Análise: O quanto lesões na pré temporada podem afetar um time no decorrer da NFL

Entre novatos e veteranos, são ao todo oito lesões confirmadas de peças importantes antes mesmo do início da temporada regular.

Análise: O quanto lesões na pré temporada podem afetar um time no decorrer da NFL
(Foto: Shotgun/FA)

A pré temporada da NFL é sempre marcada não só pela possibilidade de poder matar a saudade, como também pelas lesões. Sejam elas leves ou graves, sejam em jogadores que não tem tanto nome e também jogadores que são cruciais para a montagem do elenco final de suas equipes. A temporada nem começou direito e estamos apenas na segunda semana de pré temporada, porém oito deles já foram diagnosticados com lesões e não terão condições de atuar nesse ano.

O impacto de tais jogadores deve ser sentido em todas essas franquias, principalmente em times que contavam mais com certos atletas para o andar de seu bom aproveitamento na temporada.

A linha ofensiva faz suas vítimas

No jogo de ontem (16), tivemos o terceiro caso e consequentemente o oitavo principal nome nessa pré temporada, Isaiah Wynn o calouro da universidade da Geórgia que foi escolha de primeira rodada no último draft, sofreu uma lesão no tendão de aquiles e ficará de fora da sua primeira temporada na NFL. A linha ofensiva dos Patriots que foi a terceira melhor na última temporada, teve uma baixa logo após o Super Bowl e Nate Soldier rumou aos Giants. Wynn era uma solução barata que poderia dar muito certo e mostrava isso não só nos treinos como também nos dois primeiros jogos dessa pré temporada.

Entretanto, outros dois nomes também estão fora por lesão e preocupam bem mais, Nick Easton que já atuou em franquias como 49ers e Ravens, desfalcará o Vikings. Nessa temporada outro nome que também está fora por lesão é A.Q. Shipley o veterano de 32 anos com lesão confirmada no início do mês perderá toda a temporada.

Ambas perdas serão lembradas em função da produtividade das suas linhas ofensivas em 2017. Com a vigésima segunda melhor linha ofensiva e com uma defesa sólida, a melhor da NFL, a tendência era que com um novo quarteback (Kirk Cousins), a evolução da linha iria ser notória, com a baixa de Easton o time segue a procura de um jogador que consiga suprir ou até melhorar o nível da proteção ao Cousins. Já o time dos Cardinals tem mais problemas, com a segunda pior linha ofensiva na temporada passada, e perdendo um de seus titulares os problemas são ainda maiores quando a esperança de um futuro melhor passa por Josh Rosen, essa linha é fundamental para o sucesso com o calouro que ainda conta com Sam Darnold que tem um grande histórico de lesões.

+ Segunda semana de pré temporada começa com confrontos empolgantes

O calouro Isaiah Wynn é uma das vítimas dessa temporada (Foto: Black News Zone)

Na defesa, nomes que fazem falta

Já que no ataque os nomes que mais fazem falta são os de linha ofensiva, na defesa três nomes levam destaque até aqui. Jake Ryan, Johnathan Cyprien e Jason Verrett são jogadores nos quais suas equipes nem podem pensar em contar nessa temporada. O linebacker de Michigan teve uma lesão confirmada nos ligamentos, desfalcará uma defesa que sofreu demais contra o jogo aéreo no ano passado, além de tudo isso o time do Packers conta com uma escassez na posição de Ryan o que pode ser um problema no decorrer da temporada.

Se nem tudo são flores em Wisconsin, já em Tennessee as coisas deram uma amenizada. Cyprien teve lesão confirmada no joelho e deve desfalcar a secundária dos Titans desse ano, Kenny Vaccaro é uma solução a curto prazo que pode ser muito útil para a defesa que foi considerada a décima sétima melhor na temporada passada. Todavia, a secundária dos Chargers deve ter mais problemas com a baixa de Verrett.

Em um time que sempre sofre com lesões até de certo modo grosseiras, o cornerback desfalcará os Chargers pelo terceiro ano seguido e pode ser mais um problema para o time de Los Angeles que sempre promete muito, mas também entra na temporada com alguma baixa significativa, principalmente nos últimos anos.

Lesão é a palavra que mais aparece ano, após ano no time dos Chargers (Foto: PFF/Rumors)

O ataque e suas dúvidas

Se os problemas do Redskins após a saída de Kirk Cousins para os Vikings foram solucionados com a chegada de Alex Smith, eles voltaram a ter uma grande incógnita em questão de seu jogo corrido. O calouro, escolha de segunda rodada Derrius Guice está fora da temporada e será um desfalque muito sentido, já que o jogo terrestre de Washington foi um dos grandes problemas no ano passado, com isso Samaje Perine e Chris Thompson devem ganhar mais espaço, mas a situação segue sem uma definição positiva por lá.

+ Tom Brady desfaz mal entendido sobre Nick Foles: "Tenho muito respeito por Nick"

Já que na capital dos Estados Unidos, o jogo terrestre é o problema, no time dos Chargers Hunter Henry é uma baixa que pode ser sentida em um jogo que ainda utiliza-se de tight ends. Keenan Allen é sempre um problema e por mais que seja o principal foco no jogo aéreo de Los Angeles, sofre com lesões. Se já não bastasse isso o time ainda tem indefinida a situação de Antonio Gates. Problemas que só o tempo mostrará quem foi que usou a cabeça e procurou a melhor solução para o sucesso da sua respectiva franquia.