Tentativa de homicídio a torcedor do Vitória um dia após curso da PM com organizadas para diminuir violência

Seis integrantes da torcida organizada do Bahia foram detidos por suspeita de envolvimento no ataque a um torcedor do Vitória depois do jogo neste domingo no Barradão; presidente da Bamor foi liberado após ser ouvido

Tentativa de homicídio a torcedor do Vitória um dia após curso da PM com organizadas para diminuir violência
Sede do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) em Salvador (Foto: Divulgação)

Na noite do último domingo (10), um torcedor vestido com a camisa dos Imbatíveis, a maior torcida organizada do Vitória, foi baleado no braço após o empate do Leão com o Fluminense, no Barradão. Seis membros da torcida organizada do Bahia, a Bamor, foram levados ao Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) após o crime, incluindo o presidente Luciano Venâncio. Os integrantes do grupo envolvido no ataque foram indiciados por tentativa de homicídio e encaminhados para audiência de custódia, já o presidente da Bamor foi ouvido e liberado ainda no domingo.

O caso ocorreu um dia após o curso “Torcida Legal”, projeto pioneiro no país organizado pelo Batalhão Especializado de Policiamento de Eventos (Bepe), da Polícia Militar, que reuniu as torcidas organizadas do Bahia e do Vitória com intuito de reduzir a violência nos jogos de futebol na capital. Na manhã de sábado (9), Luciano e outros membros da Bamor e dos Imbatíveis estiveram presentes no primeiro encontro do projeto.

No crime ocorrido no domingo, o torcedor ferido foi socorrido minutos depois dos disparos por guarnições do Batalhão Especializado em Policiamento de Eventos (Bepe), da Polícia Militar. Ao checar a ocorrência, a polícia recebeu informações de que os suspeitos pelos tiros fariam parte da Bamor e uma equipe seguiu com o apoio de militares do 18º Batalhão da Polícia Militar até a sede da organizada, no bairro dos Barris. Lá foi apreendido um revólver calibre 38 que pode ter sido usado nos disparos.

                                         Revólver calibre 38 e barra de ferro foram apreendidos com integrantes da Bamor suspeitos de atirarem em torcedor organizado do Vitória
Revólver calibre 38 e barra de ferro foram apreendidos com integrantes da Bamor suspeitos de atirarem em torcedor organizado do Vitória (Alberto Maraux / Divulgação SSP-BA)
 

“Nos dias de jogos sempre nos preocupamos e alertamos as equipes para as avenidas no entorno das arenas. Logo que o fato chegou ao nosso conhecimento demos início às buscas”, contou o comandante do Bepe, tenente-coronel Saulo Roberto da Costa Santos. 

A Secretaria de Segurança Pública da Bahia (SSP-BA) informou que o torcedor do Vitória foi atendido em uma unidade de saúde em Salvador e já foi liberado. A arma apreendida e o projétil que atingiu o torcedor foram encaminhados para perícia no Departamento de Polícia Técnica (DPT).

“O objetivo é esclarecer quem foi o autor do disparo e se o revólver apreendido foi utilizado na ação criminosa. Algumas testemunhas nos disseram quem atirou, mas aguardaremos a conclusão dos laudos”,  alegou a delegada Patrícia Brito em nota enviada pela assessoria de imprensa.