Especial - Os altos e baixos do Seattle Seahawks
Uma boa atuação de Marshawn Lynch será essencial para o Seattle Seahawks (Foto: Reprodução/Talking Baws)

Retornando ao Super Bowl pela segunda vez em sua história (a primeira foi em 2006), o Seattle Seahawks volta a participar de uma decisão da NFL ostentando a condição de melhor defesa da liga e com a promessa de encarar o poderoso Denver Broncos de Peyton Manning de igual para igual. Mesmo tendo um sistema defensivo montado de maneira brilhante pelo treinador Pete Carroll e tendo excelentes armas ofensivas, a equipe também tem suas falhas e os pontos em que pode se complicar durante a partida.

Diante de tudo isso, confira aqui um destrinchamento do representante da NFC no Super Bowl XLVIII, que ocorre neste domingo (2).

O Cara

O personagem de tal tópico poderia muito bem ser o quarterback Russel Wilson, que vem de uma temporada brilhante e será essencial no Super Bowl, mas, dada as condições climáticas para o momento da partida (frio e muito vendo), o que complica muito manter com eficiência o jogo aéreo, a responsabilidade de decidir a partida recai sobre as corridas de Marshawn Lynch.

LEIA MAIS: Especial - Marshawn Lynch, a "besta" do Seattle Seahawks

Sempre relutante em falar com a imprensa, como ficou notório nesta semana antecedente ao jogo, Lynch fez uma temporada brilhante e ressaltou muito bem todo o seu talento. Responsável por ter corrido para 1257 jardas ao longo da temporada regular, além de ter sido essencial nos playoffs, o running back é dotado de uma capacidade incrível de quebrar, o famoso beast mode (modo da besta), e, se os Seahawks já necessitariam muito de tais corridas em condições amenas de temperatura, no frio, a importância do jogador só aumenta.

Fique de olho

É inevitável também não destacar Russel Wilson. Em sua segunda temporada na NFL, o quarterback, que não gerou muita expectativa em sua temporada como rookie, até porque foi escolhido apenas na 3ª rodada do Draft, tratou de reafirmar seu talento e demonstrou ainda mais personalidade para cumprir com êxito a missão de comandar o ataque do Seattle Seahawks.

Eficiente tanto passando a bola como correndo, Wilson é um dos representantes da nova classe de quarterbacks móveis que vem surgindo e, tanto os passes para 3357 jardas, 26 TDs e o aproveitamento de 63,1%, como também as 539 jardas corridas (média de 5,6 por corrida), apenas mostram o quão importante o jogador é para sua equipe e, claro, até pela responsabilidade tamanha de sua posição, será peça-chave do ataque no Super Bowl.

CONFIRA: Especial - Russel Wilson e a missão de liderar os Seahawks ao título

Breno Giacomini já merece destaque por ser filho de brasileiros, se consagrando como o primeiro jogador com ligações com o Brasil a alcançar a grande decisão da NFL, contudo, dentro das quatro linhas, o offensive tackle é tão importante, isso porque sua função está ligada a proteger Russel Wilson e esta proteção foi um tanto quanto ineficiente ao longo da temporada, tendo a missão de melhorar muito para este Super Bowl, o que passa muito pelo trabalho de Breno.

Por fim, destaques quanto a defesa. Richard Sherman, como ele mesmo se autodefine, é, de fato, o melhor cornerback da liga e, agora, na grande decisão, o jogador, responsável por polêmicas ligações e por ter ofendido o wide receiver do 49ers, Michael Crabtree, em entrevista após a final da NFC, terá que fazer valer tal acunha, pelo fato de que é peça mais do que fundamental da poderosa linha secundária do Seattle Seahawks, ao lado de Earl Thomas, o que faz de ambos essenciais na batalha em buscar parar Peyton Manning.

VEJA TAMBÉM: Especial - Richard Sherman, o famoso e talentoso líder da defesa do Seattle Seahawks

O ponto mais forte

Sem sombra de dúvidas, o ponto mais forte do Seattle Seahawks é a sua defesa. Pelo números, esta não só a melhor defesa desta temporada, como também a melhor defesa em toda a história da NFL neste novo milênio, o sistema defensivo eficiente ao máximo montado por Pete Carroll surpreende a todos, muito em função de que, em meio a uma valorização grande do ataque nos dias atuais, eis que surge um poderoso esquadrão defensivo que, mesmo sem o título, já se garantiu muito bem na história do futebol americano.

O destaque maior desta defesa vem a ser, sem sombra de dúvidas, a excelente linha secundária. Tendo combinado para 28 interceptações ao longo da temporada, Thomas, Sherman e cia não costumam aliviar para ninguém, muito menos dar espaço para os quarterbacks, com isso, a garantia é de que Manning terá que se sobressair caso queira levar os Broncos ao triunfo.

O ponto mais fraco

A defesa é brilhante, porém não se pode dizer o mesmo da proteção a Russel Wilson feita pela linha ofensiva do Seahawks. O quarterback se vê muito pressionado em várias oportunidades durante o jogo, acaba não tendo muito tempo para pensar e os 49 sacks sofridos, 3ª pior marca de toda a NFL, apenas ressalta o tamanho da ineficiência de tal proteção, que precisa melhorar muito para este domingo.

Onde o Seahawks pode vencer o Broncos

A chance da franquia de Seattle se sobressair começa pelos fatores naturais. As previsões para a temperatura no momento da partida é de frio e muito vento, o que traz muitas complicações ao sistema ofensivo do Denver Broncos, que se baseia em passes de Peyton Manning. Sendo assim, quem leva vantagem são os corredores e Marshawn Lynch é, sem sombra de dúvida, melhor que Knowshon Moreno, running back do Denver Broncos, o que não lhe tira os méritos da sua grande temporada.

Outro ponto fundamental para que os Seahawks sejam capazes de conquistar a vitória passa por sua defesa. Encarando o ataque mais poderoso da liga, não deixá-lo levar vantagem e ter espaços que dêem condições para avanços é vital para se manter a expectativa de encerrar a noite de domingo levantando o troféu Vince Lombard.

Onde o Seahawks pode perder para o Broncos

O Seahawks pode se complicar no Super Bowl e acabar derrotado caso Peyton Manning tenha uma atuação do nível do gênio que é, porque, ocasiões passadas, já mostraram que é praticamente impossível pará-lo nessas condições, no entanto, fica a dúvida se o principal nome do Broncos seja capaz de salientar toda sua capacidade em meio às baixas temperaturas, condições que sempre contribuem para que renda abaixo do esperado.

Além disso, caso a proteção a Russel Wilson seja tão ineficaz como nos últimos, será difícil conquistar avanços e o ataque se comportar, já que, mesmo com tantas vitórias sob essas condições, arriscar a tal ponto num jogo do quilate de uma decisão é muito complicado e não recomendável.

O Super Bowl XLVIII ocorre neste domingo (2) no MetLife Stadium. Nele, Denver Broncos e Seattle Seahawks disputarão o título da NFL. Diante de tudo isso, a equipe da VAVEL Brasil traz para você ao longo desta semana uma sequência de matérias especiais a respeito de ambas equipes (história, análise, perfis dos principais atletas) para passar todo o clima da decisão ao leitor.

VAVEL Logo