Bronze em Londres 2012, Adriana Araújo decepciona e cai na primeira rodada do boxe feminino

Adriana Araújo perdeu para a finlandesa Mira Potkonen

Bronze em Londres 2012, Adriana Araújo decepciona e cai na primeira rodada do boxe feminino
Adriana enfrentando a finlandesa Mira Potkonen (Foto: Divulgação/AIBA)

Conforme vão avançando os combates do boxe, vamos tendo mais categorias participando das lutas. Hoje (12) foi o dia do boxe feminino, com algumas diferenças de regras em relação ao masculino, subir ao ringue pela primeira vez, começando pela categoria do peso ligeiro (57-60kg), já com participação brasileira. A baiana Adriana Araújo fez a terceira luta do dia, confrontando Mira Potkonen, da Finlândia. Bronze em Londres 2012, era uma das esperanças de medalha nessa Olimpíada, apesar de não ter caminho fácil.

O boxe feminino é disputado em quatro rounds de dois minutos cada e, em relação ao boxe masculino, a outra grande diferença fica por conta do protetor de cabeça. Enquanto o acessório foi removido para os homens, as mulheres continuam utilizando o mesmo nos Jogos Olímpicos Rio 2016. Adriana subiu ao ringue com certo favoritismo sobre a finlandesa Mira Potkonen, mas encontrou dificuldades no combate. Sua adversária mostrou bastante ímpeto, não se escondendo da luta e partindo para uma estratégia bastante franca, trocando golpes com a brasileira. Adriana mostrava um pouco mais de técnica, conseguindo encaixar bons golpes, principalmente na hora de contra-atacar com diretos e cruzados e acabou levando o primeiro assalto na pontuação de dois dos juízes

No entanto, Potkonen cresceu a partir do segundo assalto e, com sua estratégia agressiva, começou a encaixar mais golpes na brasileira, pontuando bastante e levando os dois rounds seguintes. No último round, Adriana teve um excelente começo, partindo pra cima e encaixando excelentes cruzados no frontal da finlandesa, que se recuperou bem e conseguiu voltar a impôr seu ritmo, levando também o último assalto e a luta. Adriana precisava da vitória no último assalto para conseguir empatar a luta, na visão de dois dos juízes. Na saída do ringue, a brasileira demonstrou estar decepcionada com a decisão: "Acho que a luta não foi tão parelha assim. Encaixei golpes mais contundentes, golpeei mais. Não saio frustrada porque já fiz história, mas queria dar mais alegrias para meu país", afirmou.