Brasil começa com duas derrotas; Japão surpreende Nova Zelândia no rúgbi

No primeiro dia do rúgbi masculino, os brasileiros saíram derrotados dos dois confrontos do dia

Brasil começa com duas derrotas; Japão surpreende Nova Zelândia no rúgbi
(Foto: David Rogers/Getty Images)

No primeiro dia de competições do rúgbi masculino, o quarto da modalidade nos Jogos Olímpicos, o Brasil não conseguiu vencer nos dois primeiros duelos. O dia, entretanto, teve um momento curioso quando a zebra aconteceu: o Japão conseguiu vencer a Nova Zelândia e quase bateu a Grã-Bretanha na segunda rodada.

Confira todos os resultados e detalhes da primeira rodada no quarto dia de disputas do Rúgbi Sevens dos Jogos Olímpicos Rio 2016:

1ª rodada:

11h: Austrália 14 -31 França

Na última vez que o rúgbi figurou o calendário olímpico (quando outro estilo era disputado), a França perdeu a frande final e acabou ficando apenas com a prata em 1924. Desta vez, os franceses queriam construir uma história diferente e começaram bem a caminhada, vencendo a Austrália por 24 a 0.

Os fraceses marcaram o primeiro try da história do rúgbi sevens nos Jogos Olímpicos com Terry Bouhraoua. O capitão jogou muito bem e foi destaque na partida, marcando um hat-trick e acabando com os australianos.

11:30: África do Sul 24 -0 Espanha

A África do Sul não teve problemas para vencer a Espanha em sua estreia. Com dois tries de Cecil Afrika, as sul-africanas ainda contaram com mais um try de Senatla, fechando o placar de vez em 24 a 0.

12h: Grã-Bretanha 31 -7 Quênia

Muitos esperavam um jogo mais duro de Quênia, mas não foi o que aconteceu. A Grã-Bretanha conseguiu passar com bastante facilidade e não encontrou problemas durante a partida. Bibby marcou 2 tries e Burgess, Norton e Mark Bennett fizeram os outros.

12h30: Nova Zelândia 12 -14 Japão

Foi histórico e surpreendente. Ninguém imaginava que a Nova Zelândia, uma das favoritas ao ouro olímpico, conseguiria perder logo na estreia para o Japão. Os japoneses conseguiram driblar o grande talento adversário, seguraram até o último segundo o poderoso ataque e conquistaram a vitória. A zebra do primeiro dia enfrentou os neozelandeses em dia apático e fizeram a festa.

A segunda notícia triste do dia ficou por conta da lesão de Sonny Bill Williams, que foi bicampeão da Copa do Mundo recentemente. O neozelandês foi cortado após sofrer uma ruptura parcial do tendão de Aquiles do pé esquerdo logo no primeiro duelo dos All Blacks nos Jogos Olímpicos. Ele havia optado por jogar a modalidade sevens no início do ano justamente para disputar o torneio.

13h: Estados Unidos 14 -17 Argentina

O melhor jogo da primeira rodada foi entre Argentina e Estados Unidos, que definiram o placar final apenas no finalzinho do duelo. Os norte-americanos sofreram logo no início com o try de Axel Muller, que abriu a contagem. Em seguida, os argentinos ficaram com um a menos após amarelo, mas antes mesmo do intervalo conquistaram o segundo try com Fernando Luna.

A dominação argentina não durou muito, já que o segundo tempo começou com dois amarelos para os hermanos e logo os norte-americanos viraram o placar com dois tries feitos por Hughes e Barrett. Entretanto, a Argentina assumiu a frente novamente e, na última bola, Moroni não conseguiu acertar o try, deixando os Estados Unidos com a derrota.

13h30: Fiji 40 -12 Brasil

Os brasileiros surpreenderam positivamente no início da estreia do rúgbi masculino, mas não conseguiram segurar a melhor seleção do mundo. Com começo jogando forte e com muita vontade, o Brasil se defendeu muito bem e conseguiu atacar com perigo, encontrando os espaços na marcação adversária.

