Semifinais definidas; Brasil perde a quarta no rúgbi masculino

Brasileiros não conseguem bater Argentina e Estados Unidos; Nova Zelândia eliminada nas quartas de final

Semifinais definidas; Brasil perde a quarta no rúgbi masculino
(Foto: Philippe Lopez / AFP)

Diferente do que aconteceu com a seleção feminina, os homens do rúgbi brasileiro não conseguiram vencer um jogo sequer nos Jogos Olímpicos. Foram duas derrotas na terça-feira e duas nesta quarta (10), deixando o Brasil na disputa pela 11ª colocação em doze seleções.

A Nova Zelândia passou por apenas um ponto, já que o saldo dos Estados Unidos não conseguiu ser maior após a derrota para Fiji. Os mesmos fijianos forçaram a eliminação histórica dos neozelandeses nas quartas de final.

Confira todos os resultados e detalhes da terceira rodada no quinto dia de disputas do Rúgbi Sevens dos Jogos Olímpicos Rio 2016:

3ª rodada:

11h: França 26 -5 Espanha

Como já era esperado, a França despachou a Espanha sem problemas e venceu por 26 a 5. Vakatawa conseguiu marcar dois tries para os franceses.

11h30: África do Sul 5 -12 Austrália

A Áustrália entrou em campo precisando vencer de qualquer jeito e foi isso que ela fez. Contra a África do Sul classificada, os australianos abriam 12 a 0 no primeiro tempo com Parahi e Cussack. No segundo tempo, os sul-africanos descontaram o placar com um try, mas não adiantou nada.

12h: Quênia 7 -31 Japão

Jogando muito bem nessa Olimpíada, o Japão conseguiu mais uma vitória e eliminou Quênia, que chegou como possível surpresa aos Jogos Olímpicos. Injera fez o único try dos quenianos, mas os japoneses foram para cima com tudo e conseguiram cinco tries, sendo dois apenas com Lemeki.

12h30: Nova Zelândia 19 -21 Grã-Bretanha

A Nova Zelândia teve tudo, menos vida fácil nesses Jogos Olímpicos. Na terceira partida do rúgbi masculino, os neozelandeses chegaram a duas derrotas e passaram para as quartas no último segundo do último jogo.

Sem ter nada a ver com o problema neozelandês, a Grã-Bretanha partiu para cima e abriram grande vantagem de 21 a 0. Mesmo com a reação da Nova Zelândia, foi tarde demais e os britânicos saíram com mais uma vitória.

13h: Argentina 31 -0 Brasil

Não deu para o Brasil. Apesar da empolgação das torcidas nas arquibancadas pelo 'clássico' sul-americano, os argentinos tinham amplo favoritismo e justificaram em campo. 

Só no primeiro tempo, foram três tries marcados e duas conversões certas, deixando o placar em 19 a 0 no intervalo. Os argentinos seguiram dominando e não deram chance aos brasileiros, aumentando a vantagem para 31 a 0 e eliminando o Brasil. 

13h30: Fiji 24 -19 Estados Unidos

Os Estados Unidos entraram em campo contra a forte e classificada seleção de Fiji ainda com chances de classificação. A equipe podia vencer, empatar ou até perder por três pontos de diferença, mas os planos saíram do caminho planejado.

Fiji não fez questão de ajudar os adversários e partiu para cima, deixando a partida muito disputada. Danny Barrett abriy o placar, mas logo Kolinisau revidou. Mesmo com um homem a menos por um cartão amarelo, Fiji conseguiu mais um try com Ravouvou e foi para o intervalo com 12 a 7 no placar.

O segundo tempo foi de muita tensão e os dois times conseguiram mais tries. No fim do confronto, Ebner marcou o último try norte-americano e deu a chance da classificação à equipe, mas a conversão foi perdida e o placar terminou em 24 a 19.

Por apenas um ponto de saldo de gol, os norte-americanos foram eliminados e acabaram precisando amargar a disputa do nono lugar. Já Fiji é só empolgação e o ouro olímpico está cada vez mais próximo.

Semifinal pelo 9º lugar:

16h: Estados Unidos 24 -12 Brasil

Foi um jogo mais disputado e mais bem jogado pelo Brasil, mas não foi suficiente para conquistar a primeira vitória. O jogo começou rápido e Daniel Sancery colocou o primeiro try no placar logo no início. Porém, os norte-americanos não aliviaram e, com Danny Barrett e Carlin Isles derrubando todos os tackles e marcando tries, foi difícil pará-los.

Os Estados Unidos ampliaram ainda com mais um try de Isles e, quando parecia que o placar estava definido, Laurent descontou para o Brasil, arrancando sozinho e colocando 24 a 12 no marcador.

Agora os brasileiros buscam o décimo primeiro lugar para fugir da última colocação jogando em casa. Foi um duro caminho brasileiro, mas os Tupis honraram a camisa verde e amarela.

16h30: Espanha 14 -12 Quênia

Após a eliminação, Quênia e Espanha fizeram a segunda semifinal pelo nono lugar e conseguiram protagonizar um duelo equilibrado. Porém, Poggi foi desisivo e marcou dois tries para os espanhóis, levando a vitória por 14 a 12.

Quartas de final:

17h: Fiji 12 -7 Nova Zelândia

O confronto entre as duas melhores seleções do mundo acabou dando o favorito. Contra os fortíssimos All Blacks, Fiji mostrou porque é concorrente duro ao ouro olímpico e mandou os neozelandeses para casa. 

Osea Kolinisau abriu o placar para Fiji com dois minutos, marcando o primeiro try sem conversão. No fim do primeiro tempo, Gillies Kaka fez o primeiro try da Nova Zelândia e, graças a conversão certa de Augustine Pulu, os neozelandeses ficaram na frente no intervalo.

No início do segundo período, Jerry Tuwai fez o try seguido de conversão certa, o que deixou Fiji novamente na frente. Os fijianos levaram a vantagem até o fim e comemoraram a classificação.

17h30: Japão 12 -7 França

Os franceses quase conseguiram a vitória contra os fortes japoneses, mas não deu. Damien Cler abriu o placar no meio da primeira etapa, deixando 7 a 0 no placar. Porém, o segundo tempo foi totalmente dominado pelo Japão, com Lote Tuqiri acertando um try sem conversão.

Faltando apenas 15 segundos para o fim da partida, Teruya Goto virou a partida e, com conversão certa de Katsuyuki Sakai, deixou o Japão com a vitória no último lance.

18h: Grã-Bretanha 5 -0 Argentina

A decisão mais difícil até agora foi protagonizada por britânicos e argentinos, e teve final feliz para os europeus. A partida foi muito dura para as duas equipes e teve muita emoção. A Argentina teve nos pés a chance de vencer no tempo normal, mas errou o penal e levou a partida para a prorrogação.

Desta vez, foi a hora dos britânicos errarem o penal e desperdiçarem a chance de sair logo com a classificação. Porém, não foi um problema depois, já que Bibby marcou um try e garantiu a vitória da Grã-Bretanha, deixando os argentinos extremamente decepcionados.

18h30: África do Sul 22 -5 Austrália

Repetindo o confronto da manhã, australianos e sul-africanos se encontraram e o vencedor mudou. Desta vez, foi a Austrália que só conseguiu marcar um try, levando dois tries antes do intervalo. No segundo tempo, a África do Sul ainda marcou mais dois tries, ampliando o placar e selando a classificação.

TUQIRI Lote