Como foi o ano para o mundo do boxe
Luta entre Álvarez e Mayweather (Foto: Reprodução/ESPN Deportes)

No mês de março deu o grande pontapé para a elite do boxeTimothy Bradley fez uma das lutas mais emocionantes deste anp após sobreviver a 12 rounds contra o russo Rusland Provodnikov. Bradley tinha a obrigação de manter seu cinturão que havia conquistado de Manny Pacquiao em 2012 e conseguiu depois de mostrar um estilo mais eficaz  no ringue. Ainda no mesmo mês, a revanche entre Brandon Ríos e Mike Alvarado foi considerada a melhor batalha do primeiro semestre.   

Já no final de abril, Sergio Maravilla Martinez lotou o estádio do Vélez Sarsfield e em frente a sua torcida venceu Martin Murray. Seu conterrâneo, Marcos Maidana encerrou o ano derrotando Adrien Broner na última grande luta do calendário do boxe.

Apesar dos argentinos fazerem bonito, o grande destaque do ano não poderia ser ninguém menos que Floyd Mayweather. Considerado por muitos o melhor boxeador da atualidade, venceu o confronto entre Robert Guerrero no mês de maio. E na noite de 14 de setembro deu uma aula ao queridinho do momento, Saúl Canelo Álvarez, que se quer conseguiu reagir aos golpes de Mayweather. O americano encerra o ano mantendo sua invencibilidade com 45 vitórias, sendo 26 por nocaute. Naquela mesma noite Danny García, contrariando a bolsa de apostas, derrotou Lucas Matthysse em uma luta sensacional.

Em meio a grandes vitórias, Nonito Donaire (super peso-galo), protagonizou uma derrota inacreditável para Guillermo Rigondeaux. Inacreditável por ter sido um confronto de estilos diferentes, Donaire além de favorito era o que mostrava mais habilidade e costumava encerrar suas lutas com nocautes dramáticos. Dessa vez, o estilo defensivo de Rigondeaux venceu e surpreendeu a todos.

Ao contrário dos argentinos, os mexicanos não tem muito que comemorarem. Além da derrota de Canelo, Julio Cesar Chaves Jr. venceu Bryan Vera por pouco e ainda não convenceu de que pode ser um grande boxeador. A revanche contra Vera já está marcada para março de 2014, se vencer com louvor e unanimidade pode enfrentar Andre Ward. Outro que decepcionou foi o veterano Juan Manuel Marquéz que não conseguiu passar pelo cara do começo deste texto, Bradley.

O ano de 2013 foi produtivo, mas deixa muitas incógnitas ao mundo dos “boxers”. Será que iremos morrer sem ver Pacquiao VS Mayweather? Miguel Cotto pode voltar à boa fase? O que será de Canelo? Quem vencerá a provável revanche entre Márquez VS Bradley? O que esperar de 2014, um ano glamoroso em todas as categorias ou de mais uma sentença de morte? Que venha 2014. 

VAVEL Logo