O primeiro try da história do Brasil no esporte masculino saiu com Alemão em troca de passes ótima com os irmãos Sancery, fazendo a seleção abrir 5 a 0. Fiji demorou a encaixar seu estilo de jogo e teve dificuldades nos minutos iniciais, entretanto, quando as coisas se acertaram foi difícil segurar.

Veremalua fez o primeiro try fijiano e empatou antes do intervalo começar. Durante o segundo tempo, Fiji não deu espaços para o Brasil e logo marcou seu segundo try com Kolinisau, seguido por mais um de Viriviri. Tuisova atropelou e fez mais dois, Veremalua ainda acertou seu segundo try.

Para encerrar a primeira partida do Brasil, Boy conseguiu converter seu segundo try, fechando o placar de vez em 40 a 12.

2ª rodada:

16h: Austrália 26 -12 Espanha

Após perder na estreia, a Austrália venceu a Espanha, mas não conseguiu evitar a emoção. Sem oferecer muito perigo, era esperado que os espanhóis não fossem ser grande problema para os australianos, porém, a história foi diferente e Poggi fez dois tries para os europeus. No fim, Foley afastou o risco e conseguiu mandar a derrota para longe.

16h30: África do Sul 26 -0 França

Esse era um duelo em que muitos acreditavam em uma desputa grande pelo resultado, mas não foi o que aconteceu. A África do Sul atropelou os franceses por 26 a 0 e não deram chance para os adversários.

17h: Grã-Bretanha 21 -19 Japão

Os britânicos encontraram dificuldades para vencer o Japão. Apesar do início arrasador e do placar elástico, abrindo 14 a 0 logo, os japoneses não desistiram e chegaram a empatar o confronto, mas a Grã-Bretanha acabou com o dia de sonho dos orientais e fez mais três pontos, fechando o jogo em 21 a 19.

17h30: Nova Zelândia 28 -5 Quênia

Depois da derrota contra o Japão, a Nova Zelândia conseguiu voltar a vender e derrubou o Quênia sem pena. Colins Injera adicionou mais um try para sua longa lista e abriu o placar para os quenianos, porém, logo depois acabou saindo do jogo por conta de um cartão amarelo e viu sua equipe se desesperar em campo.

Os neozelandeses conseguiram um penal try graças ao cartão e Akira Ioane, Pulu e Ormand fizeram os três tries da partida.

18h: Estados Unidos 26-0 Brasil

Diferente do primeiro jogo, o Brasil não conseguiu marcar pontos no segundo. Em dura partida contra os fortes norte-americanos, os brasileiros conseguiram segurar bastante defensivamente, mas não foi suficiente para impedir que Folau Niua abrisse o placar, tirando o tackle da jogada para marcar o primeiro try. Em seguida, o Brasil ficou com um a menos após levar cartão amarelo e foi então que o ritmo quebrou totalmente.

Com o ex-jogador da NFL, Nate Ebner, e o atleta mais rápido da modalidade, Carlin Isles, os norte-americanos conseguiram marcar mais dois tries, ampliando a vantagem para 26 a 0. O Brasil tentou bastante e conseguiu até marcar um try, mas o jogo já estava parado por falta.

18h30: Fiji 21-14 Argentina

Com direito a muita festa da torcida argentina, os hermanos não conseguiram passar pela poderosa seleção de Fiji. A partida foi a melhor e mais disputada do dia, tendo emoção do início ao fim. A Argentina saiu para o ataque jogando bem e passando por toda defesa fijiana, entretanto, o primeiro try foi para o outro lado com Tuisova.

Logo depois, Sabato empatou para os hermanos e, em jogada incrível, Ezcurra marcou o segundo try. Porém, os fijianos reagiram no final e garantiram a vitória por 21 a 14 graças aos dois tries da máquina Taliga.

As cenas lamentáveis também se fizeram presentes no último jogo do dia. O rúgbi é conhecido pelos fortes contatos e jogadas, mas os jogadores dos dois times acabaram perdendo a cabeça e a arbitragem precisou interferir rapidamente.