Em Campinas, Ponte Preta e Vasco ficam no empate sem gols

Vascaínos mostram evolução na parte defensiva, mas apatia no ataque, enquanto os donos da casa contam com Lucca e Sheik pouco inspirados

Em Campinas, Ponte Preta e Vasco ficam no empate sem gols
Reprodução: globoesporte.com
Ponte Preta
0 0
Vasco da Gama
Ponte Preta: Aranha; Jeferson (Nino Paraíba), Marllon, Rodrigo e Danilo Barcelos; Naldo, Elton e Renato Cajá (Léo Artur); Maranhão (Felipe Saraiva), Emerson Sheik e Lucca. Treinador: Gilson Kleina
Vasco da Gama: Martín Silva; Gilberto, Breno, Lucas Rocha e Henrique; Jean, Bruno Paulista, (Andrey), Wellington e Mateus Vital; Paulo Vitor (Manga Escobar) e Paulinho (Thalles). Treinador; Milton Mendes
INCIDENCIAS: PARTIDA VÁLIDA PELA 19ª RODADA DO CAMPEONATO BRASILEIRO, DISPUTADA NO ESTÁDIO MOISÉS LUCARELLI, EM CAMPINAS (SP).

Neste domingo (6), em partida iniciada às 19h, a Ponte Preta recebeu o Vasco buscando a vitória para se afastar ainda mais do Z4, após os resultados favoráveis que aconteceram na rodada, mas as duas equipes tiveram atuações abaixo do esperado, com as defesas se sobressaindo, e terminaram com o placar de 0 a 0.

O Vasco, por sua vez, esperava dar fim à sequência de derrotas e ao visível clima pesado com uma vitória fora de casa, mas a equipe não fez por merecer. Jogando com três volantes e Mateus Vital, Paulinho e Paulo Vitor na frente, os cariocas sofreram com os passes errados de seus meiocampistas e pouco levaram perigo à meta de Aranha.

Com o fim do primeiro turno, o Vasco volta à campo para enfrentar o Palmeiras, pela primeira rodada da segunda metade da competição. A partida será disputada em Volta Redonda, no próximo domingo (13), às 16h. No mesmo dia e horário, a Ponte Preta irá a Recife enfrentar o Sport. Lembrando que os paulistas têm um jogo a menos na competição, contra o Fluminense, partida que foi adiada devido a morte do filho do treinador tricolor Abel Braga.


Vasco aposta em formação com três volantes e Sheik obriga Martín a fazer grande defesa em lance avulso

Dos três volantes vascaínos, Jean atuou à frente da zaga, com Wellington e Bruno Paulista ajudando na ligação. Ambos erraram demais e o novo sistema adotado pelo treinador vascaíno não surtiu efeito. Pôde se notar mais do mesmo durante todo o primeiro tempo: jogadas velozes pelas laterais, principalmente com Paulo Vitor, mas nenhuma finalização, com excesso de bolas alçadas na área, sempre sem sucesso.

A Ponte Preta chegou a assustar, e foi da equipe de Campinas as principais oportunidades na partida. Primeiro, Sheik recebeu lançamento, dominou e chutou bonito, mas Martín Silva conseguiu fazer defesa sensacional. Na bola aérea os donos da casa também foram superiores, com Rodrigo tendo obrigado o arqueiro vascaíno a fazer boa defesa. Mesmo com superioridade na efetividade, a Ponte não conseguiu dominar a partida, tendo sido superior apenas em lances pontuais, e as equipes foram ao intervalo empatando por 0 a 0.

Defesas superam ataques e partida termina sem gols

A Ponte voltou ao segundo tempo tentando comandar as ações, mas não obteve êxito. O jogo continuou aberto, mas fraco tecnicamente e sem muitas chances para ambas equipes. O Vasco contou com a entrada de Andrey no lugar de Bruno Paulista e conseguiu melhorar sua saída de bola, com os jovens demonstrando bastante entrosamento. Mateus Vital comandou bem o meio de campo, mas a pouca movimentação dentro da área e o excessivo jogo pelas laterais fez o Vasco ter apenas uma boa chance, com o próprio camisa dez, após jogada individual.

Ao final da partida, os donos da casa se lançaram ao ataque, mas, sem sorte e eficiência, continuaram mesmo sem conseguir marcar. A partida se encerrou com o placar marcando 0 a 0.
 

Club de Regatas Vasco da Gama