Tupi e Vasco ficam no empate em jogo disputado no Mário Helênio

Equipes lutaram bravamente durante boa parte do jogo, mas cometeram erros individuais, dando chances para o adversário; empate deixa Tupi em situação crítica; Vasco segue líder e com boa vantagem

Tupi e Vasco ficam no empate em jogo disputado no Mário Helênio
Foto: Carlos Gregorio Jr./ Vasco
Tupi-MG
2 2
Vasco da Gama
Tupi-MG: Rafael; Vinicius Kiss, Gabriel Santos, Bruno Costa, Luiz Paulo; Renan, Marcos Serrato, Pedrinho (Marcel - Hiroshi), Octávio; Jonathan (Thiago Espíndola), Giancarlo; TEC: Estevam Soares.
Vasco da Gama: Martin Silva; Yago Pikachu, Luan, Rodrigo, Julio Cesar; Diguinho (Caio Monteiro), Fellype Gabriel (Douglas), Andrezinho; Jorge Henrique, Ederson, Leandrão; TEC: Jorginho.
Placar: 1-0, Octávio, 20min. 1T; 1-1, Luan, 47min. 1T; 1-2, Andrezinho, 3min. 2T; 2-2, Renan, 24min. 2T.
ÁRBITRO: Gilberto Rodrigues Junior - PE; Cartões Amarelos: Octávio, Renan, Bruno Costa, Rafael Santos (TUP); Andrezinho (VAS).
INCIDENCIAS: Partida válida pela 21ª rodada do Campeonato Brasileiro Série B 2016, realizada na tarde deste sábado (27), no Estádio Radialista Mário Helênio, em Juiz de Fora, Minas Gerais.

Tupi e Vasco se enfrentaram em partida válida pela 21ª rodada da Série B, neste sábado (27), no Mario Helênio, em Juiz de Fora, e ficaram no empate por 2 a 2 após noventa minutos bem disputados. Com gols de Octávio e Renan, para o Tupi, e Luan e Andrezinho, de pênalti, para o Vasco, ambas as equipes acabaram por lamentar os dois pontos perdidos com o empate.

Com o resultado, o Tupi segue em situação extremamente complicada. Com apenas 19 pontos, ocupa a 19ª posição na tabela, dentro da zona de rebaixamento para a Série C de 2017 e seis pontos do Luverdense, primeira equipe fora do Z-4. Já o Vasco, mesmo com o tropeço, segue líder. Com 41 pontos ganhos, o Gigante da Colina já é considerado, por muitos, virtualmente classificado à Elite do Brasileiro, e hoje, acumula uma gordura de oito pontos para o Brasil de Pelotas, quinto colocado na classificação de momento.

Na próxima rodada, o Tupi enfrentará o Paysandu, às 19h15 da próxima terça-feira (30), no Mangueirão, em Belém. Já o Vasco, pega o Vila Nova na mesma data, mas às 20h30, em São Januário.

Tupi joga melhor na primeira etapa, abre o placar e controla boa parte do jogo; Vasco empata no fim

O jogo se iniciou no Mário Helênio, em Juiz de Fora, de uma maneira comum, na era do futebol moderno. Usando a máxima de que se deve prevenir a remediar, as equipes foram a campo buscando analisar o adversário, mantendo a calma e tentando se aproximar do gol com troca de passes. Apesar da maior qualidade técnica, o Vasco tinha dificuldades no fundamento, pelo gramado, duro, que deixa a bola viva, e pelo sol, que se punha atrás do gol defendido por Rafael.

Embora o Tupi tocasse melhor a bola no setor de meia cancha, Pikachu foi quem levou perigo pela primeira vez, após passe por elevação primoroso de Andrezinho, mas o atleta, que usa a alcunha do ágil Pokémon, cochilou, dando chances para Rafael atacar seus pés, fechando qualquer ângulo possível e evitando o que seria o primeiro gol do jogo.

Nos minutos seguintes, o Galo Carijó começou a tocar a bola mais próximo da meta defendida por Martín Silva. Dando espaços, o Vasco usava o momento como estratégia, esperando para tentar encaixar um contra-ataque rápido. Mas após roubada de bola de Luan, Fellype Gabriel, que estreava hoje, vacilou e perdeu a bola para Octávio, que chutou de fora da área, acerando o ângulo superior direito de Martín que, sem chances, apenas saltou para sair na foto. Tupi 1 a 0.

Os lances de perigo então se cessaram, devido a intensa luta no meio, por ambas as partes e pela marcação, impecável até então, feita pelo sistema defensivo do Tupi, quando o Vasco chegava no ataque. Sem muitos espaços para trocas de passe curtas e invasões à área, restava ao Vasco tentar conclusões de longa distância, como aos 34’, quando Jorge Henrique fez boa jogada pela esquerda ofensiva e rolou para Diguinho, na meia lua, chutar forte, e assustar o goleiro adversário com uma bomba que tirou tinta da trave esquerda.

À medida que o Vasco crescia, tentando o empate, o Tupi se encolhia, esperando o termino da primeira etapa e, numa jogada improvável, o zagueiro-artilheiro Luan, que conquistou a inédita Medalha de Ouro nos Jogos Olímpicos Rio 2016, há pouco mais de uma semana, gingou na frente de Bruno Costa, que quase caiu sentado, dando espaço para o vascaíno, então livre, encher o pé para vencer Rafael e estufar a rede no último lance da primeira metade de jogo, empatando a partida.

Cruz de malta vira na segunda etapa, mas “tira o pé” e Tupi consegue arrancar um ponto

O segundo tempo já começou com um pênalti – bem marcado – para o Vasco, onde Andrezinho, com classe, bateu bem e colocou o Gigante na frente, pela primeira vez no jogo. A virada, no início, fez bem ao Vasco, que começou a pressionar em novas oportunidades e quase marcou o terceiro.

Porém, por volta dos 20 minutos de partida na segunda etapa, o Vasco começou a aceitar o toque de bola do Tupi, dando espaços e tentando administrar uma perigosa vantagem de apenas um gol, com mais da metade da etapa complementar pela frente. Resultado: aos 24’, após cruzamento da direita, Renan subiu e, de cabeça, colocou o placar novamente em igualdade.

Aos 30’, o Vasco então acordou, e Pikachu, após ir ao fundo, cruzou, na cabeça de Eder Luís, mas o atacante errou a cabeçada e mandou para fora, quando em ótima colocação, livre e na marca penal, poderia ter colocado o Vasco na frente mais uma vez. Sete minutos depois foi a vez de Leandrão, também de cabeça, experimentar para o Vasco, mas após falta bem cobrada por Andrezinho, a finalização do “Camisa 9” saiu errada.

O Vasco foi para cima, mas com poucos minutos restando no relógio do jogo, tudo não passeou de uma dura blitz, com jogadas perigosas em sequência, mas que acabaram por não resultar em nada, mantendo o marcador em igualdade.