Com Lyoto Machida na luta principal, UFC anuncia card para UFC Fight Night São Paulo
Foto: Diego Luz/VAVEL Brasil

São Paulo novamente será sede do último evento do UFC no Brasil. No dia 28 de outubro, o Ginásio do Ibirapuera recebe o UFC Fight Night, com o retorno de Lyoto Machida aos octógonos, encarando o americano Derek Brunson na luta principal da noite.

Na tarde dessa terça-feira (29), a capital paulista recebeu as estrelas do próximo evento, além de Demian Maia, que retorna aos combates após derrota na luta pelo cinturão contra Tyron Woodley. O número 3 dos meio-médios encara Colby Covington em sua cidade-natal. 

E na coletiva que marcou o início das vendas dos ingressos para o evento, Lyoto, Brunson e Maia falaram com a imprensa sobre suas expectativas para os combates. Demian comemorou o fato de lutar em casa.

"Para mim é um prazer lutar aqui, na minha cidade-natal. É uma coincidência, já que eu fiz uma corrida de sete vitórias começando aqui em SP".

De volta após dois anos, Machida preferiu lutar no Brasil ao invés de outros lugares, até mesmo na Europa.

"Pra mim está sendo um momento importante. Minha volta aqui no Brasil, já que eu poderia voltar em outros lugares, como a Polônia. Dois anos parados e voltar aqui em São Paulo é importante."

Derek, mesmo fora de sua casa, se sente excitado em encontrar torcida contra, já esperando vaias e já planejando como enfrentrar Lyoto.

"Estou feliz. Os fãs brasileiros são muito empolgantes e sei que vão vaiar muito, mas farei meu máximo aqui. Ele é um grande striker, mas também sou e ele não vai poder fazer coisa porque um golpe certo meu pode acabar com o combate."

Com mais tempo para se preparar do que a luta contra Woodley, Maia espera repetir treinos de suas últimas vitórias no UFC.

"Tem mais que o dobro da última luta. Na passada foram quatro semanas de treino e nessa tenho mais de dois meses e faz toda a diferença. A ideia é fazer um camping nos Estados Unidos e das oito últimas lutas, venci sete e a única que não fiz camping lá, perdi. Como analista, preciso pensar, mas isso faz sim a diferença. Quando você tem uma derrota, por mais que não tenha sido por longa diferença, é bom voltar à SP e querer retomar o caminho das vitórias".

Sobre mudar ou não seu estilo após ver Woodley escapar de suas quedas, Demian disse que não vai mudar seu estilo e joga a responsabilidade para o rival.

"Acho que ele é mais de luta agarrado do que trocação. Ele treina sim trocação, mas desde o momento que entrei no UFC, todos tentam anular meu jogo de chão. O único que não deixou levar ao chão foi na última luta contra o campeão. Agora, cabe a ele treinar e anular minha estratégia".

Sobre a preparação de Demian para sua próxima luta depois de uma derrota, ele revelou conversas com sua equipe e seguir com a preparação como era feita tempos passados.

"Toda luta tento trabalhar lados fracos. O primeiro alerta que me ligou foi esse período no wresteling. O UFC me questionou se eu queria essa luta e sentei com meu time e aceitei. Prefiro me arrepender do que fiz do que não tentar. É continuar investindo ainda mais nesse jogo de queda".

Perguntado sobre enfrentar um ex-campeão e lutador histórico, Derek não afinou e nem negou ser fã, mas que dentro do ringue, a história será diferente.

"Ser eu mesmo. Troco bem contra todos na categoria. Eu aprendi um processo com os anos para cuidar de mim mesmo, me ajustar e seguir crescendo. Assisto o Machida por toda sua carreira, mas quando ficar frente a frente, encarar e apagar".

Dois anos parados após cair no exame anti-doping, Lyoto revela um crescimento pessoal, profissional e explicou o fato de ficar fora da grande mídia nesse tempo parado sob punição.

"Assumo a responsabilidade pelo doping. Eu não crescia quando colocava a culpa nos outros, mas quando aceitei o erro, tudo mudou, prosperou e coisas diferentes apareceram. Aprendizados na vida e eu assumo a responsabilidade e nem discuto a punição. Tudo tem uma razão e eu olhei com olhar positivo. Usei essa pausa para me tornar um lutador, uma pessoa, um pai melhor. Tirei um tempo para mim, me afastando da mídia, olhando por outros ângulos. Desenvolvi outros caminhos que enxerguei após essa pausa".

Brunson comentou sobre sua luta contra Anderson Silva, onde muitos questionaram a vitória do brasileiro, mas o americano colocou panos quentes, mesmo assumindo a vitória.

"Virei a página. O Spider sempre foi um dos meu lutadores favoritos e a imprensa achou que fui o vencedor. Lutei com camping completo e ele não estava tão interessado. Ele estava feliz, lutou, deu o máximo e os juízes acertaram ou erraram. Mas virei a página".

Os preços dos ingressos vão do R$ 190,00 (cadeira superior B) aos R$ 6.000,00 (owner's section). Os bilhetes podem ser adquiridos através do site tudus.com.br.

Confira abaixo o card completo:

Lyoto Machida x Derek Brunson
Glover Teixeira x Misha  Cirkunov
Demian Maia x Colby Covington
Deiveson Alcantara x Jarred Brooks
Antônio Cara de Sapato x Jack Marshman
Carlos Felipe Boi x Christian Colombo
Augusto Mendes x Boston Salmon

VAVEL Logo