Diego Renan ameniza pressão dentro do elenco: "Temos que ter tranquilidade"

Lateral relembra bom momento na última vitória, contra a Chapecoense; o camisa 26 falou sobre voltar ao time titular e sobre o "trauma" do time com pênaltis

Diego Renan ameniza pressão dentro do elenco: "Temos que ter tranquilidade"
Foto: Francisco Galvão/Vitória

O Vitória voltou aos treinamentos nesta quarta-feira (26) no CT Manoel Pontes Tanajura, em Salvador. A tarde, Argel Fucks comandou um treino coletivo e trabalhos específicos de finalização visando o duelo contra o Fluminense na sexta-feira (28) no Maracanã pela 32° rodada da Série A do brasileiro.

Diego Renan, que concedeu coletiva no fim da tarde, reiterou que a equipe está trabalhando para melhorar onde está errando: "O momento que a gente está passando envolve muita coisa. Nós temos condições de evoluir e criar oportunidade durante a partida, último jogo a gente conseguiu fazer bem. Tivemos bom resultado contra a Chapecoense, temos é que ter tranquilidade e que o momento não é fácil, mas tem que trabalhar e corrigir o que é preciso".

Desde a saída do time titular após demissão de Vágner Mancini, Diego Renan pouco pode mostrar seu futebol, tendo a sequência que menos atuou desde que chegou ao time em 2015. No coletivo, ele foi escolhido por Argel para jogar na lateral-direita, na vaga de Diogo Mateus. Quando esteve de titular, atuou pelo lado esquerdo.

"Só hoje fiquei sabendo na hora do treino. Saí da equipe, continuei meu trabalho, sabendo que todo mundo tem condições de jogar, respeitando a decisão do treinador. A oportunidade uma hora iria aprecer, agora vou para o lado direito, como sempre foi, sempre preparado para ajudar a equipe, o momento é de unir forçar para revertar a situação que a gente está vivendo.", falou sobre receber o colete para treinar entre os titulares.

Também como titular, Diego passou a ser o cobrador oficial das penalidades no Vitória. Na coletiva, mostrou sua opinião ao ser eprguntado sobre os pênaltis desperdiçados nos últimos jogos. “Pênalti é muito o momento. Dentro de campo, o psicológico conta muito. No momento que estamos passando, um pênalti a pressão é muito grande por conta do retrospecto dos últimos jogos. Começou comigo no Botafogo, o Zé Love e o Kieza contra o Sport e Cárdenas contra o Cruzeiro. A gente treina, os goleiros observam muito nossas cobranças e tem estudo tanto para gente quanto para os goleiros”, afirmou.

Sobre a pressão que o time vem sofrendo, Diego Renan reiterou que é momento. "Internamente a gente tenta não absorver o que vem de fora. A pressão vai existir pelo momento que a equipe está passando. A gente tenta passar tranquilidade um para outro. O momento é difícil, mas vamos buscar essas vitórias que o grupo precisa para se livrar do rebaixamento. A pressão faz parte do futebol, mas não tem interferência no nosso dia a dia”.

A equipe treina nesta quinta-feira (27) no centro de treinamentos em Salvador e a tarde embarca para o Rio de Janeiro para enfrentar o Fluminense.