Joanna Maranhão revela ameaças de estupro nas redes sociais após sua participação olímpica

A natação tem nos brindado, nos Jogos Olímpicos Rio 2016, com excelentes provas e muita disputa braçada a braçada. A participação brasileira não vem sendo tão boa assim e alguns nadadores já eliminados de suas provas aproveitam o tempo após as mesmas para tentar se explicar e dar sua visão dos fatos. Foi o que fez a nadadora Joanna Maranhão, que publicou um texto em suas redes sociais para falar sobre sua participação na Olímpiada. A reação do público, no entanto, foi um tanto quanto antiética, inesperada e até criminosa, em alguns casos.

Ao invés de mensagens de apoio, Joanna se deparou com ódio e raiva, encontrando mensagens que desejavam até mesmo sua morte: "Não gostar do rendimento é um direito de todos. Entendo que todos sempre queiram os brasileiros no pódio. Muitas vezes as pessoas não entendem a competitividade altíssima que tem a natação mundial e o quanto brigamos para chegar numa semifinal, é compreensível. Mas desejar que eu seja estuprada, que minha mãe morra, um bandido me mate ou que eu me afogue, afirmar que a história da minha infância é algo que inventei para estar na mídia, ultrapassa", declarou, visivelmente consternada pelo tom das mensagens.

A história de vida a que os internautas se referiam é a do abuso sexual ao qual Joanna foi submetida quando criança. A nadadora tem sido uma voz na luta contra a pedofilia, tendo até mesmo uma lei criada com seu nome, em 2012. A brasileira fez questão de demonstrar que o tom realmente ultrapassou o nível de aceitável: "Eu aguento porrada, mas tudo tem limite. Eu entendo que falo de coisas que a maioria dos atletas não fala, mas quando existe o desrespeito com a pessoa, com a história da minha infância, não dá. Todos os atletas brasileiros merecem respeito", afirmou a nadadora.

Além disso, Maranhão ressaltou que tomará medidas jurídicas, depois de anunciar isso nas redes sociais. A publicação contendo esse anúncio é a seguinte: "A todos os perfis verdadeiros que vieram até aqui denegrir, ofender e xingar: muito obrigada! Fiquei em silêncio permitindo que vocês se sentissem à vontade enquanto o advogado coletava nome, dados e CPF de cada um. A partir da próxima semana estaremos entrando com ação na justiça, com todas as provas (inclusive cobertura da imprensa). Trata-se de uma causa ganha e com esse dinheiro estaremos potencializando as ações da ONG Infância Livre. Sendo assim, muito obrigada! O ódio de vocês será revertido para uma boa casua; combate à pedofilia".

VAVEL Logo