Emoção, ouro russo e reações brasileiras marcam sétimo dia da Esgrima

Brasil chegou a emplacar duas grandes reações em duas lutas, mas acabou perdendo as três que fez, terminando em oitavo; Rússia levou o ouro, seguido de França e Estados Unidos

Emoção, ouro russo e reações brasileiras marcam sétimo dia da Esgrima
Foto: Ezra Shaw / Getty Images

Nesta sexta-feira (12) a Esgrima fechou sua participação em dias úteis da semana, faltando apenas sábado e domingo para encerrar as disputas no esporte na Olimpíada do Rio de Janeiro. Hoje, porém, foi a vez do Florete por equipes e não faltou emoção na maioria dos embates entre os países, mas no fim do dia foi a Rússia que triunfou e levou o ouro para casa, seguido da França com a prata e Estados Unidos com bronze. O Brasil terminou a competição na oitava posição. 

Começando o dia pelas quartas de final, sendo essa a primeira fase, a emoção já não ficou de fora. A Rússia, que contava com Safin, Chereminisov e Akhmatkuzin acabou passando pela Grã-Bretanha de Kruse, Davis, Halsted e Mepstead por 45 a 43, sendo esse o placar mais apertado desta fase. A França de Cadot, Le Péchoux, Leforte e Jean-Paul, que contava com torcida forte na Arena Carioca 3 bateu a China de Chen, Lei, Mao e Shi por 45 a 42, tendo um pouco de dificuldade, mas sabendo controlar o tempo e o placar pra avançar.

Por outro lado, a Itália de Garozzo, Baldini, Avola e Cassarà passou fácil pelo Brasil de Toldo, Scavasin, Perrier e Marques, vencendo por 45 a 27, assim como os Estados Unidos de Massialas, Meinhardt, Chamley-Watson e Race Imboden que bateram o Egito de Hamza, Essam, Ayad e Abouelkassem por 45 a 37.

Após esse embates, tivemos as disputas para fechar o ranqueamento para a Federação com disputas do quinto e sétimo lugar. A Grã-Bretanha passou fácil pelo Egito, vencendo por 45 a 35 tendo alguns sustos no fim, mas sem problemas. No jogo entre Brasil e China, contudo, o que se viu foi o primeiro espétaculo do dia. Perdendo no último round por 40 a 28, Perrier conseguiu emplacar uma reação surreal para os brasileiros e encostou diversas vezes no placar, mas, no fim, o adversário conseguiu controlar bem o tempo, sendo essa a única alternativa para não deixar empatar. O brasileiro venceu por 13 a 3 o round, terminando com placar final de 43 a 41. 

Em seguida, vieram as semifinais. A tradicional França conseguiu bater a Itália por 45 a 30, contando com apoio forte de sua torcida em frente à pista azul. Com a classificação para a final, os franceses na arquibancada cantaram o hino do país em alto e bom som, mostrando apoio aos seus representantes.

Na outra pista, porém, voltou a ser eletrizante. A Rússia conseguiu abrir largas vantagens, mas sem sucesso de mantê-las por longos períodos, com os Estados Unidos sempre encostando até que passou no penúltimo round. 40 a 38. Alexander Massialas, número 1 do mundo antes da Olimpíada começar, entrou na pista e não conseguiu impor seu jogo. Foi derrotado pela terceira vez no confronto e, ao fim, caiu de joelhos na pista, sendo amparado pelos seus companheiros. Os russos avançavam. 45 a 41. 

Fechando os jogos de classificação, a China derrotou a Grã-Bretanha por 45 a 38, ficando com o quinto lugar do dia. Simultâneamente, o Brasil, novamente empurrado pela torcida presente, conseguiu protagonizar nova reação mágica, mas ainda sem poder ganhar. Scavasin virou o jogo no sétimo round quando perdia no começo dele por 30 a 21. Fez 35 a 33 e entregou na liderança para Toldo, mas não era o dia de Guilherme. Perdeu o embate, tomou a virada e no último round o mesmo aconteceu, terminando por 45 a 39. 

Chegando nas finais, os Estados Unidos passaram com certa facilidade sobre a Itália para ficar com o bronze, para comemoração ferrenha dos americanos presentes. 45 a 31 e terceiro lugar no pódio. A disputa pelo ouro manteve a pequena tradição do dia de ter pelo ao menos uma luta por fase que fosse emocionante. A Rússia esteve diversas vezes atrás no placar, chegando a ficar por larga vantagem para a França, mas nos rounds finais virou, administrou e levou o ouro. 45 a 41. 

Foto: Laurence Griffiths / Getty Images
Foto: Laurence Griffiths / Getty Images

Entenda o Florete por equipes

São usadas as mesmas regras do invidual no embate. Cada equipe pode ter quatro lutadores, sendo três titulares e um suplente (este é opcional ter). As batalhas são divididas em 9 rounds, onde cada round tem três minutos ou acaba quando alguém faz o próximo múltiplo de cinco de pontos (cinco no primeiro, 10 no segundo, 15 no terceiro, 20 no quarto...).