Legado Olímpico: revolução urbana dita Barcelona 1992 como a melhor Olimpíada da história

A capital da Catalunha é vista como uma das cidades com maior legado positivo depois da Olimpíada

Legado Olímpico: revolução urbana dita Barcelona 1992 como a melhor Olimpíada da história
Legado Olímpico: conheça Barcelona, cidade sede dos Jogos em 1992

Barcelona é considerada por muitos hoje como o berço da chamada Era Moderna dos Jogos Olímpicos. Isso porque, a sua escolha como sede e a posterior realização dos Jogos representou uma grande revolução na questão do legado urbano, para a própria cidade, em questão de infra-estrutura e mobilidade, quanto na qualidade de vida de seus moradores.

Sem contar que, na década seguinte à realização da Olimpíada, a cidade espanhola passou a receber um número cada vez mais significativo de visitas de turistas a cada ano. E hoje é uma das cidades mais visitadas da Europa.

O que melhorou após os Jogos?

A principal mudança e consequente beneficio para a cidade foi a sua modernização. Durante os 6 anos de reformas e novas construções, Barcelona passou de uma cidade "ultrapassada" e ganhou status de uma cidade moderna. O que mais contribuiu para essa nova concepção foi a grande transformação da zona portuária. Com a incorporação de mais quatro quilômetros à sua área litorânea, o litoral ganhou um aspecto diferente. As fábricas, que antigamente afastavam a população das praias, mudaram suas sedes para outros locais, possibilitando um aumento de visitantes e impulsionando o turismo na região. Mudanças como essa também mudaram a concepção da vida noturna em Barcelona, que hoje, tem grande fama pelo mundo.

Além dessas melhorias, é importante salientar a questão da urbanização ocorrida na cidade, que beneficiou todos os seus moradores, como a construção de estradas e melhoria das já existentes e o investimento em infra-estrutura de moradia e habitação. Além de beneficiar também o turismo. Sem contar as instalações mais famosas, como o Estádio Olímpico por exemplo, que hoje serve como ponto turístico para quem visita a cidade.

O que piorou após os Jogos?

Entre tantos pontos positivos e tantos bons aspectos que a Olimpíada deixou para Barcelona, um ponto deixou a desejar. O parque aquático, construído na província de Montjuic é uma das instalações que hoje não tem tido grande uso, sendo usado somente nos dias mais quentes do ano. Outra questão que pesa com relação ao parque aquático é a manutenção, que não tem sido acompanhada como deveria.

Além do local onde se realizaram as competições de natação, outras instalações construídas poderiam estar sendo usadas com mais frequência pela cidade, seja pela própria população ou pelo governo da cidade para realização de eventos. É o caso do velódromo, por exemplo. É bastante utilizado, porém o fato de não possuir uma cobertura impede que ele seja usado em competições de grande porte.

Somado a isso, após os Jogos a estimativa do custo de vida na cidade subiu 20%.

O que mudou quanto à cultura esportiva no país?

A realização dos Jogos permitiu um desenvolvimento maior do esporte, em geral, na Espanha. Cresceu o número de praticantes nas escolas, nos clubes grandes, a procura pelos times de futebol aumentou, além do maior destaque que o país conseguiu obter ao longo dos anos em algumas modalidades esportiva. Hoje, por exemplo, a liga espanhola de basquete é uma das mais famosas do mundo, atrás da NBA. Mas, talvez o exemplo mais emblemático para esse caso seja o futebol. Podemos dizer que a semente foi plantada no início da década de 90. A partir daí foi dedicada uma maior atenção a esse esporte que fez com que a sua seleção revolucionasse a maneira de jogar futebol e, consequentemente, conseguisse conquistar o primeiro título mundial de sua história, na Copa do Mundo de 2010 realizada na África do Sul.

Houve maior atenção ao investimento esportivo?

Na verdade, a intenção da realização dos Jogos Olímpicos em Barcelona era estruturar a cidade. Pela primeira vez na realização de uma Olimpíada, a preocupação foi além dos dias de competição. Foi a chance que Barcelona teve de se reiventar e se transformar, urbanisticamente falando. Claro que as instalações construídas para a disputa das competições esportivas em si lá permanecem, mas o legado e investimento esportivo vão além da disputa Olímpica.

Como estão as instalações olímpicas?

A principal delas, o Estádio Olímpico, onde foram realizadas as cerimônias de abertura e encerramento dos Jogos, além de sediar as competições de atletismo, é hoje um ponto turístico aberto gratuitamente para quem visita a cidade. Poucas competições essencialmente esportivas são disputadas lá. O foco do estádio hoje se vira mais para os shows.

A vila olímpica está hoje praticamente integrada ao cotidiano dos catalães e, próximo a ela, pode-se encontrar o museu olímpico, que guarda as histórias das competições.

Na mesma região, está situado o complexo coberto chamado de Palau Sant Jordi, que hoje abriga tanto competições esportivas quanto espetáculos musicais. Inclusive, esse foi o palco da conquista do ouro olímpico para a seleção masculina de vôlei do Brasil, primeira conquista do esporte coletivo brasileiro em Jogos Olímpicos.

Por outro lado, os já citados aqui, parque aquático e velódromo são as construções que são menos utilizadas atualmente.

Controle dos gastos das obras

O comitê organizador das Olimpíadas de Barcelona gastou um total de 1,635 bilhões de dólares. Um terço foi provido dos patrocinadores, outro terço veio dos direitos de transmissão da televisão e o terço restante divididos entre as instâncias públicas e privadas que colaboraram para a organização dos Jogos.