O que esperar após o UFC Fight Night 89?

Evento no Canadá deu novo oxigênio para categoria dos meio-médios; confira os possíveis desdobramentos para alguns destaques da noite

O que esperar após o UFC Fight Night 89?
Getty Imagens

No último sábado, Ottawa, capital canadense, recebeu o UFC Fight Night 89, com a luta principal encabeçada por Rory MacDonald e Stephen Thompson, duas estrelas do peso meio-médio da organização. Após um combate metódico e bastante estudado por parte dos dois atletas, "Wonder Boy" saiu vitorioso pela decisão dos juízes e frustrou as expectativas do filho da terra, MacDonald. Com o evento terminado, seguem abaixo previsões do que vem pela frente para alguns dos atletas que competiram na noite de 18 de junho.

Stephen Thompson: A sua subida dentro da divisão até 77 kg não é de hoje. Invicto desde 2012, quando sofreu a única derrota da carreira para Matt Brown, o americano consolidou seu posto de desafiante ao cinturão em 2016 ao derrotar nomes do quilate de Johny Hendricks, pelo UFC Fight Night 82 e Rory MacDonald no último final de semana. No momento, cabe ao lutador assistir o duelo que vale o título entre Robbie Lawler e Tyron Woodley pelo UFC 201 e encarar o campeão.

Rory MacDonald: Recuperação. Essa é a palavra-chave para o futuro do canadense dentro do Ultimate. O sabor amargo de dois tropeços seguidos foi experimentado pela primeira vez pelo "Red King" após o fracasso diante de Stephen, enquanto o incomodo de uma fratura no nariz foi novamente sentido pelo atleta da Tristar Gym. Dessa forma, um tempo fora dos octógonos é fundamental e para seu retorno um adversário não tão bem colocado no ranking do UFC como os últimos que enfrentou. Gunnar Nelson ou Thiago Alves seriam boas opções.

Donald Cerrone: Avassalador, falastrão e marrento. O perfil do "Cowboy" chama a atenção dos fãs de MMA e agita a sua nova categoria, a dos meio-médios. Na segunda batalha neste peso, atropelou o anfitrião canadense Patrick Cote na co-luta principal do evento. Com 10 resultados positivos nos últimos 11 embates, ele costuma fazer grandes apresentações e diante de oponentes mais qualificados como Neil Magny ou Carlos Condit poderia ser melhor testado.

Steve Bosse: Se teve algum canadense que fez a tarefa de casa no UFC Fight Night 89, este foi Steve Bosse. Além do êxito dentro do cage, o lutador faturou o bônus da noite (no valor de 50 mil dólares) pelo confronto eletrizante que proporcionou ao público na TD Place Arena, junto com seu oponente Sean O'Connell. Para crescer na divisão dos meio-pesados, ele precisa de maiores desafios e Patrick Cummins se encaixa nesse quesito.

Olivier Aubin-Mercier: Natural de Quebec e talentoso na luta de chão, ele saiu com o braço erguido graças a um mata-leão aplicado sobre o francês Thibault Gouti no terceiro round. Com esse resultado, ele alcançou o segundo triunfo consecutivo e pode duelar com atletas melhores. Yancy Medeiros ou James Vick são boas alternativas.