Mancini aponta motivação do Vitória contra degola: “Essa dívida não é nossa”

Em coletiva, o técnico rubro-negro fez comentou sobre o fato da equipe ter feito apenas 12 pontos no primeiro turno e também comentou sobre o desempenho na partida

Mancini aponta motivação do Vitória contra degola: “Essa dívida não é nossa”
Mancini dá entrevista coletiva após empate contra o Cruzeiro (Foto: Ruan Melo

Mais um triunfo em casa escapou das mãos do Vitória, e, dessa vez, contra o Cruzeiro. O empate por 1 a 1 no Barradão nesse domingo (19) foi muito lamentado pelos jogadores e deixou a equipe numa situação delicada para a sequência do campeonato na luta contra o rebaixamento. O treinador Vágner Mancini, em coletiva, comentou sobre a partida e diante das cobranças, falou da entrega dos jogadores.

"Não sei se faltou atitude. Vi o time querendo, brigando, desgastado pelos dois jogos na semana, mas não vi os atletas deixando de lutar. Vi uma equipe jogando um pouco menos, com um meio-campo com dificuldade na parte técnica hoje [..] Lembrando também, sem querer tirar dificuldade, a gente está pagando uma dívida que não é nossa. O Vitória, no primeiro turno, fez doze pontos. Agora, essa dívida está difícil de der paga. Todo mundo tem que entender que essa dívida não é nossa."

Durante a partida, o Vitória foi amplamente dominado pela equipe mineira, após o primeiro, gol a equipe se comportou de maneira defensiva e Mancini comentou sobre os motivos desse comportamento da equipe que segue levando gols em jogadas de bola aérea e dessa vez, foi um gol peixinho da entrada da área.

"O primeiro tempo [o Cruzeiro] só não empatou e virou o jogo porque nós levamos sorte em alguns lances. No intervalo, pedi para o time fizesse marcação diferente e minasse o espaço que vinha tento o Arrascaeta, o Alisson. Com isso, fizemos com que o Cruzeiro jogasse só por fora. A entrada de Ramon [no lugar de Fillipe Soutto] foi por isso. Muitas vezes, o Kanu saiu da área para fazer a marcação no Alisson e eu não queria. O jogo vinha bem, o Vitória tinha o jogo controlado no segundo tempo. Oscilamos muito a partir dos 25 minutos do primeiro tempo. No segundo tempo, não." disse o treinador

"Achei que o meio-campo do Vitória hoje não jogou na parte técnica como vem jogando. Até pela ânsia de vencer uma partida em casa, que sabíamos que era de muita importância, a ansiedade joga contra. Do outro lado tem um time que quer jogar, já não aspira a tanto coisa no campeonato, mas é dotado de jogadores habilidosos. Embora tenhamos melhorado no segundo tempo, o Vitória desperdiçou alguns contra-ataques. Infelizmente, isso não aconteceu."

Agora o Vitória tem uma partida importante na próxima rodada, onde enfrentará a Ponte Preta, rival direto na luta para sair do Z-4, domingo (26), no Moisés Lucarelli. O empate deixou a equipe baiana com 40 pontos e permanece na 16ª posição.

 "Um jogo em Campinas com muita pressão, torcida enchendo o estádio, fazendo o que a torcida do Vitória fez hoje. Sabemos que vamos encontrar um adversário para lutar com todas as forças. Sabemos o quanto é difícil nessa fase. Também entra em campo o lado emocional. Temos que fazer de tudo para que nesse ponto a gente leve vantagem sobre a Ponte", completa Vagner Mancini.