Vela: Scheidt fecha o dia em 4°,  Stipanovic lidera na Laser, e brasileiras brilham na 470

Fernanda e Ana Luiza ficaram em quinto nas duas regatas do dia, e alcançaram o 4° lugar no geral na categoria 470 feminino

Vela: Scheidt fecha o dia em 4°,  Stipanovic lidera na Laser, e brasileiras brilham na 470
Photo: Ezra Shaw/Getty Images

O dia foi bom para o Brasil na Vela. Nessa quarta-feira (10), o veterano Robert Scheidt conseguiu boa recuperação após dois dias ruins, e pulou para a 4° colocação na classe Laser. Já na categoria 470 feminino, as brasileiras Fernanda e Ana Luiza estreiaram com o pé direito e terminaram o dia no 4° lugar geral.

Brasil vivo na Laser

Depois de dois dias abaixo do que está acostumado a fazer, Scheidt conseguiu nessa quarta chuvosa no Rio de Janeiro, um 11° numa regata e um segundo lugar na outra, que o deixaram na quarta colocação geral. 

"Hoje era um dia importantíssimo. Era sim ou sim pra manter chances ainda vivas. Apesar de alguns erros na primeira regata, eu vim recuperando. As condições foram muito duras, foi um dia muito físico, mas fiquei contente que cheguei no fim da segunda regata com um bom gás e consegui tirar um terceiro que virou segundo", comentou o bi-campeão olímpico.

Com quatro provas convencionais e a regata da medalha, Robert Scheidt ainda sonha com sua sexta medalha nas olímpiadas. O brasileiro está 15 pontos atrás do líder, que é o croata Tonci Stipanovic, e seis pontos do segundo lugar, o o britânico Nick Thompson.

"É bom estar mais próximo a eles. Quando você fica a 20 pontos de distância sabe que precisa fazer algo muito excepcional para chegar perto na medal race. Eu estou velejando com boa velocidade, tenho todas as armas para fazer boas regatas e chegar com chance", completou Scheidt.

470 feminino é destaque do dia

Na categoria feminina do 470, as brasileiras  Fernanda Oliveira e Ana Luiza Barbachan estréiam sua saga olímpica e conseguiram um bom resultado. Após dois quinto lugares nas regatas de hoje, as brasileiras terminaram o dia na quarta colocação geral.

"Dois quintos lugares foi um bom começo. Nosso esporte premia a regularidade, então é bom começar assim. Sai a ansiedade da estreia", comentou Ana Luzia.

Nessa categoria quem lidera são as japonesas Ai Kondo Yoshida e Miho Yoshioka, com cinco pontos perdidos. 

Dia difícil para o Brasil na Nacra e Finn

Em um dia turbulento com muitos ventos e chuva, a classe Nacra 17 teve regata adiada, e um começo dificil para a dupla brasileira, composta por Samuel Albrecht e Isabel Swan, que ficaram sem a Vela após o barco quebrar, e terminaram apenas na 17° colocação. Na segunda regata, os brasileiros ganharam, deixando em sétimo no geral.

- Foi um dia difícil. Na primeira regata a gente teve um pouco de azar. Estávamos bem. O lado positivo é que a gente conseguiu reverter a situação, o psicológico, o que geralmente pode afetar. Na segunda regata conseguimos velejar de novo bem e isso mostra que a gente está no caminho certo - disse Albrecht.

Os líderes da Nacra são os suíços Matias Buhler e Nathalie Brugger, com oito pontos perdidos, após terminarem as duas primeiras regatas em primeiro e sétimo lugar.

Jorge Zarif não teve um dia promissor na classe Finn. Após uma terça boa, o brasileiro não manteve o ritmo nessa quarta e nas duas regatas conseguiu um 11º e um 22º lugar, que o deixaram na oitava colocação geral, com 21 pontos perdidos. O líder é o o britânico Giles Scott, com seis pontos perdidos.

Nessa quinta (11), Teremos duas regatas da 470 masculina e feminina, outras duas da Finn, três da Nacra 17 e da RS:X masculina e feminina. A Laser não terá nenhuma.