Legado Olímpico: restauração da economia e de parte da cidade é o legado de Londres 2012

O evento restaurou parte importante da cidade, atraiu turistas e movimentou a economia na época. Depois de passarem por reformas, as instalações são o legado mais visível da Olimpíada de Londres e mantem viva a memória dos Jogos, além de continuarem incentivando a cultura esportiva na cidade

Legado Olímpico: restauração da economia e de parte da cidade é o legado de Londres 2012
Legado Olímpico: restauração da economia e de parte da cidade é o legado de Londres 2012

O Leste de Londres foi o que mais se desenvolveu com a Olimpíada, principalmente a região de Stratford, onde fica o Parque Olímpico Rainha Elizabeth. Era considerada uma das áreas mais pobres da cidade, e estava abandonada há anos. Antiga área industrial, ainda havia muito lixo descartado inadequadamente, terra contaminada, além da poluição. Com a reforma para a realização dos jogos, dois milhões de toneladas de terra contaminada foram retirados e milhares de árvores foram plantadas.

Foi feito um grande investimento em transportes, o que proporcionou muitas melhorias para toda a região leste da cidade. A infraestrutura construída para os Jogos aproximou o bairro de Stratford do centro de Londres; o percurso agora é feito em apenas seis minutos. A estação de trem do bairro hoje é considerada uma das mais conectadas da Europa.

Apesar de a economia ter começado a ser movimentada em Stratford e em toda a Zona Leste após a Olimpíada, não são todos que estão satisfeitos. Stratford é agora um bairro para turistas, pessoas que querem visitar o Centro Olímpico e usufruir da infraestrutura que agora ali existe e de todas as novas atrações da região. Além disso, como a qualidade de vida no bairro melhorou, ele se tornou atraente para pessoas de classes mais altas, o que fez encarecer o valor dos imóveis.

Porém, é necessário lembrar que, antes dos Jogos Olímpicos, Stratford era um bairro considerado pobre, e que havia uma população vivendo ali desde sempre. Muitas destas pessoas tiveram de se deslocar, pois o custo de vida e moradia aumentou na região. Foram feitas muitas adaptações na estrutura de Stratford, que passaram a dificultar o dia a dia dos moradores originais; estes queixam-se  do fechamento da avenida principal e da agência dos correios, além do grande movimento de turistas nas ruas, o tempo todo.

A cultura esportiva

Desde o anúncio que a cidade sediaria a Olimpíada e até um ano depois dos Jogos, mais pessoas começaram a se exercitar. Com a abertura dos parques públicos, o número de pessoas que praticam esportes ao menos uma vez por semana também cresceu. Agora utilizam inclusive as instalações permanentes do Parque Olímpico.

As instalações Olímpicas

Em 2014 o Parque Olímpico Rainha Elizabeth foi reformado, reinaugurado e aberto ao público. A entrada no parque é gratuita e os ingressos são cobrados apenas para visitar as instalações. O velódromo Lee Valley VeloPark, que para muitos se tornaria um elefante branco após os Jogos, também está aberto. Lá os visitantes podem alugar bicicletas e aprender na prática um pouco sobre o ciclismo de pista. Do lado de fora, aos fundos do local, encontra-se a pista de terra, com a mesma proposta.

O Centro Aquático de Londres cobra £ 3,50 pelo acesso à piscina Olímpica, de 50 metros. É o mesmo valor cobrado nas piscinas públicas comuns na cidade.

O que mais chama a atenção é o ArcelorMittal Orbit, uma estrutura de 115 metros de altura. Ela é feita de aço, tem a cor vermelha e a aparência semelhante à de uma montanha-russa. Os visitantes podem chegar ao seu topo pagando um ingresso de 12 libras.

Porém, o que atrai o público ainda mais do que as instalações para as Olimpíadas, são os parques públicos e os espaços abertos. Em Londres áreas ao ar livre não são comuns, por isso estes espaços são um grande atrativo, principalmente para famílias com crianças. Não somente os turistas, mas a população londrina tem agora esta opção de local para praticar suas atividades físicas ou simplesmente passar o tempo.

O investimento

Os Jogos Olímpicos e Paralímpicos de Londres receberam um investimento total de 9 bilhões de libras, o equivalente a cerca de R$ 30 bilhões. A cidade se recuperou dos gastos muito rapidamente. Em um período de cinco meses o fluxo de turistas nacionais e internacionais cresceu e adicionou 600 bilhões de libras (R$ 2 bilhões) ao setor.

O relatório entregue ao Governo de Londres em julho de 2013, Inspired by 2012: The legacy from the London 2012 Olympic and Paralympic Games (Inspirado por 2012: o legado dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos de Londres 2012, em tradução livre) mostra que os jogos acrescentaram 9,9 bilhões de libras (R$ 33 bilhões) à economia britânica.

Estima-se que as Olimpíadas terão gerado, até 2020, um lucro total de 28 a 41 bilhões de libras (de R$ 95 a R$ 139 bilhões) para o país.