Com portões fechados e de uniforme novo, Vasco perde para Bangu dentro de São Januário

Ainda sem ritmo de jogo, o Gigante da Colina controlou boa parte do jogo e teve as melhores oportunidades, mas parou na trave e em noite inspirada do goleiro do Bangu, Célio Gabriel

Com portões fechados e de uniforme novo, Vasco perde para Bangu dentro de São Januário
Foto: Paulo Fernandes/Vasco da Gama
Vasco da Gama
0 2
Bangu
Vasco da Gama: Martin Silva; Pikachu, Luiz Gustavo (Desábato), Ricardo, Henrique; Wagner, Evander, Wellington (Caio Monteiro), Paulinho; Nenê; Andrés Rios (Paulo Vitor). Treinador: Zé Ricardo
Bangu: Célio Gabriel; Waldir, Michel, Dalton (Rogério Xodó), Guilherme; Magno Ribeiro, Marcos Jr, Rodney (Oliveira), Almir (Leonardo Jesus); Sidney e Nilson (Anderson Lessa). Treinador:
Placar: Rodney (42'/1ºT); Anderson Lessa (37'/2º)
ÁRBITRO: Wagner do Nascimento Magalhães, auxiliado por Rodrigo Figueiredo Corrêa e Thiago Henrique Neto Farinha
INCIDENCIAS: Jogo válido pelo primeiro turno do Campeonato Carioca de 2018. Partida realizada no estádio São Januário com portões fechados.

Com os portões fechados e torcida fazendo festa do lado de fora, o Vasco da Gama recebeu o Bangu, em São Januário, na noite desta quinta-feira (18) para fazer sua estreia no Campeonato Carioca. Se antes da bola rolar muitos apostagem nos mandantes como francos favoritos, em campo se viu um adversário que soube aproveitar suas oportunidades e sair com a vitória. Rodney, com um gol e uma assistência, liderou o Bangu diante do Gigante da Colina e foi o melhor jogador em campo.

O clube também jogará com portões fechados contra o Nova Iguaçu, no próximo domingo (21), em São Januário, às 17h, também pelo Campeonato Carioca. Os torcedores que adquiriram o ingressos podem ter o valor restituído. 

A partida marcou,  além da estreia de três jogadores na equipe do Vasco, que são eles: Luiz Gustavo e Leandro Desábato, contratados para a temporada, e Ricardo Graça, da base do clube, o novo uniforme para a temporada, da fornecedora Diadora

Partida equilibrada e gol no final

Vasco e Bangu entraram em campo na noite desta quinta-feira (18) com táticas diferentes. O que se viu foi o Cruz Maltino, embora sem ritmo de jogo, ter o controle da bola e criar as melhores oportunidades. Já o time visitante se comprometeu com a marcação no campo defensivo, buscando o contra-ataque.

Em uma das melhores oportunidades da primeira etapa, o Vasco chegou com perigo ao ataque numa bela cabeçada do Evander, que tocou no pé da trave, após escanteio cobrado por Nenê. Na sobra, Ríos chutou para fora, assustando o goleiro Célio Gabriel.

O Bangu chegou ao ataque com perigo em pelo menos duas oportunidades. Na primeira, chute para fora do Almir, logo após a cabeçada na trave do Gigante da Colina. Ao final do primeiro tempo, após confusão na área do Vasco, a bola sobrou para Rodney chutar e abrir o marcador, sem chance de defesa Martín Silva.

Com a temperatura alta, pois mesmo sendo noite faz calor no Rio de Janeiro, pouco se viu de grandes jogadas individuais. Em sua maioria, o primeiro tempo ficou preso no setor de meio campo, fazendo com que ficasse morno, tendo lances isolados de perigo para ambos os lados. 

Vasco tenta o empate mas sofre o segundo gol 

Com a desvantagem no placar, o Vasco foi para o segundo tempo determinado a empatar. Com a proposta ofensiva, o time logo levou um susto aos seis minutos, quando Rodney, o mesmo que fez o gol, obrigou Martín Silva a realizar grande defesa.

A partir dai a pressão do time mandante aumentou, as oportunidades começar a aparecer. Na melhor delas, Célio Gabriel fez grande defesa na cabeçada do Caio Monteiro, que testou no contra-pé do goleiro do Bangu. O tempo foi passando, o mistura de falta de ritmo e necessidade de marcar um gol aumentou, e o Vasco começou a errar passes, se atrapalhar com a bola, e veio o golpe final da equipe visitante.

Aos 37 minutos da segunda etapa, Rodney deixou Pikachu para trás e cruzou para Anderson Lessa, livre de frente para o gol, marcar o tento da vitória. Foi uma ducha de água fria na equipe vascaína. Com dois amarelos, ambos recebidos no fim do jogo, Nenê foi expulso e desfalca a equipe na próxima partida.