Segundo dia da Esgrima tem brasileiro fazendo história e italiano vencendo favorito na final

Guilherme Toldo chega às quartas no florete individual e marca melhor participação brasileira na categoria; Garozzo derrotou americano Alex Massialas pra ganhar o ouro na final

Segundo dia da Esgrima tem brasileiro fazendo história e italiano vencendo favorito na final
Brasileiro comemora muito vitória sobre japonês Yuki Ota, número 2 do mundo (Foto: Alex Livesey/Getty Images)

A Esgrima deu continuidade nos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro neste domingo (2), avançando ao segundo dia. Depois de Nathalie Moellhausen ter feito história no primeiro dia de competições ao ter chegado até as quartas de final na categoria espada individual, Guilherme Toldo decidiu seguir o mesmo caminho: foi até a mesma fase no florete individual, já sendo a melhor participação do país na modalidade. O gaúcho acabou perdendo para Daniele Garozzo (ITA), que viria a ganhar o ouro no fim do dia, seguido de Alexander Massialas (EUA) com a prata e Timur Safin (RUS) ganhando o bronze.

O dia dos brasileiros: Guilherme Toldo faz história e valente Henrique Marques é eliminado ainda na primeira fase

O dia, porém, começou com dois brasileiros na disputa por alguma medalha. Além do Guilherme, Henrique Marques perdeu na primeira fase, a 32-avos de final, para o egípcio Mohamed Essam, por 15 a 8. Na fase seguinte, Toldo já mostrou que iria brilhar no dia: venceu o número 2 do ranking na categoria, o experiente Yuki Ota, que foi medalhista de prata em Londres e também foi campeão mundial em 2015. O brasileiro derrotou o japonês por 15 a 13, em duelo bem disputado. Para chegar nesta fase, no entanto, derrotou o austríaco Rene Pranz por 15 a 14, em outro jogo bem equilibrado.

Nas oitavas de final, Guilherme entrou na pista para enfrentar o honconguês Ka Long Cheung, que fazia sua primeira olimpíada aos 19 anos de idade. O brasileiro não tomou tanto conhecimento do rival e avançou com o resultado mais confortável até então, 15 a 10. Agora, chegaria à mesma fase que Nathalie chegara no dia anterior, ao perder para a francesa Lauren Rembi.

A partida frente ao italiano Daniele Garozzo seria dura, dada ao favoritismo e boa colocação no ranking da categoria. O rival do brasileiro acabou dominando o combate e o venceu por 15 a 8, garantindo sua participação em alguma disputa de medalha. Toldo terá chance de revanche na próxima sexta-feira (12), quando o Brasil irá enfrentar a Itália nas quartas de final do florete masculino por equipes. 

Os medalhistas do dia: campanha avassaladora de Masssialas, eficiência de Garozzo e poder de decisão de Safin

O italiano Daniele Garozzo, o americano Alexander Massialas e o russo Timur Safin começaram suas participações na segunda fase. Os esgrimistas não tiveram tantas dificuldades até fazerem seu caminho às oitavas, quando venceram seus combates por 15 a 8, 15 a 7 e 15 a 10 respectivamente. Safin, tendo o placar mais próximo, teve que bater o compatriota Alexey Chereminisov.

Nas oitavas de final, Garozzo teve que de derrotar o egípcio Alaaeldin Abouelkassem por 15 a 13, enquanto que Massialas teve vida mais fácil ao ganhar por 15 a 9 do russo Artur Akhmatkhuzin. O também russo Timur Safin ganhou do britânico David James-Andrew por 15 a 13 também, em batalha dura como a de Daniele.

Na próxima fase, as quartas de final, o italiano, como supracitado, venceu o brasileiro Guilherme Toldo por 15 a 8. Massialas, porém, teve que mostrar o porquê de ser o número 1 do mundo nesta fase. Perdendo para o italiano Giorgio Avola, chegou a ficar sete vezes por tomar o toque para perder, quando estava 14 a 8 para o oponente, o tocando sete vezes seguidas para vencer a batalha de virada por 15 a 14. Certamente a luta do dia. Safin, por sua vez, fez 15 a 7 no chinês Haiwei Chen. 

Chegando na fase decisiva de semifinal, Garozzo jogou contra o russo Timur Safin. Sem grandes problemas, porém, o italiano venceu o rival e avançou à grande final por 15 a 7, empurrando o adversário à disputa do bronze. Na outra semifinal, Massialas derrotou o britânico Richard Kruse por 15 a 9. 

Na disputa do bronze, Safin derrotou Kruse em um duelo bem equilibrado. Em uma oportunidade, o russo deslanchou na batalha para abrir vantagem e apenas administrar, apesar do britânico ensaiar uma reação. Final: 15 a 13 e medalha de bronze para a Rússia e, em meio a tanto escândalo sobre doping, um esgremista faz o país orgulhoso de sua participação. 

Alexander Massialas e Daniele Garozzo fizeram a grande final. O favoritismo, antes do duelo, pairava para o lado do americano, que fez campanha importante e difícil, além de testar seus limites em certos momentos. Depois de início bom de Alex, Daniele avançou à frente e não saiu mais. Apenas adminsitrou em grandes disputadas dos dois na pista da Arena Carioca 3, na Barra da Tijuca. Final: 15 a 11 e medalha de ouro para a Itália no florete individual masculino.

Entenda o florete individual

Categoria mais popular entre os praticantes da Esgrima, o Florete é uma das três possíveis da modalidade. O objetivo principal é pontuar encostando a ponta da arma no tronco do adversário (conhecido como estocada), sendo válido apenas nesta área, com uma força de 5 N (Newtons), tudo detectado pelos aparelhos na ponta da arma e na roupa dos esgrimistas. Vence quem tiver mais pontos depois de três tempos de três minutos ou quem fizer 15 pontos primeiro.