Terceiro dia de provas na pista tem novos recordes e surpresa na decisão do Keirin

Disputa acirrada e quebra de recordes entre Reino Unido e Estados Unidos marcam a final da perseguição por equipes. Holandesa surpreende no keirin

Terceiro dia de provas na pista tem novos recordes e surpresa na decisão do Keirin
À frente das ciclistas vai uma bicicleta elétrica, o derny, controlando a velocidade. Foto: Lars Baron/Getty Images

O keirin é mais uma das provas que compõem o ciclismo de pista. É disputado em um único dia durante os Jogos Olímpicos, em duas rodadas, mais as finais. A primeira rodada é disputada em quatro baterias e repescagens em que competem as últimas colocadas de cada bateria, a fim de voltar a ter chances de medalha.

Em seguida, são formadas duas baterias de seis ciclistas em cada uma. A primeira metade vai para a disputa por medalhas, a segunda compete pela melhor colocação, entre a sétima e a última. 

No ciclismo de pista em geral, a Grã Bretanha tem demonstrado um enorme favoritismo, após uma sequencia de vitórias, medalhas e quebra de recordes desde o primeiro dia da competição, em todas as provas. Porém, no keirin foi diferente. Desta vez, a favorita era a australiana, Anna Mears

E foi na última volta que fomos surpreendidos: Anna Mears não alcançou o primeiro lugar. A holandesa Elis Ligtlee, que nem de longe era considerada uma das favoritas, arrancou e ultrapassou as primeiras colocadas, conquistando o primeiro ouro de sua carreira. 

Elis tem 22 anos e é a mais nova entre todos os ciclistas de pista. Esta foi sua primeira participação em Jogos Olímpicos. 

O Reino Unido não deixou de ganhar medalha: a prata ficou com Rebecca James, esta sim, que era forte candidata ao ouro. 

A favorita, Mears, não ficou sem subir ao pódio. Leva para a Austrália a medalha de bronze. 

Na perseguição por equipes, que teve a prova classificatória realizada na quinta-feira (11), o grande destaque da prova ficou para o acirramento na competição entre Estados Unidos e Reino Unido. 

As britânicas haviam quebrado o recorde mundial na primeira fase, completamndo a prova com o tempo de 4min13s26. Na tarde deste sábado, a equipe americana bateu esta marca, cravando 4min12s28.

Competitiva, a equipe do Reino Unido não deixou barato. Na semifinal, contra o Canadá, alcançou o novo recorde de 4min12s15, uma diferença mínima para a marca das adversárias. 

As duas equipes se enfrentaram na etapa final da prova, valendo o ouro Olímpico. Já era de se esperar que a dispura fosse emocionante, acirrada, e que houvesse superação de recorde. 

As americanas tiveram um ótimo início de prova, estando nas duas primeiras voltas com alguns segundos de vantagem em relação às rivais, mas a partir da terceira, a história mudou e, novamente, o Reino Unido mostrou que veio à Rio 2016 em busca do ouro no ciclismo de pista. 

Estados Unidos alcançou a prata com o tempo de 4min12s45, e o ouro das britânicas veio junto com novo recorde: 4min10s23.

A prata ficou com a equipe canadense, que fez um ótimo tempo nas finais, contra a Nova Zelândia: 4min14s62.

As competições femininas no ciclismo de pista continuam neste domingo (14), com a velocidade individual, a partir das 16h.