Esgrima: tudo o que você precisa saber para o Rio 2016

Definida pelos grandes mestres como: "A arte de servir-se da espada, do florete e do sabre", esta prática esportiva traz benefícios como agilidade, aumento da força e maior concentração.

Esgrima: tudo o que você precisa saber para o Rio 2016
Esgrima: tudo o que você precisa saber para o Rio 2016

Esporte de combate, a esgrima inicialmente era utilizada para a caça e sobrevivência, anos depois sendo usada como arma de combate, deixada de lado apenas após o surgimento das armas de fogo.

Havia duelos para descobrir qual das armas era melhor, o sabre, com seu principal golpe de corte ou a espada, com seu golpe de ponta, porém, nunca obtiveram nenhum resultado. Para reduzir os ferimentos foram criadas algumas regras como por exemplo, os dois competidores não podiam atacar ao mesmo tempo, sendo assim os ferimentos que antes eram sinais de vitória foram substituidas por árbitros.

Nesta modalidade também existem faltas e cartões amarelos. As mais comuns são  dar as costas ao adversário, usar a mão não armada ou sair da pista. Nestes casos, o atleta é advertido com cartão amarelo. Caso tenha repetição, o atleta recebe o cartão vermelho.  Em poucos casos, existe o cartão preto, usado para faltas mais graves e acaba na desqualificação do atleta.

A prática desta modalidade traz equilíbrio, aumento da força, agilidade no raciocínio e tomada de decisões, desenvolve a coordenação motora e aumenta o poder de concentração.

Em 2012 as olimpiadas em Londres, foram realizadas entre os dias 27 de julho a 12 de agosto no completo Excel. A Itália foi o páis que somou mais medalhas, sendo 45 de ouro, 38 de prata e 31 de bronze.
O Brasil foi representado por três esgrimistas, Guilherme Toldo obteve o melhor desempenho vencendo o primeiro duelo, porém, sendo eliminado no round 32. Os outros dois brasileiros já estrearam no Round 32 com derrotas.

No Rio 2016, as competições serão realizadas na Arena Carioca 3, no Parque Olímpico da Barra. A esgrima terá dez provas no total, sendo cinco no masculino (espada, florete e sabre individual, espada e florete por equipes) e cinco no feminino (espada, florete e sabre individual, espada por equipes e sabre por equipes). 

O maior medalhista olímpico masculino é o italiano Edoardo Mangiarotti com 13 medalhas, sendo seis de ouro, cinco de prata e duas de bronze. Na vice liderança vem o hungaro Aladar Gerevich com sete medalhas de ouro, uma de prata e duas de bronze. E por fim, temos o italiano Giulio Gaudini com três medalhas de ouro, quatro de prata e duas de bronze. 

Na parte feminina temos a campeã italiana Valentina Vezzali, com seis medalhas de ouro, uma de prata e duas de bronze. Em seguida vem também a italiana Giovanna Trillini, com quatro medalhas de ouro, uma de prata e três de bronze. E em terceiro lugar temos a Ildiko Rejto-Ujlaki, com duas medalhas de ouro, três de prata e duas de bronze.

Pela primeira vez na história, o Brasil tem 13 atletas confirmados e sonha em chegar longe na competição para divulgar o esporte pelo país. Contudo, dessas treze vagas, oito fazem parte da cota de país-sede e cinco foram conquistadas nas competições. 

Renzo Agresta Nathalie. Moulhausen, Guilherme Toldo, Henrique Marques e Ghislain Perrier foram os atletas que conquistaram as cinco vaga pela competição. Os atletas convidados são, Emese Takacs, Rayssa Costa, Nicolas Ferreira, Athos Schwantes e Guilherme Melaragno, pela modalidade espada. Taís Rochel e Bia Bulcão, pelo florete e Marta Baeza pelo sabre.

A grande aposta brasileira é Renzo Agresta, que vem determinado para conseguir o triunfo. "Sei que posso ganhar de qualquer adversário, pois visualizei o meu potencial. Estou ganhando de adversários que já conquistaram medalhas importantes no circuito mundial. Assim, renovei a minha confiança para seguir forte até o Rio de Janeiro", disse o atleta, que com apenas 18 anos disputou a edição da República Dominicana (em 2003) onde terminou em 11º lugar no individual e em sexto por equipes. No Rio de Janeiro em 2007, Renzo subiu ao pódio pela primeira vez, conseguindo o bronze no individual. Em 2012 em Guadalajara, repetiu o feito.