Tampa Bay em números: a temporada dos Buccaneers rumo ao Super Bowl LV
Kyle Zedaker/Tampa Bay Buccaneers

Estamos às vésperas do Super Bowl LV e a grande decisão da NFL terá as duas melhores equipes da temporada. Pela NFC, o Tampa Bay Buccaneers irá representar a conferência e terá a missão de conquistar o título da liga dentro de sua casa, o Raymond James Stadium. Mas como a equipe chegou até aqui? Qual foi o caminho da franquia da Flórida em 2020?

Temporada regular

A chegada de Tom Brady mudou o status dos Buccaneers que passaram a ser um time mais competitivo e que poderia fazer barulho. Se com James Winston a equipe apresentava bons frutos, o hexacampeão da NFL certamente faria um trabalho mais consistente. No entanto, a estreia não foi como o esperado. Diante do New Orleans Saints, Tampa Bay apresentou problemas com turnovers que atrapalharam o andamento do jogo e foram convertidos em pontos. Depois do tropeço, a equipe conseguiu vitórias tranquilas, mas diante adversários mais fracos.

Por sinal, um dos grandes problemas dos Buccaneers na temporada regular foi enfrentar adversários mais fortes. Se equipes pressionassem Tom Brady, o ataque não funcionava bem e a defesa virava um alvo único para ser derrubado. Este problema foi visto em jogos contra Bears, Saints, Chiefs e Rams. A única exceção foi contra Green Bay. Em uma das melhores atuações em 2020, Tampa Bay teve ataque e defesa funcionando muito bem.

Do outro lado, algumas coisas funcionaram muito bem. O jogo terrestre com Ronald Jones e Leonard Fournette, e a defesa com Devin White, Ndamukong Suh e Anthony Winfield tiveram papel fundamental na trajetória da equipe até aqui. Mesmo em jogos mais complicados houveram algumas amostragem que deixaram claro que a equipe poderia evoluir ao longo da competição.

Playoffs

Com 11 vitórias e cinco derrotas, Tampa Bay chegou na pós-temporada como a quinta melhor campanha da NFC e segundo lugar do Sul. Apesar de ter Tom Brady, o time não era cotado para estar entre os finalistas, mas que poderia dificultar para seus adversários. Contra Washington no Wild Card, a equipe oscilou novamente e contou com um ataque muito mais aéreo, algo que foi misturado junto com o jogo terrestre durante toda a temporada regular. Mesmo com um terceiro quarto perigoso, os Buccaneers conseguiram avançar para talvez o principal confronto dos playoffs.

Diante dos Saints, a equipe de Bruce Arians conseguiu mudar a postura e finalmente apareceu em jogos grandes. De um jogo que foi aniquilado em quase todos as partidas, Tampa Bay entrou com um ritmo diferente e conseguiu forçar os turnovers necessários para vencer. Contra os Packers, a receita foi repetida, mas um sofrimento maior foi apresentado. O excelente primeiro tempo acabou ajudando o rendimento da equipe que teve uma queda no segundo tempo, mas contou com Green Bay que não soube aproveitar os erros adversários e sucumbiu em uma defesa superior.

Números

Tom Brady: 4633 jardas, 40 touchdowns, 12 interceptações e 65,7% dos passes completados;

Ronald Jones: 978 jardas, 192 corridas e sete touchdowns

Mike Evans: 1006 jardas, 70 recepções e 13 touchdowns

Devin White: 133 tackles

Defesa que menos cedeu jardas corridas: 1289

Quarto ataque com mais jardas aéreas: 4776

VAVEL Logo