NFL vence na Justiça e Tom Brady é suspenso por quatro jogos pelo Deflategate

O "Caso Deflategate" voltou a figurar entre as manchestes do futebol americano. Nesta segunda-feira (25), o tribunal responsável pelo julgamento da causa deu parecer favorável ao acusador. A NFL venceu a apelação após a suspensão de Tom Brady, quarterback do New England Patriots, ser anulada. Com isso, a suspensão do camisa 12 por quatro jogos volta a ser estabelecida e um dos principais astros do futebol americano em todo o mundo está fora do primeiro mês da temporada regular 2016-2017, a ser iniciada no próximo mês de setembro.

"Consideramos que o comissário exerceu corretamente seu direito no âmbito do acordo coletivo e que suas decisões processuais foram devidamente fundamentadas neste acordo e não privaram Brady de sua justiça fundamental. Assim, nós revertemos a decisão do tribunal distrital e reenviamos instruções para confirmar a punição", declarou a sentença judicial.

No ano passado, a offseason ficou movimentada por causa do polêmico caso do Deflategate. As longas investigações da NFL apontaram a veracidade da denúncia, por isso a acusação ao New England Patriots e a Tom Brady foram mantidas.

Tudo começou quando uma denúncia foi feita após a final da AFC 2015 entre New England Patriots e Indianapolis Colts e alegou que as bolas utilizadas na primeira parte do duelo estavam com menos pressão que o limite estabelecido e que o esvaziamento seria maior do que o causado pelo frio. Assim, a NFL colocou a investigação nas mãos de Ted Wells, que afirmou a intenção de dois funcionários dos Patriots - Jonh Jastrenski e James McNally - em esvaziarem as bolas com o conhecimento de Tom Brady. Essa conclusão foi polêmica e causou rebatimento de conclusões por causa da equipe da Nova Inglaterra.

Enquanto havia o debate por parte de Ted Wells sobre o porquê da franquia e do jogador não cooperarem com a investigação, o dono do New England Patriots, Robert Kraft, reclamou da punição recebida em provas circunstanciais. Havia indícios, mas nada concreto. Além de Kraft, o agente de Tom Brady questionou a própria Liga ao dizer que era da responsabilidade deles fiscalizar os equipamentos utilizados no jogo. No primeiro julgamento, a franquia foi condenada a pagar multa de 1 milhão de dólares, além de perder a primeira escolha do Draft 2016 e a quarta escolha do Draft 2017. Ao camisa 12, suspensão de quatro jogos.

Entretanto, o juiz distrital Richard Berman invalidou a suspensão de Brady e o jogador atuou normalmente nas partidas da temporada passada, até a final da conferência, quando foram derrotados pelo Denver Broncos. No dia seguinte, a NFL anunciou que iria recorrer da decisão e que o comissário Roger Goodell confirmou a apelação para "proteger a integridade do jogo". Com a punição reativada, Tom Brady estará ausente dos duelos contra Arizona Cardinals (primeiro Sunday Night Football da temporada), Miami Dolphins, Houston Texans e Buffalo Bills - os três últimos a serem realizados no Gillette Stadium, em Foxborough, Massachusetts.

A NFL, por meio de seu comissário, manifestou o contentamento com a decisão da corte. "Esta não é uma questão individual referente a um jogador, mas, sim, sobre os direitos que estão negociados em nosso acordo coletivo. Achamos que estes são muito claros. Achamos que eles são importantes para que o torneio caminhe para a frente e entramos em desacordo com a decisão do juiz distrital. Faz parte do processo", afirmou Roger Goodell.

Por outro lado, a NFLPA (Associação dos Jogadores da NFL), mostrou desapontamento com a sentença. Vale ressaltar que Tom Brady ainda tem recuso legal e pode recorrer. Para isso, o jogador pode buscar uma permissão para jogar normalmente enquanto a acusação percorra novamente todas as esferas judiciais. "A NFLPA está decepcionada com a decisão. Nós lutamos contra a suspensão de Tom Brady porque nós sabemos que Roger Goodell não serve como um árbitro justo e que os direitos dos jogadores foram violados sob o nosso acordo coletivo. Nós iremos analisar cuidadosamente a decisão, considerar todas as nossas opções e continuar a lutar pelos direitos dos jogadores pela integridade do jogo", declarou a nota.

VAVEL Logo