De escolha de sexta rodada a quatro anéis: a dinastia de Tom Brady na NFL
(Foto: Editoria de arte/VAVEL.com)

O quarterback Tom Brady, de 39 anos, já conquistou tudo que podia no futebol americano pelo New England Patriots. Ele venceu quatro Super Bowls, foi 12 vezes selecionado para o Pro Bowl, teve três conquistas de MVP do Super Bowl e duas de jogador mais valioso da NFL. Além dos prêmios, Brady tem em sua carreira uma grande lista de recordes.

Ele é detentor de alguns recordes importantes. Por exemplo, Brady é o quarterback com mais aparições em Super Bowls, com sete no total, tem o maior número de vitórias em pós-temporada, com 24 triunfos, e detém a maior marca de passes lançadas para touchdown em SB, com 13 anotados.

No total, o quarterback dos Patriots tem 270 jogos disputados em toda sua carreira. Tom Brady tem 71.144 jardas lançadas, 534 touchdowns, 184 interceptações, em 9.654 tentativas de passe. Números extraordinários que o colocam entre os maiores jogadores da história da NFL.

Início da carreira de Tom Brady

O início de sua carreira na NFL aconteceu no ano 2000, quando os Patriots escolheram na sexta rodada do Draft, como a escolha de número 199, o jovem quarterback da Universidade de Michigan. Pelos Wolverines, nome da equipe universitária, Brady jogou durante quatro anos, sendo os dois primeiros como reserva de Brian Griese. Em 1997, a equipe de Michigan ganhou o Campeonato Nacional Universitário com Brady ainda suplente.

Somente em 1998, depois de muito esforço, que ele conseguiu a titularidade dos Wolverines. Em seu primeiro ano jogando, seu time conquistou um título da Big Ten Conference. Seu último jogo por Michigan foi o Orange Bowl, em 2000, que  foi conquistado na prorrogação contra a Universidade de Alabama, com Brady lançando 369 jardas e anotando quatro touchdowns.

Tom Brady em ação pelo Michigan Wolverines | Foto: Getty Images
Tom Brady em ação pelo Michigan Wolverines | Foto: Getty Images

Seu primeiro ano na NFL, entretanto, não teve nada de diferenciado. Brady iniciou a temporada como terceiro quarterback, tendo contabilizado apenas uma participação a qual lançou três bolas e apenas uma foi recebida para 6 jardas.

O sucesso começou cedo

Logo na temporada seguinte, de 2001, Brady já começou a ter chances como QB principal. Isso ocorreu, pois o titular Drew Bledsoe sofreu uma lesão no primeiro jogo. Após poucas partidas se acostumando com a titularidade, New England começou a embalar com seu novo quarterback e terminou a temporada regular vencendo a divisão AFC East, com 11 vitórias e cinco derrotas.

Seu primeiro jogo de pós-temporada foi contra o Oakland Raiders. A vitória veio na prorrogação e com boa atuação de Brady. Os Patriots seguiram vivos nos playoffs e chegaram à decisão da AFC contra os Steelers. A equipe venceu a final da conferência, mesmo com Tom se machucando no meio do jogo e dando lugar para Bledsoe.

O Super Bowl 36 foi disputado entre New England e St. Louis Rams, no Louisiana Superdome. Brady foi titular, mas sua equipe não era tida como favorita, mas acabou vencendo a partida por 20 a 17, graças ao kicker Adam Vinatieri. Tom Brady ganhou o prêmio de MVP do Super Bowl e recebeu seu primeiro anel.

Tom Brady disputou seu primeiro Super Bowl contra o St. Louis Rams | Foto: AP Photo/Doug Mills
Tom Brady disputou seu primeiro Super Bowl contra o St. Louis Rams | Foto: AP Photo/Doug Mills

Conquistas consecutivas colocam Brady no topo

Na temporada de 2003, os Patriots chegaram ao Super Bowl 38. Após vencer novamente a divisão com uma campanha de 14 vitórias e apenas duas derrotas, Tom Brady conduziu sua equipe na pós-temporada passando pelos Titans e, na final da AFC, pelos Colts. A disputa do Vince Lombardi foi contra o Carolina Panthers, no Reliant Stadium, e os Patriots acabaram vencendo por 32x29, com o título saindo, novamente, dos pés de Vinatieri e, pela segunda vez, Brady conquistando o prêmio de MVP do Super Bowl.

