Judô: Deanne Almeida sofre derrota para Christella Garcia e se despede da Paralimpíada

Na disputa pelo bronze, brasileira ganhava luta até segundos do fim, quando sofreu imobilização e foi derrotada pela adversária norte-americana

Judô: Deanne Almeida sofre derrota para Christella Garcia e se despede da Paralimpíada
(Foto: Cleber Mendes/MPIX/CPB)

Mais uma brasileira a subir no tatame na fase decisiva do Judô neste último dia de modalidade, Deanne Almeida buscava o bronze na disputa da categoria acima de 70Kg. Mas para isso, a judoca primeiro precisava superar a norte-americana Christella Garcia no duelo pelo pódio. Não foi o que aconteceu, Deanne vacilou nos segundos finais e perdeu a luta por imobilização, terminando assim a paralímpiada sem medalha.

Experiente, a brasileira medalha de prata na Paralimpíada de Pequim-2008, não conseguiu subir ao pódio em Londres. Prestes a completar 36 anos, Deanne viu nos Jogos Paralímpicos do Rio uma oportunidade de repetir o feito de 8 anos antes. Sua trajetória no tatame da Arena Carioca 3 se iniciou na manhã deste sábado (10) contra a norte-americana Sarah Chung, pelas quartas de final da categoria. Após bater a primeira adversária do dia, a brasileira enfrentaria então Yanping Yuan, paraatleta da China.

Derrotada por Ippon, restava a Daenne a disputa pelo terceiro lugar no pódio. Com melhor desempenho durante todo o confronto contra Garcia, a brasileira tinha o bronze nas mãos até poucos segundos do fim, quando por um descuido sofreu imobilização, perdeu o duelo e consequentemente a medalha. Com isso, a oportunidade da paratleta de conquistar sua segunda condecoração em Paralímpiadas tinha terminado.

Daenne Almeida teve sua visão afetada pela síndrome de Stevens-Johnson — doença causada por reação alérgica grave que afeta os olhos, pele e mucosas — Mineira, começou a lutar Judô a convite de uma amiga e desde então nunca mais deixou a modalidade. Além da prata na paralímpiada de Pequim, também conquistou dois bronzes seguidos no Mundial de IBSA, em 2014 e 2015, além de outra medalha de bronze nos Jogos Parapan-Americanios de Guadalajara, em 2011