Contos de um Mundo Estranho, de Felipe Kowari

Uma cidade abandonada, um passeio pela mitologia grega, romance e investigação policial no livro Contos de um Mundo Estranho, do escritor Felipe Kowari. O livro nos apresenta cinco contos que passeiam entre a ficção e o suspense.

Contos de um Mundo Estranho, de Felipe Kowari
Divulgação

Ano de 1966, seis jovem se aventuram em uma expedição para visitar a cidade abandonada de Chernobyl. Cada jovem com um objetivo que o trouxe para visitar tal cidade, ou o que sobrou dela.  A motivação de Oleksiy é roubar todos os tesouros e bens valiosos deixados para trás com a ajuda de sua namorada Alexcia. Ao contrário de Anton, que tem como único alvo a jovem Yarina, filha de pais cristãos que trouxe sua amiga Anna como uma garantia de segurança nesta jornada arriscada. No entanto o plano do ambicioso Oleksiy não poderia se concretizar sem a ajuda financeira de Tadei. Adolescente de dezesseis anos que vê nessa expedição uma forma de se libertar da superproteção dos pais.  Uma expedição de jovens em uma cidade abandonada, uma aventura que pode resultar no encontro com criaturas atingidas pela radiação, os Ratos de Chernobyl.

Assim inicia a primeira na narrativa de Contos de um Mundo Estranho do escritor catarinense Felipe Kowari. O livro lançado em 2015 pela editora  Nova Letra ainda apresenta cinco contos longos: Ratos de Chernobyl, O Morto Voltou, A Maior Escultora do Mundo, O Vale do Amor Eterno e O Anjo Banido.

Foto: Fernanda Scherer
Foto: Fernanda Scherer

Em O Morto Voltou, Felipe Kowari nos leva até um suspense policial envolvendo o investigador James e Joaquim da Silva. Jovem aparentemente saudável que encontrou a morte, mas por apenas quatro dias. O ex-defunto surpreende a todos com a sua volta ao mundo dos vivos, principalmente  sua mãe Dona Terezinha. A partir de então repórteres e curiosos rodeavam a sua casa, todos querem saber o segredo de Joaquim. Consequentemente o alvoroço chama atenção de uma indústria farmacêutica interessada em lucrar com esse misterioso caso, e  do investigador James que está disposto a revelar o segredo por trás do  não tão falecido, Joaquim da Silva.

A ficção apresenta-se de novo, porém  acompanhada da mitologia grega no conto A Maior Escultora do Mundo. Dessa vez acompanhamos a história do famoso cirurgião plástico Julian Black, reconhecido por seu excelente trabalho em famosos, pessoas de elite e novos ricos. Essa reputação chega aos ouvidos do milionário Agenor que procura o médico para prestar um trabalho peculiar, Julian  fica encarregado de realizar uma cirurgia em uma jovem garota misteriosa. Ambicioso pela fortuna que ganharia aceita a proposta ignorando os variados segredos envolvendo a jovem e os perigos que viriam a seguir.

Foto: Fernanda Scherer
Foto: Fernanda Scherer

Entre cidades misteriosas, mitologia, e suspense policial nos deparamos com romance no conto O Vale do Amor Eterno.  A princesa Laris do reino de Gitoe  e o principe Edrus do reino de Serali se apaixonam, no entanto o romance entre os dois não propospera devido a rivalidade entre os dois reinos. Distanciados pelo orgulho dos dois reis, o casal encontra em um cristal mágico a única solução para o fim da guerra e o começo de uma história feliz entre os dois. 

Enfim, encontramos no final do livro o recomeço de um personagem, O Anjo Banido. Após ser expulso do céu por Deus, o anjo caído tenta entender porque Deus se apresentava tão piedoso com seus filhos da Terra. "Embora poucos em comparação com toda a humanidade, alguns homens eram mais dignos de perdão do que anjos, superlaticamente leais, demonstrando mui grande amor pelo seu próximo. Desejavam ardentemente conhecer um Deus que nunca viram, embora tantos daqueles que sempre estiveram diante do Criador o houvessem traído. Aprendi com esses homens bons e com Deus que, do caos refinou o ouro, que parte do mal pode ser transformado em bem. Uma poesia impensável até para os anjos".

Contos de Um Mundo Estranho trás contos longos que prendem o leitor a cada página. O livro de Felipe Kowari cumpre o principal papel da literatura, nos levar em uma leitura viciante por mundos até então desconhecidos.