Katinka Hosszú leva mais um ouro na terceira noite da natação; Brasileiros decepcionam

Finais disputadas proporcionaram excelentes disputas aos torcedores, com destaque para o ouro de Sun Yang

Katinka Hosszú leva mais um ouro na terceira noite da natação; Brasileiros decepcionam
Katinka Hosszú comemora sua vitória nos 100m costas fazendo gesto para seu marido e treinador Shane Tusup (Foto: Clive Rose/Getty Images)

A natação voltou para mais uma disputa de medalhas na noite de hoje (8). Os horários proporcionaram uma sequência alucinante de finais, com quatro decisões em sequência. No entanto, a prova que abriu a noite foi a dos 200m livre feminino, que ainda estava na fase de semifinais. Uma das provas mais aguardadas por conta da quantidade de nadadoras com grande potencial de vencê-la, também contava com a presença da brasileira Manuella Lyrio, estreante em Olímpiadas e que tentava garantir vaga para a final.

Não deu para a brasileira, que fez boa prova, mas terminou na sétima colocação de sua bateria. O grande destaque ficou para a segunda bateria, que contava com a presença de Sarah Sjöström, Federica Pellegrini e Katie Ledecky nas três raias centrais da piscina. Toda a expectativa para a presença das três nadadoras foi recompensada com uma prova de altíssimo nível. As três brigaram pela primeira colocação durante todos os 200m, com uma distância ínfima entre elas. No fim, quem saiu com o melhor tempo foi a sueca Sjöström, seguida pela estadunidense Ledecky. Pellegrini, italiana, ficou com a terceira colocação. As três fizeram também os três melhores tempos de balizamento para a final.

Na sequência, a final dos 200m livre masculino também prometia e muito. Tínhamos a presença do sul-africano Chad Le Clos, do chinês Sun Yang, do estadunidense Conor Dwyer e de Paul Biedermann, alemão recordista mundial da prova. Le Clos foi o que teve o melhor início de prova, virando os primeiros 100m na liderança com praticamente um segundo de diferença para seus adversários. No entanto, Sun Yang seguiu sua estratégia de apertar o ritmo no fim, fez excelente prova nos últimos 50m e saiu com a medalha de ouro. Le Clos ficou com a prata e Conor Dwyer levou o bronze.

Na prova dos 100m costas feminino, a expectativa era grande para ver a disputa entre Katinka Hosszú e Kathleen Baker. A “Dama de Ferro” da Hungria acabou saindo vencedora, conquistando a sua segunda medalha de ouro na Rio 16, marcando o tempo de 58.45, vencendo a estadunidense Baker, que ficou com a prata por três décimos. O curioso foi a decisão pelo terceiro lugar, que terminou com um empate. Kylie Masse, do Canadá e a chinesa Fu Yuanhui fizeram exatamente o mesmo tempo de 58.76, apenas um centésimo atrás de Baker e levaram o bronze em conjunto.

Os 100m costas masculino vieram logo na sequência, com uma disputa um pouco menos parelha do que a que aconteceu na mesma prova feminina. Ryan Murphy, dos Estados Unidos, fez excelente prova de recuperação e venceu mesmo depois de virar os primeiros 50m na quarta colocação. Murphy também conseguiu quebrar o recorde olímpico da prova com o tempo de 51.97, ficando a apenas três centésimos do recorde mundial. A prata foi para a China, com Jiayu Xu e o bronze também ficou com os Estados Unidos, representados por David Plummer.

Na última final do dia, os 100m peito feminino também prometia uma disputa bem acirrada, principalmente por conta da presença das nadadoras Lilly King, dos Estados Unidos, Yulia Efimova, da Rússia e Ruta Meilutyte, lituana. As duas primeiras se classificaram com os melhores tempos, sendo as únicas a virar abaixo de 1:06. Meilutyte se credenciava como a recordista mundial. Em prova disputada braçada a braçada, quem levou o ouro foi a estadunidense Lilly King, com o tempo de 1:04.93, estabelecendo um novo recorde olímpico. A prata ficou justamente com Efimova e o bronze também foi para os Estados Unidos, com Katie Meili. Ruta Meilutyte decepcionou e terminou apenas na sétima posição.

Apesar do fim das finais, o dia ainda não havia acabado. Tínhamos a presença de dois brasileiros na semifinal dos 200m borboleta masculino, com Kaio Márcio e Leonardo de Deus. Logo na primeira bateria, Kaio nadou ao lado do húngaro Laszlo Cseh, que marcou o segundo melhor tempo das eliminatórias. O brasileiro viveu uma gangorra na prova, virando em oitavo nos primeiros 50m, subindo para a primeira colocação ao fim dos 100m e terminando na sétima colocação da prova, não conseguindo avançar para a final. Na segunda bateria, com Michael Phelps e Chad Le Clos, o brasileiro Léo de Deus também buscava vaga na final.

O brasileiro não fez boa prova e acabou terminando sua bateria também na sétima colocação. Ao fim da prova, foi o último a deixar a piscina, parecendo não acreditar no seu próprio tempo. Léo de Deus pediu desculpas aos torcedores e lamentou a eliminação nas semifinais, admitindo que sua prova foi ruim e que o tempo ficou fora do seu padrão.

Pela última prova do dia, as meninas voltaram à água para disputar as semifinais dos 200m medley. Na primeira bateria, a britânica Siobhan-Marie O'Connor fez excelente prova, diminuiu seu tempo em um segundo, marcando 2:07.57 e venceu com tranquilidade, sendo a única a virar na casa dos 2:07. Na segunda, Katinka Hosszú voltou à piscina e passeou, marcando o tempo de 2:08.13, vencendo com tranquilidade e se classificando com o segundo melhor tempo das semifinais.