Em 2004, o quarterback seguiu crescendo seu nível de jogo e foi capaz de conduzir New England ao seu terceiro título em quatro anos. Repetindo a campanha positiva da temporada anterior, os Patriots bateram os Colts no Divisional Round. A final da AFC seria contra o Pittsburgh Steelers – equipe que vivia melhor momento –, mas Brady fez uma de suas melhores partidas na carreira e classificou sua equipe para o Super Bowl 39. O jogo decisivo foi contra os Eagles, no ALLTEL Stadium, e New England venceu por 24x21.

Após as duas conquistas consecutivas, Brady se tornou um dos principais jogadores da NFL. Seu trabalho duro foi fundamental, porém a parceria que ele faz com o treinador Bill Belichick, que chegou aos Patriots junto com o quarterback, é considerada um dos principais motivos para o sucesso do jogador e da franquia.

Parceria de sucesso entre Tom Brady e Bill Belichick rendeu quatro Super Bowls aos Patriots | Foto: Charles Krupa/AP
Parceria de sucesso entre Tom Brady e Bill Belichick rendeu quatro Super Bowls aos Patriots | Foto: Charles Krupa/AP

Um adversário indigesto

A volta de Tom Brady ao Super Bowl só foi acontecer na temporada de 2007. New England fez a campanha perfeita na temporada regular, com 16 vitórias e nenhuma derrota, e conseguiram chegar à final que foi disputada no University of Phoenix Stadium. No Super Bowl 42, os Patriots, Bill Belichick e Brady conheceram seu principal algoz. O New York Giants venceu a partida por 17 a 14, em um confronto no qual o quarterback adversário, Eli Menning, jogou muito bem, e Brady foi completamente anulado pela defesa dos Big Apple. Contudo, Brady venceu o prêmio de MVP da temporada com 49 dos 50 votos possíveis.

Em 2011, no Super Bowl 46, os Patriots voltaram a disputar o Vince Lombardi. Porém, novamente, o adversário seria o New York Giants, com Eli Menning e uma boa defesa diante de Brady. A derrota aconteceu de novo, desta vez por 21 a 17 e, com isso, pensou-se muito que Tom Brady não iria muito longe novamente. Entretanto, New England seguiu nas temporadas seguintes mantendo um bom nível e sempre chegando bem na pós-temporada.

A volta ao topo em grande estilo

Na temporada de 2014, Tom Brady e companhia se classificaram para a pós-temporada com 12 vitórias e quatro derrotas. Nos playoffs, os Patriots venceram o Baltimore Ravens por 35 a 31 e chegaram à final da AFC. No jogo decisivo, New England não tomou conhecimento do Indianapolis Colts e se credenciaram à disputa de Super Bowl 49, sendo a sexta vez que Tom Brady disputaria o jogo mais importante do futebol americano.

A decisão foi contra o Seattle Seahawks, no University of Phoenix Stadium. A partida foi emocionante e contou com ótima atuação de Brady, porém o que marcou a final foi o passe na linha de uma jarda feito por Russel Wilson. O quarterback dos Hawks foi interceptado por Malcon Butler e, com isso, o Patriots conquistou seu quarto Vince Lombardi na história. Por conseguinte, a quarto anel de Tom Brady, que se igualou ao ex-quarterback Joe Montana no número de títulos.

Tom Brady e Rob Gronkowski formam uma das principais duplas da atualidade. Os dois foram importantes para a conquista do Super Bowl 49 | Foto/AJ Mast/AP
Tom Brady e Rob Gronkowski formam uma das principais duplas da atualidade. Os dois foram importantes para a conquista do Super Bowl 49 | Foto: AJ Mast/AP

Por muito pouco New England não chegou novamente ao Super Bowl, mas parou na final da AFC diante dos Broncos na temporada passada. No entanto, a equipe veio mais forte e preparada para a atual temporada. Brady e Belichick chegam pela sétima vez ao Super Bowl. A decisão será contra o Atlanta Falcons, no NRG Stadium, no Texas.

A temporada de 2016 foi marcante para o quarterback, pois ele perdeu os quatro primeiros jogos por suspensão. Mas, isso não o abalou. Parece que Brady voltou mais determinado para vencer e, principalmente, para manter firme a dinastia a qual ele comeõu a contruir há 17 anos e, hoje, é almejada por muitos.

VAVEL Logo