, por sua frieza e técnica nas jogadas. Ao longo que foi passando de categorias, recebeu inúmeros conselhos que fez questão de ouvi-los, ainda mais sobre sua postura pouco agressiva com os adversários. O zagueiro não sabia utilizar força e ao mesmo tempo técnica. Sempre era visto com uma excelente saída de bola, mas não 'chegava duro' nos rivais.

"Eu era técnico demais. Não dava porrada. Hoje sei que tenho de chegar junto e dar chutão quando se faz necessário. Acredito que estou bem mais completo, mas sempre ciente de que a vida no futebol é um aprendizado constante", disse o zagueiro.

(Foto: Buda Mendes/Getty Images)

Foi relacionado na primeira vez a um jogo profissional em 2012, quando ficou no banco na partida contra o Corinthians, em São Januário. Foi fazer sua estreia contra o Náutico, no Estádio dos Aflitos, entrou no segundo tempo improvisado de lateral. Na partida seguinte, contra o Bahia, ainda improvisado, começou como titular, e marcou seu primeiro gol com a camisa cruz-maltina no jogo seguinte contra o Figueirense com o passe de Juninho Pernambucano.

Em 2013, com a saída do amigo Dedé, Luan teve sua oportunidade de ser titular na temporada. Contudo, o time teve um inicio de ano péssimo, sofrendo muitos gols e o capixaba acabou sendo sacado da equipe e virou quarta opção para a zaga dando lugar para outro garoto da base, Jomar. Porém, no mesmo ano, aquele tomou seu lugar sofreu uma lesão e Luan ganhou nova chance que agarrou e não saiu mais do time, mesmo o Vasco tendo caído para a segunda divisão daquele ano.

Sua trajetória na Seleção Brasileira, começou na base, quando era constantemente convocado. Participou do Torneio Oito Nações e do Quadrangular Internacional, onde sagrou-se campeão nas duas ocasiões. Com boas atuações e boa presença em campo, chegou a ser capitão do Sub-20 que participou do Campeonato Sul-Americano de 2013.

Mesmo atuando na segunda divisão, o zagueiro vem efetuando excelentes jogos. Muito seguro na marcação e uma impecável saída de bola. Talvez não seja titular, já que entre os convocados estão Marquinhos, que atua no Paris Saint-Germain, e Rodrigo Caio, que também está em ótima fase no São Paulo, mas não seria supresa se começasse entre os onze.