Penúltima noite da natação tem tríplice empate por prata e show de Katie Ledecky

Os três ficaram com a prata nos 100m borboleta masculino, em prova espetacular

Penúltima noite da natação tem tríplice empate por prata e show de Katie Ledecky
Ledecky comemora medalha de ouro conquistada nos 400m livre feminino. Nadadora repetiu a dose nos 800m livre (Foto: Ian MacNicol/Getty Images)

A natação vai se encaminhando para o fim e algumas provas parecem estar desenhadas para deixar saudades. As finais disputadas hoje (12), no Estádio Aquático Olímpico, pertencem exatamente a esse grupo. A noite prometia, com Katinka Hosszú favorita a vencer nos 200m costas, Michael Phelps, Laszlo Cseh e Chad Le Clos brigando pela vitória nos 100m borboleta e promessa de show de Katie Ledecky nos 800m livre. Além disso, havia a final dos 50m livre masculino, uma atração por si só, e com presença do brasileiro Bruno Fratus.

A primeira prova da noite foi a dos 200m costas feminino. Katinka Hosszú nadava na raia de número 4 e era considerada a favorita para levar a medalha de ouro, tendo Maya Dirado como sua principal adversária na busca pela primeira colocação. E dessa vez a estadunidense conseguiu sair por cima. Desde a caída na água, a húngara Hosszú vinha liderando sem muitos problemas, passando na primeira colocação em todas as parciais. No entanto, nos últimos 100m, Maya começou a apertar o ritmo tentando diminuir a diferença e, nos últimos 25m, chegou muito próxima, disputando braçada a braçada. No fim, a prova foi decidida na batida de mão e Dirado levou por apenas seis centésimos de diferença sobre Katinka.

Na sequência, uma das provas mais aguardadas era a dos 100m borboleta masculino, com a presença de Chad Le Clos, Michael Phelps e Laszlo Cseh, favoritos para a medalha de ouro. No entanto, o nadador de Cingapura, Joseph Schooling, foi quem surpreendeu e terminou com a vitória da prova, sendo o único nadador a terminar a mesma com tempo abaixo dos 51s: 50.39 foi a marca do jovem de 21 anos, que também estabeleceu recorde olímpico com esse tempo. Uma outra grande surpresa, digna de filme, ficou para o resultado da prata: Todos os três favoritos (Phelps, Le Clos e Cseh) empataram na terceira colocação com a marca de 51.14, levando uma medalha de prata cada.

Se tivemos algumas surpresas nas duas primeiras provas, os 800m livre feminino vieram para mostrar que algumas coisas simplesmente não podem mudar. Katie Ledecky era a franca favorita para a prova e a única dúvida que ficava era se a estadunidense conseguiria bater o seu próprio recorde mundial. A jovem de apenas 19 anos correspondeu a todas as expectavivas, venceu de ponta a ponta com toda a tranquilidade do mundo, estabeleceu novo recorde mundial com 8:04.79 e venceu com mais de onze segundos para Jazz Carlin, da Grã-Bretanha, que ficou a prata, e Boglarka Kapas, húngara que levou o bronze.

Logo a seguir, tivemos a prova mais rápida da natação, com a presença de Florent Manadou, favorito à medalha de ouro. Nathan Adrian também era candidato, assim como Anthony Ervin, ambos estadunidenses. O brasileiro Bruno Fratus nadava na raia de número 7. Prova extremamente veloz, os 50m livre não dão tempo para muita reação e foi Ervin quem saiu com a vitória, marcando 21.40, apenas um centésimo à frente de Manadou, que levou a prata para a França. O bronze ficou para Nathan Adrian. Fratus terminou apenas na sexta colocação, marcando 21.79.

Para fechar a noite, tivemos as baterias semifinais dos 50m livre feminino, contando com a presença da brasileira Etiene Medeiros. A brasileira nadou na primeira série, fechando na terceira colocação, com o tempo de 24.45, estabelecendo recorde sul-americano e garantindo o sétimo tempo dentre as classificadas para a final. O melhor tempo de balizamento para a final dos 50m livre feminino é de Pernille Blume, da Dinamarca, com 24.28. A final será disputada amanhã (13), juntamente com as últimas provas da natação, a partir das 22h.