Cariocas ampliam liderança no Mundial Júnior de Snipe
Resultados colocam os cariocas no caminho do título Mundial de Snipe Júnior 2019 (Divulgação)

Cariocas ampliam liderança no Mundial Júnior de Snipe

Velejadores são favoritos para conquistar a competição, que é disputada em Ilhabela (SP)

ismailfilho
Ismail Filho

O Mundial de Snipe Júnior 2019 tem o domínio total da dupla brasileira Gustavo Abdulklech e Leonardo Motta, que representa o Iate Clube do Rio de Janeiro.

Os cariocas venceram quatro das cinco regatas disputadas em Ilhabela (SP) e abriram 11 pontos de vantagem para os três barcos que dividem a segunda colocação do evento. Nas duas provas disputadas nesta quinta-feira (3) no Canal de São Sebastião, Gustavo Abdulklech e Leonardo Motta conseguiram um segundo lugar na primeira e venceram a última do dia. Os dois têm apenas 6 pontos perdidos.

Os resultados colocam os cariocas no caminho do título Mundial de Snipe Júnior 2019. Faltam apenas quatro regatas e ainda entrará o descarte do pior resultado. Mesmo com a vantagem confortável, os dois pretendem seguir a mesma estratégia nas próximas provas em Ilhabela (SP).

Fizemos um dia bom e conseguimos continuar a andar rápido, mesmo com alguns erros. Vamos analisar o vento de amanhã (quinta) para tomar as decisões. Mas nosso objetivo é seguir o que estamos fazendo”, disse o timoneiro Gustavo Abdulklech, que levou mais uma vez o prêmio The Best of the day.

Como manda a regra, os líderes entram na água com uma bola dourada na vela principal. Outros eventos como o Tour de France de ciclismo, por exemplo, sempre indentificam o primeiro colocado no geral na prova seguinte.

Gustavo Abdulklech e Leonardo Motta foram superados no Mundial de Snipe Júnior em apenas uma regata. Os portugueses Mafalda Pires e Tomas Pires ganharam a primeira prova do dia e assumiram a segunda colocação no geral.

Outros dois barcos estão com a mesma pontuação dos irmãos Pires, com desvantagem apenas pelos critérios de desempate. Os brasileiros Matheus Oliveira e Rafael da Silva (Escola de Vela de Ilhabela) e Rafael Rizzato e Gerald Wicks (Yacht Clube da Bahia) também somam 17 pontos perdidos.

Ficamos felizes pelo resultado. Bastante decente. A primeira regata foi boa e a segunda nem tanto. Temos pontos a melhorar para as próximas”, contou o português Tomas Pires.

A dupla campeã mundial júnior vai levar pra casa o Troféu Vieri Lasinio Di Castelvero nas provas de 2 a 5 de outubro. Podem disputar velejadores de até 22 anos a competição internacional.

São ao todo 15 barcos de cinco países: Argentina, Brasil, Japão, Portugal e Uruguai. A Escola de Vela Lars Grael é a sede a competição.

As regatas desta quinta-feira foram realizadas com vento de sul e intensidade variando de 15 a 19 nós. A organização deve fazer mais duas provas nesta sexta-feira (4).

Conselho dos campeões

O desempenho de Gustavo Abdulklech e Leonardo Motta indica que os cariocas devem levar pra casa o Troféu Vieri Lasinio Di Castelvero. É possível até que matematicamente a competição seja decidida na sexta-feira.

Os gaúchos Tiago Brito e Antonio Rosa viveram situação parecida e trouxeram para Porto Alegre (RS) o título mundial da versão juvenil em 2017, quando o evento ocorreu em La Coruña, na Espanha. Presentes no litoral norte paulista para o Mundial Sênior, que começa na semana que vem, os velejadores deram dicas preciosas aos compatriotas mais novos.

Eles têm que esquecer a pressão e continuar velejando bem! E não deixar o nervosismo bater, colocando tudo por água abaixo. Tem tudo para que eles sejam campeões”, aconselhou Tiago Brito.

O proeiro Antonio Rosa também falou a respeito da vantagem da dupla carioca no Mundial Júnior. ”Em La Coruña a gente não mudava muito que havíamos treinado. Tem que velejar como se faz em casa!”.

O evento principal do Mundial de Snipe 2019 terá mais de 80 duplas de 12 países e sua abertura oficial será no sábado (5).

VAVEL Logo
CHAT